Kol e a jornada em Kalos!

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Kol e a jornada em Kalos!
Kol Mikaelson em Sab 16 Jan 2016, 16:15
Em uma bela noite chuvosa, podemos presenciar as mais belas maravilhas. Gramados secos se tornam cheios de vida e elegância, cobertos de um belíssimo manto de água cristalina. Plantas são ressuscitadas, e vidas revigoradas com a majestade da chuva, sem mencionar o misterioso movimento das belas criaturas, procurando uma chance de se esconder das gotas de água.  Em uma cidade na região de Kalos, uma família deslumbrava essa beleza!
- Mãe, preciso que a chuva pare até amanhã.
- Querido não sou eu que mando no tempo...
Kol era um garoto reservado e completamente ousado. Dotado de uma bela voz o garoto cantava, usando como charme seu belo corpo muscular, junto de seus cabelos lisos e pretos, encobrindo um pouco seus olhos castanhos claros.
- Mãe, amanhã eu começo minha jornada. EU PRECISO ir amanhã, já que eu devia ter partido hoje!
- Por que ainda não foi?! Vai... Saí na chuva, se esconde no meio das árvores. Fica por lá.
- Não precisa falar assim!
- Cala essa boca menino. Você sabe que eu não apoio essa idéia TOSCA de ir viver como um Zé Ninguém... Sair por aí caçando esses Pokémons. VAI E SOME! Faz como seu pai fez... Desaparece e me deixa sozinha, aproveita para ficar parecido com ele e arrume alguém por lá também!
- Mãe, sei que a Senhora...
- Sabe de nada! NADA!
A mulher se levanta e sobe algumas escadas da casa e aparece em um quarto. Ela pega uma mochila e coloca dentro algumas coisas que estavam sobre a cama. Ela desce e para na porta da sala onde ela e seu filho estavam. A pobre mulher chora muito, e tosse algumas vezes. Ela cospe algo no chão, algo um tanto escuro para ser sangue. Ela enxuga seus olhos e limpa sua boca. A mulher retoma sua pose enérgica e desce a escada. Dirige-se a seu filho e com um tom de voz um tanto raivoso ela o manda partir.
- Você já pegou suas coisas com o Professor hoje mais cedo e eu já arrumei o restante. Tome!
Quando o filho se vira para sua mãe, esta percebe que ele chorava muito. Ela joga as coisas em seu colo. O garoto pega e se levanta. Ele sobe as escadas e em alguns minutos desce usando uma blusa branca com uma calça vinho e um tênis de cor vinho com detalhes em preto.
- Tem certeza que quer que eu vá hoje?
- Vai logo...
Os dois vão até a porta. O garoto pega um guarda-chuva que estava encostado próximo a porta. Ele sai lentamente e abre o mesmo.
- Eu sei que a Senhora e eu nunca fomos...
O garoto é interrompido pelo choro de sua mãe, que rapidamente o abraça.
- Desculpe... Vai e vença aquela liga. E tente não se lembrar...
A mulher não consegue continuar a falar devido a um choro alto que ela soltava junto de seu filho.
- Não precisa dizer nada Mãe. Deixa comigo!
Eles se abraçam forte e Igor sai correndo após o feito. Ele corre muito até que quando deu por si já havia saído da cidade. Quando o garoto  estava se aproximando da estrada ele tropeça e cai no gramado molhado deixando cair seu guarda-chuva que estava aberto. Igor tenta pega-lo, mas o vento o leva para perto de  alguns arbustos.
- Droga...
O garoto chora um pouco enquanto ficava ali deitado no chão sendo molhado por aquelas gotas, e ao mesmo tempo se martirizava em pensamento. Ele se lembra de seu sofrimento e logo reflete sobre tudo aquilo.
- Isso é passado... Tenho que superar.
Ele limpa suas lágrimas e vai rumo ao arbusto e pega seu guarda-chuva. Kol pega sua pokébola e a atira fazendo sair de lá um Froakie. O Pokémon pula nas pernas de Kol e da um sorriso. Kol responde com outro sorriso, mostrando que já tinha intimidade com seu amigo.
- Estamos juntos nessa amiguinho... Eternamente juntos!
CONTINUA...


Última edição por Kol Mikaelson em Sab 16 Jan 2016, 17:16, editado 1 vez(es)
Administradores
avatar
Idade : 19
Data de inscrição : 16/01/2016
Número de Postagens : 91
Localização : MG

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Kol e a jornada em Kalos!
Sayu em Sab 16 Jan 2016, 17:15
*-* Pode começar!


Administradores
avatar
Idade : 19
Data de inscrição : 30/12/2015
Número de Postagens : 140
Localização : SC-Brasil

Ver perfil do usuário http://poketalles.rpgdynasty.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Kol e a jornada em Kalos!
Kol Mikaelson em Dom 17 Jan 2016, 02:45
Já era bem tarde e Kol continuava caminhando junto de seu Pokémon. A chuva havia estiado um pouco, havendo apenas uma garoa que obrigava o garoto a continuar usando seu guarda-chuva.
- Froakie, estamos próximos a Rota 2. Não muito longe de nossa primeira cidade.
-  Froak!
Ambos Pokémon e treinador andavam lentamente. Kol segurava seu guarda-chuva se protegendo da garoa e Froakie estava em baixo do mesmo se protegendo também. Ambos estavam próximos a entrada da Rota 2, até que Kol para por um segundo.
- Froakie... É aqui! Tem muitos Pokémon legais aqui. Quem sabe será nossa chance de pegar mais um amiguinho!
Froakie acsna mostrando interesse no que Kol dizia. Já era bem tarde e a rota ficava um tanto assustadora. Kol passava silenciosamente e ao mesmo tempo rápido, procurando por algum Pokémon que lhe causasse interesse. Após muito bisbilhotar e andar, ele percebe que nada ali causaria nele algum tipo de adrenalina. Ele vê perto de alguns arbustos, muitos Pancham e alguns Fletchling. O garoto os ignora e sai calmamente para não chamar atenção. Quando o jovem pensava em desistir algo desperta rapidamente sua curiosidade.
- Froakie olha aquilo ali!
- Froak?!
Froakie fica confuso com o que vê. Era uma criaturinha pequenina, com uma espécie de orelhas vermelhas, e uma pequena boca onde o pequenino mastigava um galho.
- Vamos ver se é o que estou pensando.
Kol pega sua Pokédex para ver a bela criaturinha:


"Fennekin. Ele intimida os adversários por soprar ar quente para fora de suas orelhas.

O treinador guarda sua Pokédex e logo olha com cobiça para o pequenino Pokémon.
Fennekin continuava tranquilo, mostrando não se importar com os olhares que era lançados contra ele.
- Froakie se coloque em ordem de batalha!
Froakie salta rapidamente para perto de Fennekin, e logo após o encara. O gramado continuava sendo coberto pela garoa fina, porém, o alvo se mostrava bem resistente em relação às pequenas gotas de água.
- Froakie vamos lá! Comece usando o Socar!
Froakie da alguns saltos velozes e vai para lançar em Fennekin um soco. Quando ele estava próximo de acertar, o adversário dá um Arranhão em Froakie.
- Que isso amigo! Levanta e tente o Socar novamente!
Froakie salta com ainda mais velocidade, e novamente Fennekin o pega com o Arranhão e dessa vez ele lança Froakie á alguns metros de distância.
- Froakie, vamos parar de brincar! Chegue bem próxima ao Fennekin e use o Bolhas!
Froakie salta novamente e se aproxima deFennekin,quando o adversário ia usar o Arranhão novamente, Froakie solta várias bolhas que acertam em cheio o rival. O Pokémon fica um tanto zonzo com o golpe. Fennekin balança sua cabeça e se afasta lentamente para trás. Ele rapidamente sai correndo em disparada para o meio de alguns arbustos verdes e floridos e some.
- Anão... É Froakie, talvez da próxima!
Kol emite uma expressão de decepcionado. Froakie logo volta para perto de seu treinador, e ele logo percebe que Froakie estava um pouco molhado e ao mesmo tempo percebia também que Froakie estava confiante.
- Você deve estar com frio. Você foi muito bem nem sei como recompensá-lo!
Froakie sorri para seu treinador. O mesmo pega uma toalha de dentro de sua mochila e enrola Froakie nela. Por alguns segundos, Kol sente o cheiro de sua casa na toalha e tem muitas lembranças. A toalha preta com detalhes vermelhos continha uma escrita com o nome do garoto.
- Nikolas... Só meu pai me chamava assim. Minha mãe sempre gostou mais de Kol!
- FROAK!
O pequeno Pokémon grita e seu treinador o pega no colo. Kol continuava seguindo seu caminho rumo a grandes vitórias!
- Descanse rapaz, logo chegaremos ao Centro Pokémon!
Após algumas horas de caminhada, a garoa havia parado. O garoto nem se importava mais, havia quebrado o guarda-chuva e estava andando sem nada para lhe proteger da garoa, mas tudo estava bem já que a mesma havia cessado.  Kol andava já com dificuldade, começava a se sentir cansado. Logo que ele sentira o cansaço em si, uma forte ventania se iniciava, fazendo com que o rapaz sentisse frio, que combinado com suas roupas um pouco molhadas pelo seu tombo e pela chuva, faziam com que ele chegasse a tremer de frio.
- É, acho que agora não da mais para seguir. Melhor eu procurar um lugar para dormir antes que eu congele.
Próximo a Rota, havia uma floresta e na entrada desta, uma grande e robusta árvore. O garoto avistava de longe o fim da rota e a grande árvore. Ele corre um pouco para se aquecer e chega até a árvore e percebe o quão majestosa e robusta ela era.
- É aqui mesmo!
O menino tira seu saco de dormir que ficava preso a sua mochila, que combinando com ela, também era preto com detalhes em vermelho. Ele o desenrola, e entra dentro dele junto de seu Pokémon. Kol havia se alojado próximo a árvore, bem perto de um buraco que havia no tronco onde ele depositara sua mochila. Rapidamente ele pega no sono, e dorme junto de Froakie. Apesar de desconfortável, finalmente o garoto se sentia livre, liberto, e acima de tudo se sentia protegido mesmo estando exposto a muitos Pokémons selvagens.
CONTINUA...
Administradores
avatar
Idade : 19
Data de inscrição : 16/01/2016
Número de Postagens : 91
Localização : MG

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Kol e a jornada em Kalos!
Sayu em Dom 17 Jan 2016, 21:11
Válido
I Star

O texto de narração está bom, erros quase não aparecem, mas a batalha foi muito fraca, tente fazer uma batalha mais longa na próxima vez. Explore mais os ataques tanto seus quanto do rival.


Administradores
avatar
Idade : 19
Data de inscrição : 30/12/2015
Número de Postagens : 140
Localização : SC-Brasil

Ver perfil do usuário http://poketalles.rpgdynasty.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

floresta Satalune
Kol Mikaelson em Seg 18 Jan 2016, 00:13
Após uma longa noite, Kol continuava a dormir. O lugar que o menino escolhera para descansar era belo e ao mesmo tempo misterioso. Kol colocara seu saco de dormir perto de uma árvore robusta com um tronco muito grosso e de cor marrom bem claro. Grandes raízes se espalhavam terra adentro, penetrando profundamente o belíssimo solo que era coberto por uma grama verdinha, com curtas folhagens e algumas flores. Os galhos da majestosa árvore eram grandes, com muitas folhas verdes e de aspecto bem saudável. Bem acima da árvore, bem próximo ao seu topo ficavam algumas aves que escondiam sua beleza em meio ao verde da bela árvore. A alguns metros de distância, estava a entrada para Floresta Santalune. A entrada era marcada por muitos arbustos altos e algumas árvores com poucos metros, porém, deixavam um rastro de beleza incalculável. Era realmente tudo lindo e misterioso. Após algumas horas, o raiar do sol acorda Kol de seu descanso. O garoto estava de olhos inchados e com o cabelo todo bagunçado. Por alguns minutos ele sente o cheiro de grama fresca, e percebe o quão lindo era tudo aquilo! Notava-se nos olhos do menino um brilho inocente, coisa de quem pela primeira vez entende o significado de beleza.
- Nunca vi algo tão belo assim!
Froakie também despertava, porém ao contrario de Kol, ele não ligava muito com toda aquela paisagem. Kol abre o zíper e sai junto de Froakie do saco de dormir. Ele pega sua mochila que estava guardada em um buraco no tronco da árvore e a abre. Kol tira de lá uma escova de dente, uma garrafa de água e depois uma pasta dental e uma escova de cabelo. O garoto molha sua escova e vai delicadamente deslizando-a sobre seus dentes, enquanto continuava a apreciar toda aquela maravilha natural. Ele olha para cima e vê o brilho do sol, algo que há muito tempo ele não percebia. Mesmo estando tão cedo, o sol brilhava forte, com muito esplendor, emitindo raios claros que ao entrar em contado com a grama úmida, resplandecia uma cristalina luz, realçando o verde da bela natureza.  Após alguns minutos Kol acabava de escovar seus dentes. Logo ele pega a escova e passa em seus cabelos refazendo seu penteado. Ele guarda tudo em sua mochila e tira de lá uma touca branca e põe em sua cabeça, deixando apenas uma espécie de franja para fora. Logo ele retira sua blusa branca e seu colete preto que estavam sujos de lama, e por alguns minutos ele fica sem camisa, exibindo seu peitoral e sua barriga fortemente definidos. Kol veste no lugar uma blusa de cor branca e de manga longa, bem apertada a seu corpo. Ele olha para os lados e se esconde atrás da árvore e tira seu sapato e suas calças. Kol tira uma calça preta da mochila e rapidamente a veste. Ele calça novamente seu sapato e pega a roupa suja e coloca em um lado separado da mochila. Kol arruma tudo, e enrola o saco de dormir e o ajeita em baixo de sua mochila, colocando a mesma em suas costas.
- Agora sim estou pronto! Preciso achar algum lugar para lavar as roupas e tomar um banho.
Ele observa tudo novamente e respira fundo, decidindo adentrar a floresta.
- Froakie sai daí e vamos logo!
Froakie estava perto do gramado e rapidamente ele sai de lá e vai pulando rumo a seu treinador.
- Amigo me ouça: estamos perto de entrar na Floresta. Não sei o que nos aguarda, mas custe o que custar, dê seu máximo e não permita de forma alguma que algo nos machuque!
- Froak!
Kol e Froakie saem andando rapidamente. Após alguns minutos eles adentram a floresta. A luminosidade forte diminui bastante, dando lugar a um ambiente pouco iluminado. A floresta mais que depressa fica densa e Kol mais que nunca fica atento a tudo. Eles andam bastante e depois de muito tempo, Kol reconhece que fica perdido. Ele para próximo a uma das muitas árvores e da um chute na mesma.
- Droga Froakie! Estamos perdidos!
Froakie faz cara de confuso para Kol, e logo após um barulho em meio a alguns arbustos pode ser ouvido.
- Froakie se prepara, pode ser algo muito perigoso!
Do arbusto sai um Pokémon estranho. O garoto não sabia exatamente o que era! Kol tira sua Pokédex e logo a aponta para o Pokémon:



“Scatterbug. Quando sob ataque de pássaros Pokémon, ele vomita um pó preto venenoso que causa paralisia em seu alvo."

- Fique atento Froakie. Se ele atacar, você ataca também!
Scatterbug era um tanto estranho e possuía um andando desengonçado. Ele passa pelos dois sem procurar encrenca alguma. Kol fica tranquilo ao ver que nada ali apresentava perigo... Por enquanto!
- Froakie venha, vamos por aqui!
Kol e Froakie passam por meio de duas árvores que rendiam um pequeno caminho a um campo verde. Ao chegarem lá o garoto vê um pequeno Pokémon e logo se interessa por ele!
- Olha, mais um!
O pequenino Pokémon estava triste em cima de uma pedra que estava ali. A pedra tinha forma oval e era pouco grande, toda cinza e coberta por musgos. O pequenino Pokémon possuía o corpo marrom e usava um gorrinho verde em sua cabeça. Ele nota que o treinador o olhava e logo o mesmo se vira pula da pedra e vai correndo para perto de Kol.
- O que foi amiguinho? Qual o problema?
- Froak?
O pequenino para de frente com Kol e Froakie, e olha serenamente para eles. Kol saca sua Pokédex para ver qual era o adversário:



“Chespin. Uma casca grossa de madeira cobre a sua cabeça e nas costas que mesmo uma batida direta de um caminhão não iria machucá-lo"

- Chespin, hm....
O garoto estava pensativo. Chespin era incrivelmente fofo e apresentava sinais de astúcia. Kol decide que não ia pega-lo, mas logo muda de ideia quando Chespin emite um fraco rosnado fazendo com que Froakie ficasse intimidado, gerando nele uma vontade de lutar. Chespin se afasta e olha seriamente para Froakie.  A partir disso Froakie olha para Kol como se pedisse permissão para batalhar. Kol sabia da desvantagem que Froakie levaria, porém o olhar de Froakie mexia com ele e depois de alguns segundos ele decide atacar.
- Froakie, Socar!
Froakie soca Chespin em cheio. Chespin da alguns passos para traz e faz uma cara de choro, mas ele muda sua feição e usa a Investida, fazendo Froakie cair. Logo Froakie tenta se levantar e neste exato momento saem de Chespin vinhas verdes e firmes mais parecidas com chicotes. Estas agarram Froakie pela perna e o lançam para o alto, a alguns metros do chão, fazendo com que Froakie comece a cair.
- Froakie! – Diz Kol preocupado – Amigo use o Bolha!
Froakie estava caindo e mesmo assim ele lança bolhas brilhantes e cintilantes em Chespin, que as estoura usando o Chicote de Vinha que, após o feito, se enrolam novamente em Froakie que estava em queda livre. Chespin gira e lança Froakie contra a pedra onde ele se encontrava. As costas de Froakie estavam avermelhadas e mesmo assim ele se mantinha de pé.
- Froakie, use o Rosnar!
Froakie rosna para seu adversário. Chespin recua um pouco, mas logo retoma sua pose e rapidamente ataca com uma Investida.
- Froakie salte!
Froakie salta e Chespin da uma cabeçada na pedra, porém ele se volta para a batalha e usa de seus chicotes que se enrolam por todo corpo de Froakie. Chespin rapidamente os puxa em direção ao chão, fazendo com que Froakie recebesse um forte impacto. Kol se desespera e vai correndo em direção a seu Pokémon.
- Amigo! AMIGO!
Froakie estava com uma respiração ofegante e com um olhar cansado. O garoto pega seu Pokémon e Chespin sorri recolhendo seus chicotes. Kol se enfurece e logo tem uma lembrança que o ajudaria. A mãe de Kol lhe entregara uma pokébola um dia antes de sair e Kol recorda do que ela o diz:
“- Use quando Froakie não conseguir fazer algo por você. Já que vai sair para essa jornada ridícula, vai precisar de algo assim!”
Kol se recorda da cena que acontecera em sua sala de estar, onde sua mãe o entregava a Pokébola enquanto eles conversavam. Logo Kol saca a mesma e a joga. Kol sabia o que havia dentro da Pokébola e ele resolve usar daquilo, mesmo não gostando do que lá havia. Um Pokémon rosa sai da Pokébola e Kol o chamava de Audino.
- Audino, sem ressentimentos! – Diz o garoto fazendo um bico.
- Audino, Dino!
Audino mostra uma face de estressado e vai para cima de Chespin antes que Kol mandasse.
- Não seja besta! Espere meus comandos! Chespin sorri e antes que Audino fizesse algo, ele usa o Investida lhe dando uma cabeçada que  não surte muito efeito, mas faz Audino parar. Audino sente um pouco de dor, porém se mostra confiante.
- Audino, use o Socar!
Audino se recupera do ataque, deixando sua feição doce dar lugar a uma cara de mal. Audino sai rapidamente e dispara um poderoso soco em Chespin, que da alguns passos para trás.
- Isso, agora Socar de novo!
Audino soca Chespin com ainda mais raiva, acertando a barriga do rival. Chespin fica sem fôlego por alguns segundos e não consegue reagir em seguida.
- Rosnar!
Audino rosna com uma cara raivosa obrigando Chespin a sair correndo de medo em rumo à pedra onde estava o mesmo. Ele sobe na mesma e chora um pouco. O choro passa rapidamente, e Kol ri da situação. Chespin testemunha aquilo com raiva e solta seus chicotes rapidamente, os enrolando em Audino. Chespin mais do que depressa os recolhe e faz com que Audino se chocasse contra a pedra. Um estrondoso som pode ser ouvido e Kol se desespera.
- Audino, dino! – diz Audino com uma voz raivosa.
- Audino você esta bem?
- AUDINO! – Grita enfurecido.
- Muito bem, use o Socar, e tente acertar a barriga dele!
Audino sobe em cima da pedra oval, abandonando o solo do campo verde. Quando o Pokémon vai tentar acertar seu adversário, Chespin lança seus chicotes novamente e dessa vez os enrola nos braços de Audino. Audino se mexe um pouco e nada faz com que ele se soltasse, porém logo Kol tem uma idéia!
- Já chega! Audino use o Jogo Agradável!
Os olhos de Audino ficam com um brilho estranho e Chespin olhava para os mesmos com um ar inocente. Audino sorri para Chespin e o adversário sorri de volta com uma feição abobada. Chespin solta os braços de Audino, porém mantém os chicotes em rumo a seu rival.
- Ótimo, agora pegue os chicotes e os puxe trazendo Chespin para perto de você e use o Socar!
Chespin havia perdido a vontade de lutar e Audino concentra sua força em seu punho. Com precisão ele puxa e soca a cara de Chespin que parece não ligar muito.
- Soque quantas vezes der!
Audino usa o golpe novamente, deixando um pequeno hematoma no rosto de seu rival. Chespin volta a si e com lágrimas nos olhos agarra Audino com o Chicote de Vinha, o levantando para o alto com intenção de jogá-lo no chão.
- Agarre os chicotes e puxe consigo!
Audino puxa com muita força e Chespin vai ao chão antes dele. Logo que a criaturinha cai, Audino cai em seguida.
- Audino rosnar!
- DINOOO!
Audino rosna e Chespin se afasta outra vez.
- Chespin, Chespin! – Diz ele com uma voz fraca.
Pela primeira vez o Pokémon diz algo. Kol mudava de ideia em relação à Chespin, afinal todo aquele trabalho teria de lhe render uma captura.
- Audino ponha fim nisso. Vá em direção a Chespin e quando estiver próximo, salte para trás dele e use o Socar.
Audino faz como Kol mandou, porém Chespin lança uma Investida que quase acerta Audino. Audino com dificuldade executa o salto e para de costas para Chespin que fica confuso. Audino se vira e soca Chespin o lançando de cara e de bruços no chão.
- CHES...
Chespin fica sem ar, e sem que Kol mandasse Audino soca as costas do Pokémon. A precisão do golpe foi eficaz e Chespin desmaia após o golpe.
- É de um Pokémon assim que preciso comigo, não tive tanto trabalho para nada. Pokébola vai!
Kol joga a Pokébola em Chespin que se mantinha caído no chão. O pequenino Pokémon é pego pelo raio vermelho da Pokébola.
Tum, Tum, Tum, TUM!
Depois de alguns segundos a Pokébola para de piscar e se mexer simultaneamente, indicando que Chespin foi pego. Kol segura a Pokébola e dá saltos junto de Audino.
- É, peguei meu primeiro Pokémon!VIVA! – Ele logo sorri para Audino.
- Você foi bem Audino! – Diz o garoto sorrindo muito.
- Audino! – responde Audino cruzando os braços em uma pose de convencido.
- Muito bem, pode descansar!
Kol se aproxima de Audino e aperta as bochechas dele. Audino fica corado e logo após Kol retorna o Pokémon para sua Pokébola. Froakie estava sendo segurado por Kol, que usava apenas seu braço esquerdo para pega-lo. Froakie estava dormindo, quase fora derrotado! Kol decide retornar Froakie para sua Pokébola e seguir em frente.
- Eu amo você! Fica bem!
O raio vermelho retorna Froakie para a Pokébola e Kol segue pela floresta buscando a saída. O garoto passara a manhã lá, e já necessitava comer.
- PRECISO SAIR DAQUI! – Diz o menino após alguns segundos de pós-euforia.
Kol grita e sai correndo passando pelas duas árvores de onde tinha vindo. O garoto estava com fome, e necessitava sair rápido de lá! Ele corre por diversos lugares e não encontra a saída. Por fim ele decide passar entre algumas arvores de tronco bem fino, parecidas com bambus. As folhas eram bem finas e neste lugar havia algumas pedras em cima do gramado. Quando o garoto passa entre elas, ele vê uma trilha e acredita ser a saída. As roupas de Kol estavam sujas novamente, e ele não aguentava mais ficar sem comer. Após andar um pouco, bem a frente havia uma forte luz que ele acreditava ser a saída. Por dentro da Floresta havia teias entre as árvores  e vários Pokémons Insetos agarrados a galhos e cipós completando a beleza natural do lugar. Enquanto Kol andava lentamente, de cima de uma árvore uma criatura o observava e mal sabia ele que estava sendo fitado por algo. Quando a criatura decide descer da árvore, ela pisa em um galho bem fraco e cai no chão, fazendo um forte barulho que espantava alguns Pokémons e chamava a atenção de Kol. Quando Kol se vira para trás para olhar o que era, ele grita assustado ao ver quem o olhava!
- VOCÊ?! O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO AQUI?!
Kol da alguns passos para trás se afastando e a criatura sorri ironicamente, pronta para atacar!
CONTINUA...
Administradores
avatar
Idade : 19
Data de inscrição : 16/01/2016
Número de Postagens : 91
Localização : MG

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Kol e a jornada em Kalos!
Sayu em Ter 19 Jan 2016, 14:18
Válido
Captura: Boa

- Pontos Positivos -
Boa escrita
História interessante
Batalha longa e envolvente


- Pontos Negativos -
---


Administradores
avatar
Idade : 19
Data de inscrição : 30/12/2015
Número de Postagens : 140
Localização : SC-Brasil

Ver perfil do usuário http://poketalles.rpgdynasty.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Saída da Floresta e a chegada à Cidade!
Kol Mikaelson em Ter 19 Jan 2016, 23:45
Kol se encontrava na Floresta Santalune, perdido e confuso a procura de uma saída. A manhã se passara rapidamente, o sol já brilhava forte. Por fora da Floresta o verde ganhava um realce devido aos fortes raios do sol e já dentro da mesma, havia um pouco mais de iluminação, porém, nada significantemente esplendido. As árvores perdiam um pouco seu verde forte, as flores de todas as cores ficavam entristecidas. A falta de iluminação fazia se perder parte da beleza natural que aquele lugar oferecia. Kol estava andando em uma trilha que era coberta de árvores ao lado, acreditava ele ser à saída daquela prisão. Quando o garoto estava próximo a matar a charada de onde ficava a saída, uma pequena criaturinha o observava com más intenções. Alguns descuidos da pequena criatura fazem com que ela se expusesse antes da hora, levando Kol a perceber quem realmente ela era. O garoto a reconhece e fica assustado, tentando de alguma forma escapar daquela situação. O garoto ficava com uma feição espantosa de medo. Já a criatura apenas sorria ironicamente.
- VOCÊ?! O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO AQUI?!
Kol ficavacom receio de tal situação, afinal, todos seus Pokémon haviam gastado suas energias na batalha contra Chespin com o intuito de realizar a captura de um novo membro a sua equipe. Até certa parte estava tudo bem, mas Kol não pensou que usando seus Pokémons na batalha, poderia até realizar sua primeira captura, porém ele não teria nenhum Pokémon para lhe defender de algum inimigo.
- Estou cercado. Se eu correr ele vai atrás, se eu ficar ele ataca...
Kol estava em duvida sobre o que fazer.
- Maldito dia em que eu fui tentar algo contra você sua raposinha astuta! – Lamnetava ele ao ver o olhar maldoso da pequena.
A pequena Pokémon olhava seriamente para Kol. A criaturinha era ninguém menos que Fennekin, que almejava vingança. Parado em meio à trilha de terra fina que levava provavelmente a saída, Fennekin queria tentar algo contra o treinador.
- FEEEN! – Gritava Fennekin tentando assustar Kol.
Fennekin se cansa de olhar para Kol e rapidamente seus olhos brilham. Ela da alguns passinhos para frente e abre sua boca e faz com que nela começasse a surgir um brilho vermelho. O brilho vai aumentando cada vez mais. Kol arregala seus olhos e fica ainda mais assustado. O brilho rapidamente fica muito forte e atinge seu ápice. Naquele momento, o concentrado brilho vermelho se torna uma rajada de vários pontinhos avermelhados e brilhantes que pareciam brasas. O ataque de Fennekin vai em direção a Kol, que desesperadamente salta para sua direita caindo no chão. Uma fina poeira é levantada e o garoto esfola seu queixo no processo. Kol rapidamente se levanta e encara Fennekin. A criatura queria algo e conseguiria a qualquer custo.
- Não entendendo... O que eu fiz?!
- Fen...
Fennekin olhava para Kol misteriosamente. A feição irônica nãolhe abandonava. Enquanto os dois se distraiam, Kol não percebera que as brasas acertaram alguns arbustos que estavam ao lado. Os mesmos que eram verdes ficavam queimados devido ao calor das brasas. A cor escura ficava ainda mais feia com a falta de iluminação da floresta. Tal feito passava despercebido tanto pelo treinador quanto pelo Pokémon. Kol ficava a cada segundo mais nervoso, seu medo de ser ferido aumentava muito. Fennekin flexiona suas pernas e com velocidade usa a Investida contra Kol. O treinador rapidamente salta por cima de Fennekin, fazendo o rival acertar o chão ao invés dele. Quando Kol da as costas para Fennekin ,devido a esquiva que fizera, o mesmo se vira rapidamente e usa o Investida novamente e desta vez acertar o humano bem nas costas o jogando no chão. Kol novamente machuca seu queixo que devido ao ferimento anterior, veio a se tornar um pequeno corte. Rapidamente o sangue escorre de seu ferimento e ele sente um pouco de dor. Fennekin sobe em cima de Kol e ele abre sua boca concentrando novamente o brilho vermelho e este logo vira a raja incandescente de brasas. As brasas acertam as costas de Kol, queimando sua blusa e lhe causando leves queimaduras.
- O QUE ESTA ACONTECENDO?! AAAH!
Kol sente um pouco de dor, e seus olhos se enchem de lágrimas. O garoto estava com fome e um pouco fraco. Os ocorridos com Fennekin o deixaram quase sem forças para tentar reagir. Fennekin continuava em cima do garoto e estava para lançar outro ataque, até que algo salva Kol de se ferir gravemente.
- Explosão Lunar!
Um homem alto e forte, bem parecido com Kol, chegava ao lugar no momento certo. O homem estava acompanhado de um Pokémon rosa. Obedecendo ao homem, o Pokémon salta e uma luz toma forma da lua, levando para o campo uma forte ventania. A lua desaparece e em seu lugar, na boca do Pokémon, se formava uma esfera rosa que quase cegava a que a olhasse diretamente. O Pokémon usa de alguns laços em seu corpo para agarrar Fennekin e lançar-lo para cima. Logo tal feito, ele lança a esfera diretamente em Fennekin. Um brilho fortíssimo de cor rosada consome a pequena raposa que fica sem entender nada. A explosão causa dor imensa na pequena que agoniza devido ao dano recebido! A luz se acaba e a força da explosão lança a criaturinha para longe e de forma rápida, não permitindo que aqueles que ali estavam conseguissem enxergar para onde ela fora jogada. Logo o homem dá socorro a Kol, o pega do chão e o levanta. Ao se virar e olhar seriamente para o homem Kol se assusta.
- Impossível! Como... Como você...
- Você ta bem? Aquela coisinha te machucou?
- Bem, ela me queimou um pouco.
- Sei... Cabeça dura! Porque não usou um Pokémon?!
- Eles estão cansados. Olha isso não te importa também.
- Claro que importa!
- Eu não sei como chegou aqui moço, você se parece bem com alguém especial para mim, mas este alguém nunca aparecia aqui!
O homem balança a cabeça e ri de Kol.
- O que te leva a pensar isso?
- O fato de essa pessoa ter abandonado a tudo, desde a família, até mim!
- Não seja tolo... Nikolas.
Kol reconhce a situação e as lembranças vêm à tona em sua mente. Desesperado ele começa a chorar e empurra o homem.
- NÃO PODE SER! NÃO PODE... NÃO!
O homem abraça Kol, e o garoto gritava cada vez mais. O menino chorava muito, ficava cada vez mais confuso e ao mesmo tempo revoltado.
- Nikolas você continua um chorão, mas ao menos ficou bonito como seu pai! – Diz o homem sorrindo.
Kol chora ainda mais e aos poucos o homem percebe que o garoto ia se jogando em seu abraço. Após alguns segundos em silêncio, Kol estava todo vermelho devido a tanto choro. O menino respira fundo e em uma velocidade quase imperceptível ele desmaia nos braços do homem. Ao notar o que havia ocorrido, o homem sacode o garoto e vendo que ele não respondia, ele rapidamente o leva para o Centro Pokémon.
- NIKOLAAS! – Gritava ele enquanto saia da Floresta com o menino.
Após muito tempo, Kol acorda no centro Pokémon em uma maca. Ele achava que havia sonhado e percebe que tudo era realidade quando vê que já era noite e que suas coisas não estavam com ele. Ele olha e repara o quarto, se belisca, da alguns tapas em seus rosto e conclui que toda decepção que sofrera era sim real e fatal!
- Droga é verdade... Aí não. Aí não!
Kol começa a chorar novamente. Ele se levanta e vai atrás do homem que o ajudara. Kol passa pelo corredor branco e iluminado por várias lâmpadas de cor amarelada. Havia outros quartos, e mais a frente uma porta de aço que indicava a saída para a sala de entrada do Centro Pokémon. O garoto nem notava que estava usando uma calça e uma camisa respectivamente brancas, e por cima delas um jaleco branco e bem fino que quase tocava seus pés. Kol abre a porta e sai na Sala de entrada desesperado. Ele vê a Enfermeira Joy, usando uma bela roupa rosa clara com cabelos da mesma cor se destacando por seu brilho e seus fios sedosos. A mulher possuía uma pele clara, um lindo físico e para completar, seu rosto era sereno, calmo, quase perfeito! Kol se encanta por alguns segundos e em seguida ele pergunta:
- Joy, onde foi meu pai?
- Olá moço! Volte para seu quarto, você não esta em condições de...
- Olha não me interessa como estou. Perguntei onde esta meu pai. ONDE ELE ESTA?! – Diz ele causando pressão e medo em Joy.
- Não sei se era seu pai, mas um homem te deixou aqui, você estava com leves queimaduras nas costas, alguns arranhões e um corte no queixo. Por sorte, tudo era simples. Enquanto eu higienizava tudo e passava uma pomada cicatrizante, ele se levantou, deu um beijo na sua testa e disse que o amava. Ele se retirou rapidamente e foi embora. Tentei impedi-lo, mas quando o procurei ele já não estava mais aqui. Sinto muito, mas seja lá quem esteve aqui, apenas lhe trouxe e foi embora sem dar noticias.
Kol muda sua expressão, ele fica triste outra vez e chora mais um pouco. Joy tenta se aproximar e neste momento o garoto volta para o quarto cheio de pensamentos sobre o ocorrido. O menino ficava confuso cada vez que tentava entender a situação. Por fim, Kol se deita novamente. Um barulho estranho é ouvido pelo garoto. Ele se concentra e esquece o dia por alguns segundos, percebendo que era sua barriga que estava roncando e fazendo barulho. O garoto olhou ao redor de seu quarto, notando um carrinho com algumas bandejas em cima. O menino abre as bandejas e come tudo que nelas havia, desde bolos, doces e biscoitos, a até uma refeição de jantar completa, tudo com muita fartura. Após algum comendo, ele se sente satisfeito e deita na maca branca novamente. O quarto todo branco, continha dentro apenas um carrinho de aço acinzentado para guardar refeições e uma pequena mesa com um jarro de flores em cima. A luz amarelada faz com que Kol fosse lentamente pegando no sono, e sem perceber o garoto dorme tranquilamente.
No dia seguinte bem cedo, o menino se levanta. Kol olha as horas e vê que ainda era bem cedo. o sol acabava de raiar e alguns Pokémons acordavam  e fazim barulhos estrondosos, acompanhados de outros nos estranhos que não provinham de Pokémons. O garoto sai novamente do quarto e vai até a Sala de Entrada. Era cedo e Joy estava lá, encantando o garoto com sua beleza. Logo ele volta a si e pergunta para a mulher um tanto abobado sobre suas a localização das coisas.
- É... Desculpe incomodar, mas onde estão minhas coisas? – Pergunta ele com doçura, ficando corado e mantendo em seus olhos um brilho admirável.
- Bom dia mocinho! – Diz Joy sorrindo, percebendo que o garoto se encantava com ela – Não é incomodo lhe ajudar não. Bem, venha comigo, vou conduzi-lo para a área onde estão seus pertences.
Joy sai delicadamente com Kol e o leva até uma salinha escura. Lá havia apenas uma lâmpada e muitos armários. Ela abre um dos armários e retira de lá as coisas do garoto, que estavam dentro da mochila. Joy fala com Kol e ele nem dava atenção, só se concentrava no dia anterior, a vontade de chorar e sair correndo não deixava Kol, porém ele conseguia repreender tudo. Seu pai havia sumido sem dar respostas, deixando um filho junto da mãe para se virarem e tentarem sobreviver. Durante anos kol ignorava tal assunto junto de sua mãe. O choque foi forte, afinal tudo que sabia sobre seu pai era que ele o abandonou junto de sua mãe por causa de uma mulher por quem se apaixonara. Era tudo que ele sabia sobre o homem, nada além disso. Os acontecimentos recentes foram como um soco em Kol, tudo parecia estar muito rápido, muito misterioso. Ele não se lembrava da vestimenta de seu pai e por algum motivo apenas o rosto do homem era recordado pelo menino. Aos poucos voltava em Kol à sensação do abraço de que por alguns instantes faziam ele se sentir protegido. Após alguns segundos Joy o chama, trazendo o garoto de volta para a vida real.
- Entendeu? Ei garoto!
- Ah sim, entendi. – responde ele sem nem saber com o que concordava.
- Então se troque e venha pega-los.
- Trocar o que e pegar quem?
- Ora, trocar suas roupas e pegar seus Pokémons!
- Nossa quem as lavou?
- Eu tive um tempo ontem e fiz esse favor. Quanto aos Pokémon...
Kol arregala seus olhos e dá um salto. Ele definitivamente voltou à realidade e se lembrou de seu bem maior: Froakie e os outros!
- AI NÃO! CADÊ O FROAKIE? CADÊ ELE? DIZ-ME, CADÊ ELE! ELE TÁ BEM?
- Calma... Olha, seja lá o que tiver acontecido com você, deixe apenas que o tempo resolva tudo. Você é jovem ainda e há um mundo grande por aí. Vá explorá-lo!!! Eu falei com você agora e seja lá o motivo da sua ignorância pelo menos por AGORA você deve voltar sua atenção para você mesmo e seus Pokémons.
Kol abaixa a cabeça alguns segundos. Ele olha freneticamente para Joy.
- Obrigado pelo conselho, mas onde está o Froakie? – Responde ele mais calmo.
- Troque de roupa e me siga ué! Propõe a doce mulher.
Joy sai da sala e Kol veste suas roupas. Ele coloca a blusa branca com o colete preto, veste sua calça vinho e calça seu único sapato preto com detalhes em vermelho. Kol ajeita seu cabelo e põe sua touca novamente, deixando sua franja jogada outra vez. Ele aproveita e pega sua escova de dente e sua pasta dental as depositando em seu bolso. Ele dobra as roupas do Centro Pokémon, abre a porta e as entrega a Joy. Joy o conduz a uma sala cheia de Pokémons. No fim da sala estavam Froakie, Audino e Chespin sentados. Froakie estava com aparência saudável e procurando algo. Chespin também estava bem, porém apresentava uma feição carente, estava bem cabisbaixo. Já Audino estava incrivelmente bem e ignorava a tudo a seu redor, principalmente Chespin. Kol sorri ao ver Froakie e seus outros amigos.
- Ei Froakie! Vem aqui lindo, estou com saudades! – Fala empolgado.
Ao ouvir aquilo Froakie sai disparado em direção a Kol, ele salta por cima de algumas macas e Pokémons. O pequeno para perto de seu treinador que o pega e o aperta muito. Chespin ao ver aquilo, desce da maca e vai correndo em direção ao treinador querendo ser pego também, enquanto Audino olha para Kol e faz cara feia. Chespin abraça a perna de Kol e não solta fácil. O menino nem percebia Chespin e seus movimentos, apenas continuava a apertar o pequenino sapinho azul. Chespin morde levemente a perna do menino, e dessa forma ele o percebe e o pega também.
- Seja bem vindo a equipe! – fala Kol sorrindo e beijando o rosto de Chespin.
- CHEEES! – Diz ele todo contente.
- FROOOO! – Grita Froakie feliz e cutucando o novo amigo.
- Ei Audino vem aqui! – Fala o menino ironicamente, sabendo que o mesmo não iria.
- Audino, Dino! – Audino fala sem animo algum, balançando sua cabeça, fazendo um sinal de não.
- Ah, fica aí então! – Diz Kol sem se importar.
Após alguns segundos, o menino pega as pokébolas e retorna Chespin e Audino para dentro. Antes de retornar Chespin, o garoto o abraça novamente e fala que agora ele é um dos amigos dele. Audino e Kol não trocam uma palavra, sendo que o garoto sorri para ele e este apenas faz um sinal com sua cabeça. Por fim Kol resolve deixar Froakie fora da pokébola. Ele agradece a Joy pelo serviço e se retira do Centro Pokémon. Quando estava saindo o garoto passa no quarto e recolhe a comida que la restava, e logo após tira a escova do bolso da calça e escova seus dentes. Ele a guarda e passa pela entrada indo embora. Bem a frente ele escuta Joy gritando com ele.
- Ei moço! Não se preocupe com o que houve ontem! Apesar de tudo lembra que o homem disse que te ama!
Kol sorri para Joy e acena indo embora do Centro Pokémon. Quando ele vira a esquina de onde estava o mesmo, ele vê carros e muitas pessoas. Assustado ele vê uma placa pregada ao poste.
“Cidade de Santalune”.
- Nossa, cheguei bem rápido! Ei Froakie, o que acha de irmos treinar amanhã? – fala ele para tentar esquecer o que houve no dia anterior.
- Froak! – Brada ele interessado no que seu treinador havia dito.
- Excelente, mas até lá, vamos dar umas voltas por aqui. Precisamos encontrar a casa da minha prima primeiro. Ela mora aqui a alguns meses... Isso se eu não estiver enganado. Preciso esfriar a cabeça sabe, esquecer um pouco de certas coisas! Descobrir coisas novas seria excelente não?!
- Froakie, Froak! – responde ele com empolgação.
- Bem, então vamos?! – Fala ele sorrindo e andando com Froakie.
Kol sai andando com Froakie ao seu lado, sem saber o que o esperava. A alguns metros dele estava o homem que o ajudara. Seu pai o observava a distância em outra esquina e com olhar astuto ele e Sylveon espreitavam o garoto.
- Bem Sylveon... Não vai demorar muito até que ele saiba. Até lá, é melhor eu não estar por perto para ver a desgraça acontecer!
- Siil!
O pai de Kol sorri junto de Sylveon. Eles saem se escondendo para não serem notados e de forma estranha ele desaparece em meio as pessoas que passavam pela calçada.

CONTINUA...
Administradores
avatar
Idade : 19
Data de inscrição : 16/01/2016
Número de Postagens : 91
Localização : MG

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Kol e a jornada em Kalos!
Cold' em Qua 20 Jan 2016, 19:56
Att
Administradores
avatar
Data de inscrição : 13/12/2015
Número de Postagens : 31

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Santalune City!
Kol Mikaelson em Qui 21 Jan 2016, 22:08
Já era manhã e Kol que acabava de sair de um apuro, passeava normalmente como se nada tivesse acontecido. Apesar de cedo, a cidade estava bem movimentada. Kol repara em tudo, desde as belas casas com um modelo um tanto rústico, a até mesmo os belos realces de flores e gramados bem aparados e verdes. O forte brilho do sol dava à pequena Cidade um clima de tranqüilidade. Apesar de não muito grande, Santalune tinha um beleza vinda do simples, do natural. Kol se encantava cada minuto por toda beleza natural que esta possuía e acaba se esquecendo de ir procurar sua prima. O garoto da várias voltas e logo encontra uma pracinha com um belíssimo chafariz em formato de uma Roselia. A pedra cinza jorrava água fortemente e algumas gotas se espalhavam devido a brisa do vento. Kol chega bem perto da mesma e respira fundo, encontrando paz em tudo aquilo. O garoto esquecera tudo que ali se passava. Ele ignorava os sons, os pensamentos, os outros... Ele se focava apenas nele e em sua paz. Cheio de calma ele solta os Pokémons para que também pudessem sentir tudo aquilo.
- Chespin e Audino saiam! Froakie vai lá também!
Froakie sai andando calmamente, era evidente que o Pokémon não se importava com natureza, mas sim só com o estado de Kol. O garoto joga suas pokébolas e delas saem um forte brilho azul que quando toma forma, se transforma em Chespin e Audino. Chespin se encanta com tudo aquilo, seus olhos brilhavam e se enchiam de lágrimas. Ele se deita no chão e fecha os mesmos. Kol sorri ao ver que seu amigo adorava tudo aquilo. Froakie se deita com ele enquanto Audino olhava com raiva para Kol.
- Audino... – Fala Audino estressado.
- Que foi? Não gosta daqui?
Audino dá as costas para Kol e o ignora. Kol raivoso chega perto de Audino e o sacode.
- Não te pedi para vir até aqui comigo! Se não fosse a mãe, você morreria de fome e sede! Sua arrogância o fez ser algo tão estúpido que tenho vergonha de dizer seu treinador! Porque não faz o favor de sumir daqui e não voltar mais? – Fala Kol gritando e perdendo sua calma.
Audino nem liga com o que o menino diz. Por algum motivo secreto, Kol e Audino não se davam bem. Kol solta Audino e fica vermelho de raiva enquanto Audino continuava o ignorando. De repente, podia se ouvir passos de alguém chegando ao local. Um rapaz bem magro aparece. Ele trajava uma blusa preta e short branco com sapatos cinza. Este trazia arrastado consigo um Ralts que chorava muito e apresentava alguns hematomas. O rapaz era moreno, aparentava não gostar muito de tudo aquilo que a cidade oferecia. Seus cabelos encaracolados mal balançavam com a brisa calma da praça. O garoto pisava com raiva na grama e chega perto de Kol diretamente falando.
- Ei menino!
- Eu?!
- É... Bem, vi que você não gosta de seu Audino.
- Bem não é gostar é que...
- Não me interessa o que é! Quer trocá-lo por esse lixo aqui? Olha seja direto não tenho tempo para perder. Daqui a pouco é o Torneio!
- Uê... Deixa-me ver que Pokémon é esse!



“Ralts. Ralts sente as emoções de pessoas utilizando os chifres em sua cabeça. Este Pokémon raramente aparece diante das pessoas. Mas quando isso acontecer, ele se aproxima, se ele detecta que a pessoa tem uma disposição positiva.”

- Nossa legal!
- Nada de interessante. Este lixo só serve para me dar trabalho. Ele é muito fresco, emotivo. Quero um coração de pedra como o desse rosinha aí!
Audino ficava quieto e interessado naquela conversa. Já Ralts se mantinha calado, sendo que Kol o achava extremamente bonito. Suas cores verdes, brancas e rosa o deixavam com uma aparência exuberante. Kol olha para Audino e faz uma cara de bravo. Após alguns segundos ele toma sua decisão.
- Olha eu não devia, mas eu quero sim!
- Ótimo! Até porque é um desperdício você com esse Pokémon. Deve ser só mais um treinadorzinho perdedor!
- Vamos realizar a troca, e após veremos quem é perdedor!
- Uma batalha aqui?
- Você entendeu bem!
Kol sorri para o menino. Ele entrega a Pokébola de Audino e o rival a Pokébola de Ralts. Ambos retornam seus Pokémons e rapidamente se afastam.
- Me chamo Pedro... E não perco meu tempo com seres insignificantes como você!
O menino pega sua Pokébola e a atira!
- Que coisa estranha é essa? – Diz Kol desentendido! – Vamos ver o que é isso!



“Shinx. A extensão e contração de seus músculos geram eletricidade. Ele brilha quando está em dificuldades.”


- Um elétrico?! Gostei! Vem aqui Chespin!
Chespin ao ouvir aquilo sai correndo até Kol junto de Froakie. O menino retorna o sapinho azul para Pokébola, afinal assim teria uma batalha mais tranquila.  Chespin entende que era uma a situação. Ele se posiciona e se assusta com o rosto de Shinx. Shinx possuía um forte contraste, com suas cores principais em azul e preto, o fazendo parecer um leãozinho em crescimento.
- É serio?! Chespin?! – Fala Pedro gargalhando de Kol – Escolha certa para perder!
- Vamos ver só! – Fala Kol
- Shinx, use a Presa de Fogo!
A boca do Pokémon se enche de um fogo brilhante e vermelho. Shinx sai correndo em direção a Chespin e logo Kol reage.
- Use seu Chicote de Vinha para pegar impulso no chão e saltar!
Os verdes e fortes chicotes saem de Chespin e atingem o chão o impulsionando para saltar. Shinx para de correr, afinal não havia um alvo ali.
- Chespin, Rosnar!
Chespin rosna e Shinx nem se mexe, não dando importância para aquilo.
- Shinx, vamos dar a ele uma boa lição! Lança seu Trovão!
O pequeno Pokémon se eletriza por ondas que passam rapidamente por seu corpo e como efeito de tal, ele se contrai um pouco e de si sai um raio dourado e quase incandescente! O raio acerta Chespin no ar. Chespin vai ao chão e treme com o golpe. Ele sacode sua cabeça após receber o dano do mesmo.
- Chespin Investida!
- Shinx evasiva!
Shinx esquiva da Investida e Chespin para de costas para ele. Conforme batalhavam, o gramado ia ficando marcado e alguns estilhaços de grama voavam por toda praça.
- Shinx Presa de Fogo!
- Espere-o a aproximação dele e agarre-o usando Chicote de Vinha!
Shinx da um salto e acumula novamente fogo em sua boca. Apesar de pequeno, ele era elegante e muito rápido. Quando este estava perto de Chespin, o pequeno lança seus chicotes e agarra Shinx pelo pescoço.
- Leve-o para cima e depois jogue esta coisinha no chão!
Chespin rapidamente leva seus chicotes para cima e com dificuldade faz como ordenado. O impacto marca o gramado verde, deixandocom aspecto de usado e velho . Shinx se levanta mostrando ter sentido um pouco o golpe.
- Shinx, não se abale com pouca coisa! Investida!
- Chespin Rosnar e depois use o Chicote de Vinha como impulso para ir para o ar!
Chespin rosna e usando os chicotes ele vai para o alto novamente!
- Isso! Era o que eu queria! Shinx salte e morda os chicotes usando Presa de Gelo!
Enquanto seu treinador cantava vitória, Shinx morde os chicotes antes que Chespin os recolhesse. A Presa de Gelo congela o chicote. Chespin fica pesado devido ao gelo e vai ao chão rapidamente.
- Aproveite que ele caiu e use Presa de Fogo!
Shinx corre e morde o braço de Chespin, ateando fogo no braço do pequeno. Chespin grita devido à efetividade dos dois ataques e com os olhos cheios de lágrimas ele se levanta rapidamente e corre de um lado para o outro.
- Não se desespere amigo!
- Você perdeu...  Vai Shinx acaba com isso usando Trovão!
Chespin ficava continuava correndo de um lado para outro. Seu braço continuava sendo queimado por uma chama que se mantinha sobre ele. Kol ficava calado, esperando que alguma ideia fizesse com que seu amigo se salvasse dessa. Shinx lança seu raio dourado, porém a correria de Chespin de um lado para o outro fez com que ele errasse o alvo.
- Chespin pule na fonte! – Fala Kol confiante!
Chespin salta na fonte e o fogo se extingue de seu braço. O Pokémon fica todo molhado e Pedro se alegra com aquilo.
- Ei, use o Trovão na fonte!
- Anão, me esqueci das leis de condução – Fala Kol coçando sua cabeça – Chespin sai daí e use o Rosnar!
Chespin salta para fora da fonte rosnando.  Quase que de imediato o raio que saia de Shinx acerta a água da fonte a tornando eletrizada.
- Foi por pouco... – Fala Kol com ar de astúcia.
- Pouco será a duração dessa batalha! Presa de Gelo Shinx!
- Deixe que ele te acerte Chespin!
Chespin olha estranhamente para Kol, e quando ele ia recuar para esquivar, o pequeno obedece Kol e se mantém parado. Shinx fica com um brilho azulado em sua boca e morde a perna de seu rival. Aos poucos o brilho se torna gelo e começa a se espalhar sobre Chespin. O Pokémon agoniza de dor e espera os comandos de seu amigo. Apesar de efetivo, o golpe ficara mais fraco devido aos Rosnados de Chespin. O gelo era brilhante e mais parecia um diamante! Shinx continuava a morder fortemente Chespin até que Kol sorri ironicamente.
- Acho que seu feitiço se voltou contra você! – Fala Kol sorrindo.
- Não estou entendendo... – Diz Pedro.
Kol ri da situação e deixa de lado o rival. Logo ele muda a situação.
- Chespin, Use o Chicote de Vinha e agarre Shinx!
- Como assim?! – Fala Pedro sorrindo desentendido.
Chespin agarra Shinx e Kol aponta para fonte. A água de lá continuava eletrizada e alguns raios dourados estalavam nela. Chespin entende o treinador e eleva com dificuldade seu chicote até a fonte.
- Não vai mesmo! Shinx Trovão!
- Seja rápido Chespin!
Chespin já estava quase derrotado e sem forças. Ele não conseguia usar de sua força para lançar o adversário na fonte, já que além de golpeado diversas vezes, um de seus chicotes estava meio endurecido devido ao ataque do adversário. Shinx se eletriza e Chespin usa do restante de suas forças e estica velozmente suas vinhas até a fonte e solta Shinx. Naquele momento Shinx libera a descarga elétrica enquanto caia dentro da água. A condução ocorre e a água que já estava eletrizada ganha ainda mais poder. Um brilho esplendido toma conta do lugar, o poder do mesmo era tamanho que os garotos tiveram de fechar seus olhos devido à forte luz que fora emanada. Após alguns segundos Shinx aparece na água caído dentro da mesma e somente com um dos olhos abertos. O Pokémon mal conseguia se manter de pé. Até para um tipo elétrico como ele a descarga fora muito forte.
- Shinx, deixa de ser fracote! Sai já daí e use a Investida. – Fala Pedro irritado
- Vou lhe poupar o trabalho... Acaba com isso Chespin!
Shinx sai com dificuldade da água. Um pouco fraco Shinx corre cambaleando para tentar acertar Chespin. Chespin também mal se mantinha de pé.
- É tudo ou nada! – Fala Kol – Chespin faça o que for possível para acertá-lo! Contra ataque com Investida!
Chespin estava com sua perna congelada e não consegue se mover. Shinx fica próximo ao alvo e tenta acertar a Investida nele. Em um ato de inteligência, Chespin se joga ao chão e Shinx investe no nada.
- Chespin, Chicote de Vinha!
- Shinx Presa de Fogo!
Chespin lança seus Chicotes e agarra Shinx o levantando. Shinx morde a outra vinha e o fogo se espalha por ela rapidamente. Chespin agoniza e lança Shinx para frente sem saber o rumo que iria o adversário. O fogo vai se alastrando e chega ao corpo do Pokémon que fica gritando no chão. Quando Pedro achava que a vitória era sua, ele percebe que Shinx fora arremessado novamente contra a fonte. O corpo eletrizado de Shinx entra em contato com a água e o pobre Pokémon libera outra carga, porém dessa vez sem consciência do que estava fazendo. Desta vez a água gera um brilho mais fraco, porém quando este se apaga, podia-se notar Shinx nocauteado dentro da água. Kol aponta para Pedro e começa a pular e zombar do garoto.
- É ENGOLE ESSSA! EU GANHEI SEU ARROGANTE IDIOTA! – Brada Kol zombando de Pedro.
- Isso não vai ficar assim! – Pedro retorna Shinx e sai apressadamente do local!
-Após alguns segundos, quando Kol ia parabenizar Chespin, ele nota que o mesmo havia desmaiado. Rapidamente ele retorna Chespin e sai correndo para o Centro Pokémon.
- Realmente tudo tem um preço! – Fala o garoto saindo apressado da praça.
Como um passe de mágica, Pedro e Kol deixam a pracinha, indo cada um para lados diferentes, porém com a mesma pressa.
Um tempo depois...
- Aqui está seu Chespin e seu Ralts! Não é da minha conta, mas Ralts estava todo marcado. O que houve?
- Obrigado Joy! Bem, não sei exatamente... Eu troquei o Audino no Ralts!
- De qualquer forma, cuide bem dele! A propósito vejo que você esta melhor!
- Sim... Olha vou indo, tchau! – Diz Kol fugindo do assunto.
- Ei espera... Tome isso!
Joy entrega a Kol as Pokébolas e após isso um cartão. Kol lê as escritas do mesmo e se interessa no assunto.

Torneio Pokémon: Dupla Dinâmica!
              Local: Praça Centrall


- É uma boa oportunidade para treinar seus amiguinhos!
- Após as palavras de Joy, Kol sai rapidamente do Centro Pokémon.
- Preciso encontrar minha prima... E depois, participar deste torneio!
O Garoto aperta seu cartão, e sai em disparada buscando pela prima.
CONTINUA...
Administradores
avatar
Idade : 19
Data de inscrição : 16/01/2016
Número de Postagens : 91
Localização : MG

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Kol e a jornada em Kalos!
Cold' em Qui 21 Jan 2016, 22:34
--Válido--



Nota do treinamento: 03 estrelas


-Gostei de seu texto, principalmente aos detalhes que você adicionou, eles dão um charme a mais e situam melhor o leitor


-Mesmo seu texto sendo bem escrito, senti uma grande falta de beleza nele, você deveria tentar edita-lo melhor,e até mesmo usar um template.


-Alguns erros de português apareceram, poucos, mas tente melhorar neste aspecto


-Gostei de sua batalha, achei que você soube descrever bem os ataques sem faze-los ficarem repetitivos.


-Você chegou muito perto de um 4, mas principalmente devido as pendências estéticas ficou com um 3 dessa vez.
Administradores
avatar
Data de inscrição : 13/12/2015
Número de Postagens : 31

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Kol e a jornada em Kalos!
Kol Mikaelson em Sex 22 Jan 2016, 21:38


KOL E A JORNADA EM KALOS


post: 000 ▬ tags:- ▬ escutando: - ▬ local:- ▬ vestindo:-

Divergências em Santalune!

A tarde ia caindo e Kol continuava a procurar sua prima por aí. Ele não a encontrara de forma de forma alguma. O sol estava forte e gerava um calor imenso. As cores simples da cidade ficavam avermelhadas devido ao calor. Kol suava muito, e mesmo com calor ele não tirava sua touca por nada. O garoto andava sozinho sem seu Pokémon o acompanhando. Kol preferiria ficar sozinho, assim poderia ser rápido em sua procura. Já fazia algumas horas que ele andava e nada de encontrar casa alguma que lembrasse a de sua prima. O garoto passava pelas mesmas ruas e não encontrava nada! Cansado ele pensa em desistir, afinal além de tudo, ele estava apenas com o café da manhã como refeição do dia.
- Aí cansei... Preciso almoçar essa vida de Treinador não é fácil!
- Mas é divertida né! – fala uma garota que estava de pé na porta de uma casa.
- Divertida porque você não vive ela! Lgealzinha é a palavra certa...
- Ora vamos mudar isso então! Entra aqui e vamos conversar Nikolas.
O garoto fica pasmado, ele estava de frente para uma garota que sabia seu nome verdadeiro.
- Como você...
- Ah para Kol! Você não ta reconhecendo sua prima?! – a garota da alguns risos- Minha mãe lhe viu e disse que você estava vindo para cá. Ela acabou de ligar!
A garota sorri e logo eles entram em uma pequena casa de cor azul, enfeitada por alguns arbustos na entrada e grandes janelas de vidro bem escuro. O telhado dava a pequena moradia um ar de frescura. Kol chega perto de sua prima rapidamente e por um tempo admira a beleza da mesma. A garota tinha olhos verdes e uma pele morena bem clara dando realce aos seus cabelos pretos, que se mantinham lisos até na metade do fio e daí para frente tomavam forma de belos cachos, sem mencionar seu belo corpo e sua roupa que valorizava o mesmo. A garota usava uma blusa cinza que ia até a metade de sua barriga o restante descoberto e para completar usava uma saia preta a um palmo acima de seus joelhos. Ela era linda e Kol mal piscava ao olhar para ela! Após alguns minutos de encanto eles adentram a casa. Por dentro havia uma sala, 2 quartos e uma cozinha. Havia vários eletrodomésticos e objetos interessantes. No sofá roxo se encontrava uma mochila toda preta com um saco de dormir também preto.
- Ei Isadora, aquela mochila ali é para o que estou pensando?
- Sim! Mamãe te viu aqui na cidade e veio me avisar que estava aqui. Arrumei minhas coisas e resolvi ir com você!
- E se eu não deixar? – Fala o garoto sorrindo.
- Vou mesmo assim, você deixando ou não!
Isadora sorri de volta para Kol mostrando que eles tinham um relacionamento agradável. Curioso, após alguns minutos Kol pergunta algo a Isadora.
- Isa, onde está sua mãe?
- Olha Kol não sei, ela simples temente te viu e saiu após alguns minutos, mas se for por causa do almoço que esta perguntando, eu fiz e ficou ótimo! Quer ir provar?
- Bem... Vou me arriscar!
- Você continua engraçadinho ein!
Os primos sorriem um para o outro e logo após saem para a cozinha na intenção de almoçarem. Enquanto isso na Floresta de Santalune algo peculiar acontecia.
- Pouse ali Mega Pidgeot!
- Pidgeooot!
Uma bela mulher loira estava montada em um Pidgeot. Ela usava um vestido preto que lhe cobria até os joelhos, usando também sapatos de salto preto com detalhes em dourado. Seus olhos verdes marcavam sua beleza, que apesar de ser mais velha, ainda lhe rendia muitos suspiros. O grande Pidgeot aumenta a velocidade e a mulher se segura neste. Um grande rastro de vento é deixado para trás e em um piscar de olhos ela e o Pokémon estavam dentro da floresta sem um arranhão. Era incrível tal feito, afinal a floresta era coberta de árvores. A mulher desce do Pokémon e admira um pouco a beleza do lugar. Era tudo perfeitamente tranquilo e belo. O gramado verde, as flores coloridas, as árvores, tudo lhe encantava.
- Vejo que gosta daqui! – Diz um homem alto com uma voz suave.
- Você sabe que amo a natureza... Chega ser um amor maior que o que tenho por você! – fala ela ironicamente.
- Que isso Mary... Não diga isto novamente, ou sabe lá o que farei!
O homem abraça a mulher e a dá um beijo. Após alguns minutos de reencontro eles iniciam um dialogo fervoroso. O homem tinha cabelos escuros e portava uma barba cerrada em seu rosto. Forte e definido ele sorria quase sempre que olhava para mulher. Os seus olhos eram castanho escuro, que combinava com sua blusa preta e sua calça branca. Fechando o traje, ele calçava sapatos sociais pretos.
- Você trocou de roupa Nick?
- Troquei...
- Deve ser importante para você ter até se trocado! Diga o que quer meu amor.
- É Nikolas. Ele esta na cidade!
- Eu sei... Mas é coisa temporária! Eu o vi mais cedo, creio que estava procurando a Isadora.
- Isso não é bom Mary. Eles não podem saber que...
- Calado Nick! Eles não saberão de nada. E mais, a Isadora vai viajar com ele, a besta quer fazer parte desse mundo de treinadores e todo esse papo de bem maior e tal.
- Está só piorando. Mas enfim, não vim aqui para dizer que Nikolas está aqui, mas sim alertar que devemos ir embora. Eu tive de socorrê-lo de um ataque Pokémon.
- Olha que coração mole – fala a mulher em tom de ironia – Chega a ser bonito vindo de você!
- Você não entendeu não é mesmo?! Vamos embora hoje, eu e você!
O tom de voz do casal começa alterar, e dali para frente eles começam a demonstrar o que realmente sentiam e quem realmente eram.
- Homem nenhum me manda seu patife! Por mais que aquela garota e eu não somos tão legítimas como parece, eu continuo gostando dela!
- Pare de ser emotiva! Vamos sair sim! Não banque a boazinha agora Mary. Você sempre maltratou Isadora, sempre usou da pobrezinha. Você só soube usá-la como sua gata borralheira.
- Mais que petulância! Fiz um favor para você e simplesmente você age como se tudo isso fosse um nada?! Olha cansei de ser a pau mandando. Não vou embora, não vou sair daquele inferno de cidade e muito menos deixar a Isadora sozinha com Nikolas. Mudei minhas rotas querido, a partir de hoje é cada um por si, afinal não daremos certo nunca!
- Sua vadi...
- Termine de dizer esta palavra e arranco seus olhos! – Fala a mulher já nervosa.
- Você vai sair daqui sim, caso contrário te levo a força!
- Olha Nick eu CANSEI! Cansei de ser sua empregadinha, de ser a mulher de um bandido mentiroso que só soube arrancar tristeza de mim. Vai e some!
Nick agarra a mulher pelo braço e a sai arrastando, alegando que levaria a mesma embora.
- Me solta seu lixo!
- Ou você vai por amor ou pela dor!
- Talvez seja você que precise sentir ir pela dor! Mega Pidgeot use o Tóxico nesse homem burro!
Pidgeot bate suas asas e de seu bico sai uma rajada roxa e pegajosa que vai rumo ao homem. Quando o Pokémon estava próximo de acertar, um raio esverdeado extingue seu ataque. Após alguns segundos uma serpente de aço gigantesca passa por cima de Nick e Mary e para de frente com Mega Pidgeot.
- Você acha que esse passarinho vai me machucar?! Retorne ele para a Pokébola imediatamente ou eu mesmo o farei!
- Nunca! Pidgeot use o Furacão!
- Eu avisei... Não deixe Steelix! Presa Trovão!
Pidgeot começa a bater suas asas e quando toma impulso para começar o ataque, o rival chega e o morde gerando uma luz dourada fortíssima que parecia nunca se acabar! Uma brisa forte se ecoa pelo lugar balançando as árvores e lançando ao chão o casal que ali estava.
- Pidgeot não!
- Eu avisei, eu avisei... Agora, tira um soninho! – Quando Nick diz isso ele retira de seu bolso uma seringa e a aplica em Mary.
- Desgraçado... – diz a mulher desmaiando.
Mary havera desmaiado nos braços de seu ex-amado. Após alguns minutos a forte luz desaparecera e Mega Pidgeot voltava a ser um Pokémon comum. O ataque de Mega Steelix fora tão eficaz que o rival fora nocauteado imediatamente. Mega Steelix era horrível, porém os cristais anexados em seu corpo diminuam a sua horrível aparência. Pidgeot ficara jogado ao chão, mal sabia ele o que havia acontecido. Nick pega a Pokébola do pássaro de Mary e o retorna, logo após ele retorna Steelix também. Ele pega a mulher e a pendura em suas costas. Após algumas horas de caminhada na confusa floresta, podia-se notar um homem travessando algumas árvores com uma mulher nas costas. Do outro lado após a travessia, havia um helicóptero preto ficava em um campo verde e quase nem nada para deixá-lo mais belo. O majestoso veículo era preto com detalhes em vermelho. Ele coloca a mulher lá dentro, o liga e sai com o mesmo. O sorriso do homem o condenava e ninguém sabia o que ocorreria com Mary a partir daquele momento.
Após algumas horas...
- Primo acorda... Por favor, acorda! – Falava Isa desesperada.
Kol estava dormindo no sofá, após seu longo almoço ele descansava no mesmo. Isa o sacudia bem forte e logo ele acorda um pouco assustado.
- O que foi Isadora?
- Nikolas... – Diz a garota entristecida- Vamos ir agora viajar.
- Não uê, ainda ta meio cedo. Agora que são 15:00 uai, o sol ta muito forte neste horário.
- Você não entende... – diz a garota cabisbaixa.
- O que foi florzinha?
- Olha serei direta. Mamãe e  eu nunca nos demos bem sabe... Ela me chamava de indigna, deserdada e por aí vai.
- Normal, minha mãe também é assim!
- Calma Kol... Bem o principal não é isso. Recebi uma mensagem dela dizendo que tenho 4 horas para sair daqui e que ela foi embora. Disse que não consegue ficar rodeada por algo tão repugnante como eu e que se eu não saísse haveria conseqüências... Eu sou tão ruim assim?!
- Não é... Venha comigo prima, já que é para sair, vamos agora! Nossa família nos odeia nos julga como se fossemos dois estranhos.
- Eu vou com você mais é difícil lidar com tudo isso. Aquela mulher é louca...
- Eu sei como é, mas o segredo é reconhecer que o verdadeiro consentimento sobre você, quem o faz é o seu eu! Você é o que quer ser... Quanto ao resto deixe que o tempo melhore através de experiências. A jornada é boa forma de aprender a lidar com seus problemas sozinhos e assim evoluir!
O garoto abraça a prima e logo após pega sua mochila e a da garota. Calmamente ele se levanta do sofá acenando para irem embora naquele momento. Logo eles saem da casa calmamente, em busca de um novo destino. Quando tudo estava consumado, Kol se lembra do Torneio.
- Ei prima, tem um torneio aqui hoje certo?
- Sim... Você quer ir?
- Se tiver como, NÓS iremos!
Kol abraça a menina que apesar de triste, demonstrava ser bem forte, afinal não chorou em momento algum. Depois de um tempo ela sai correndo em rumo à praça e o menino vai atrás dela a acompanhando.
Enquanto isso...
- Ai minha cabeça... Ai não! Pidgeot!
Mary acordara em uma sela toda branca, sem nenhum detalhe. Em sua frente estava seu Pokémon enjaulado, preso por barras de cor branca. A mulher se sente agredida por algum tempo. Não havia janela naquela sala, nem porta, apenas o branco vazio e sem vida. Ela tenta se levantar e vê correntes brancas presas em seus punhos e pés. Depois de alguns minutos ela se lembra do que houve e o se da conta que era refém de seu ex-amor. Desesperada e em choque, ela rapidamente desmaia, entrando em um processo de crise. Após alguns minutos, uma fumaça esbranquiçada aparece na sela e transforma o desmaio em um sono profundo.
- Durma bem anjinho... Precisarei de você mais tarde! – Diz Nick sorrindo para a sala onde estava a mulher.
CONTINUA...

thanks, clumsy @ sa!
Administradores
avatar
Idade : 19
Data de inscrição : 16/01/2016
Número de Postagens : 91
Localização : MG

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Kol e a jornada em Kalos!
Cold' em Sex 22 Jan 2016, 22:07
Continuação de história:


Nota: 2 estrelas


-Percebi um aumento do número de erros de português no seu texto em relação a sua última postagem


-História envolvente e cativante


-Gostei do seu texto, principalmente seu interesse em descrever detalhadamente cenários e ações 
Administradores
avatar
Data de inscrição : 13/12/2015
Número de Postagens : 31

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Kol e a jornada em Kalos!
Kol Mikaelson em Sab 23 Jan 2016, 14:42


KOL E A JORNADA EM KALOS


post: 000 ▬ tags:- ▬ escutando: - ▬ local:- ▬ vestindo:-

O Torneio Dinâmico part. 1

A tarde caia de forma suave sobre a Cidade de Santalune. Apesar de tranquila, várias pessoas passavam apressadas para a praça. Gente grande, pequena, com os mais diversos cabelos e Pokémons, todos indo participar e ver o Torneio. Enquanto alguns iam caminhando e outros correndo, Kol e Isa se mantinham calmos na fila de espera. Isa ficava um pouco perturbada, estava tudo muito rápido para ela. Uma hora estava sendo expulsa de casa, e outra hora já estava sendo participante de um torneio. Já Kol nem ligava com tudo que Santalune lhe trouxe, tudo que ele queria era batalhar e treinar seus Pokémons através do Torneio. A praça estava irreconhecível! Estacas foram colocadas aos cantos da praça e nelas foram passadas bandeirinhas de todas as cores! Os bancos foram enfeitados com laços, o chafariz fora coberto de flores vermelhas e para finalizar fora cercada uma área onde ocorreria a batalha e de onde as pessoas poderiam assistir. Tudo aquilo, combinado ao charme natural da praça, transformava a mesma em um ambiente festivo e ao mesmo tempo perfeito. A grande fila ficava na entrada da praça, sendo que Kol e Isa eram os próximos. A mulher que fazia as inscrições era a enfermeira Joy, que ficava sentada em uma cadeira preta e uma mesa combinando.
- Olá garoto! - Diz Joy sorrindo.
- Nos encontramos novamente! – Fala Kol levantando uma de suas sobrancelhas.
- Sim, realmente. Mas o propósito para agora é fazer sua inscrição, sendo que estas já estão quase se esgotando! – fala Joy surpresa ao olhar seu formulário – Preciso do seu nome, e os Pokémons que vai usar.
Kol faz cara feia, ele sabia que não poderia usar seu apelido.
- Nikolas Junior Mikaelson e vou usar Chespin, Froakie e Ralts.
- Certo – fala ela escrevendo no papel as informações – Agora vem às regras! O Torneio será de batalha em dupla, sendo que serão 4 fases eliminatórias: a inicial, decisiva, semi-final e final. As vagas são limitadas então, na segunda rodada haverá participantes suficientes para acontecer uma final. Boa sorte e quanto ao terceiro Pokémon ele só poderá ser usado na ultima rodada, ou seja, na final.
Após pegar sua ficha, Kol vai para outra fila esperar sua vez de batalhar. Um pequeno notebook já ia iniciando os andamentos do cadastro final para sortear quem lutaria contra quem. Isa passa pela fila também, ansiosa e duvidosa para participar. Apesar de não ter contado, Isadora já tinham Pokémons e sua jornada fora iniciada há um tempo. A garota escolhera Sinnoh, porém sua mãe há buscou um mês depois da decisão da menina e tudo que ela trouxe de lá foram 2 pokémons e o seu terceiro ela pegou em Kalos e mesmo assim, sua mãe tentara a obrigar abandonar todos 3.
- Seu nome, por favor!
- Isadora Nikoly Mikaelson.
- Pokémons que vai usar!
- Turtwig, Gible e Vivilion.
- Ceto as regras são...
Joy explicava as regras para a garota e após um tempo, quando Isadora sai, ela informa que as vagas se esgotaram. A fila se desmancha e se torna um público interessado em ver as batalhas dali. Após um tempo, um moço de pele bem clara se apresentava lá. Ele possuía um cabelo castanho bem claro e arrepiado, acompanhados de um belíssimo par de olhos azuis claros. Ele usava uma roupa extremamente bonita, sendo esta, uma blusa social branca com detalhes em preta, uma calça preta justa e um sapato de cano alto cinza. As pessoas ficavam o olhando onde quer que ele passasse. Isadora ficava admirada com ele. Ele foi até uma mesa pegou um microfone e deu inicio ao torneio.
- Sejam bem vindos ao Torneio Dupla Dinâmica de Santalune! Vocês já sabem quem sou não é mesmo?!
Nessa hora ouviam-se os berros de muita gente, que gritavam sem parar o nome Cold.
- Sou Cold, um conhecido Mestre Pokémon e Monotreinador de Pokémons normais!
Ele joga uma Pokébola e dela sai uma Teddiursa.
- Bem vamos começar! – fala ele todo empolgado – a primeira batalha será de...
Neste momento o notebook realizava o sorteio dos participantes.
- Isadora contra Alice!
Isadora se dirige a área cercada para batalhar, Do outro lado estava uma bela menina loira que usava um macacão todo estampado. Com um ar de metida, ela joga suas Pokébolas e logo após Isa também.
- Bunnelby, Buneary vão!
- Turtwig e Vivilion vão!
Todos vibram com a escolha das garotas. Após algum tempo Alice da o primeiro comando.
- Vamos mostrar para essa pé rachado quem é melhor!
- Quero ver!
O Bunnelby nada mais era que um coelho acinzentado e bem fofinho, já Buneary apresentava uma coloração amarronzada e seu pelo era rosado. De imediato a garota saca a Pokédex.



“Bunnelby, eles usam suas grandes orelhas para cavar tocas.”

Logo ela aponta para Buneary.



“Buneary, seus ouvidos estão sempre enrolados. Eles podem ser vigorosamente estendidos para quebrar até mesmo um grande pedregulho.”

- Ótima escolha ela fez... – Fala Cold admirado.
O Turtwig era verde com uma pequena carapaça marrom, já Vivilion apresentava coloração diferente, sendo que suas asas eram verde clara com detalhes em branco, vermelho e amarelo. Após um tempo de apreciação das duas, logo com o sinal de Cold elas começam.
- Garotas... Arrasem! – Fala Cold dando uma piscadinha e levando a galera a loucura!
- Ótimo Buneary use Endurecer e Bunnelby ataque o Turtwig com Super Mordida!
Buneary é banhada com uma luz e fica intacta, enquanto Bunnleby vai correndo com sua boca aberta dando destque para seus dentes que brilhava intensamente. Quando ele se aproxima de Turtwig, Isadora mostra saber e entender de batalha melhor que Kol.
- Vira a carapaça Turtwig e use Absorver. Quanto a você Vivilion, use Super Sônico na Buneary já que ela esta endurecida. – Isadora era fria nas batalhas e mal sorria.
Quando Bunnelby foi morder Turtwig ele se virou e o adversário mordeu sua carapaça resultando em pouco dano para ele. Rapidamente Bunnelby começa a brilha e Turtwig absorve o brilho que vinha dele. Logo após Vivilion emite ondas de som que deixam Buneary confusa.
- Não é possível! Vocês vão ver... Bunnelby use o Terremoto direcionado para Turtwig! – fala a garota suando frio – Buneary volte ao normal! – Fala ela desesperada!
Buneary continuava ficava rodando no mesmo lugar sem ligar para todo o ocorrido. Já Bunnelby concentrava brilho em seus pés e logo após o bateu ao chão gerando um tremor e uma rachadura que foram rumo a Turtwig. Logo a rachadura cria uma pequena fissura que Turtwig prende a perna.
- Você é patética Alice. Vivilion use Dia Ensolarado!
Uma bola de luz sai de Vivilion e rapidamente ela explode no céu gerando um brilho maravilhoso. Na platéia Kol ficava admirado com a precisão que Isadora tinha. Após tal feito o sol ficava intensamente forte.
- Turtwig apenas saia daí. – Fala ela decidida.
Naquele momento a Buneary volta si.
- Vou lhe ensinar como as coisas funcionam! Hora de combinar! Buneary Raio de Gelo e Bunnelby Olhar malicioso.
Os olhos de Bunnelby ficavam avermelhados deixando Vivilion e Tutwig assustados. Buneary da alguns saltos e ela mira nos adversários e lança seu raio.
- Desviem! – Fala Isadora.
Com uma velocidade incrível eles desviam sendo que Turtwig conseguiu retirar sua perna da fissura.
- Muito bem! Deem um fim nisso. E Alice preste atenção no que é combinação! Vivilion e Turtwig usem Raio Solar!
Devido ao forte sol eles acumulam luz rapidamente. Turtwig abre sua boca e em um piscar de olhos uma esfera de luz prateada se forma e logo após as asas de Vivilion acumulam uma luz da mesma cor. Ambos Pokémon soltam um raio de poder tremendo em direção aos adversários. Os pokémons tentam desviar, porém já era tarde. Ao final de tudo uma luz fortíssima toma conta do lugar e após alguns segundos a mesma some. Quando Cold olha para o local da batalha, ambos Pokémons de Alice foram derrotados.
-Sinto muito Alice, mas a vencedora é Isadora! E que bela vitória!
- Sua garotinha besta! – fala Alice.
- Como o raio dos meus Pokémons, eu simplesmente brilhei! – fala Isadora abraçando Vivilion e Turtwig.
Após a vitória de Isadora batalham Pedro e outro garoto tendo Pedro como vitorioso. Mais treinadores batalham resultando em mais campeões. Kol ficava cada vez mais nervoso sendo que finalmente o último a batalhar era ele.
- Muito bem, Nikolas e Herry chegaram à vez de vocês!
Nikolas solta seus Pokémons junto de Harry.
- Froakie, Chespin vão!
- Fletchling, Duskull vão!
Logo Kol saca a pokédex:


”Duskull, Ele prossegue a sua presa onde quer que ela vá.”


“Fletchling, estes simpáticos Pokémon, enviam sinais a outros através de sons e movimentos belos.”

- Certo!
- Comessem rapazes! – fala Cold.
- Duskull Labareda, Fletching Rajada de vento sobre as Labaredas!
Ao redor de Duskull aparecem chamas azuladas sinistras. Ele as lança no adversário e quando elas recebem a rajada de vento vinda de Fletchling, as mesmas se transformam em um fogo azulado que ia rapidamente rumo aos outros Pokémons.
- Anão vai ser muito crítico! – fala Kol em prantos- amigos desviem!
Froakie ia tentar desviar até que Chespin faz uma cara de confiante e puxa o pequeno amigo para atrás de si.
- Chespin sai dai!
Chespin se concentra e uma luz se forma ao redor de seu corpo tomando a forma de dói anéis de saturno. Logo o brilho desaparece e forma pequenas rochas pontiagudas de cor cinza.
- O ataque Obelisco?! Esplêndido! – fala Cold.
Kol ouviu o nome que Cold dissera e logo da sinal para Chespin. O Pokémon lança as rochas quando as chamas estavam prestes a acertá-lo. As chamas se extinguem e as pedras continuavam seu curso, porém dessa vez estavam cheias de fogo. Tal golpe acerta em cheio o pequeno Duskull.
- Mais que absurdo! – fala Herry – Não sabe as capacidades do próprio Pokémon! É mais idiota do que julguei! Duskull tente chegar perto de Froakie e use a Esfera das Sombras! Fletchling use Lâminas de Vento no Chespin!
Duskull desaparece da vista de todos enquanto Fletchling lança o ataque.
- Desvie Chespin!
Chespin desvia das primeiras lâminas saltando, porém as segundas o acertam em cheio lhe causando um grande dano. Froakie procurava Duskull e não conseguia encontrá-lo de forma alguma. Duskull aparece em cima de Froakie e lança o seu ataque que gera uma explosão de cor roxa. Logo que a fumaça some, pode-se notar que Froakie estava caído de bruços. Após algum tempo Froakie e Chespin se levantam.
- Chespin dê impulso ao Froakie e em seguida Froakie use o socar!
- Besta... Rajada de Vento com Labareda! – Fala Herry.
Froakie salta e pega impulso em Chespin. Logo após Duskull lança a Labareda combinada à Rajada de Vento.
- Froakie use Bolha girando!
Froakie desisti de socar e girando no ar usando o bolha fazendo com que as chamas fossem retidas.
- Chespin pegue-o com seus Chicotes de Vinha e após isso Obelisco no Fletchling!
- Duskull não deixe que ele pegue o Froakie! Raio da Confusão agora!
Quando Chespin agarra Froakie, um raio colorido sai dos olhos de Duskull, logo ele acerta Froakie. Froakie fica louco e quando Chespin o retorna para o chão ele sai correndo loucamente enquanto da alguns saltos e socos no chão. A distração foi tanta que Chespin não usou seu ataque.
- Lâminas de Vento no Chespin agora que ele esta distraído!
As asas de Fletchling emanam um forte brilho e logo após isso saem lâminas brilhantes feitas de ar, que acertam novamente Chespin.
- Droga... Já sei! Chespin agarre o Froakie!
Chespin usa o chicote e pega seu amigo.
- Ótimo! Agora acabou! Duskull Esfera das Sombras!
Duskull forma uma esfera de cor roxa e lança-a em Froakie.
- Use os chicotes para desviar Froakie e lance ele em Duskull!
Chespin leva Froakie para a esquerda e a esfera não acerta o mesmo. Logo ele joga Froakie em Duskull que movido pela confusão, golpeia o mesmo com vários socos.
- Boa idéia, mais esta bem suicida não acha?! Chespin Bicada no Froakie.
Enquanto o pequeno acertava Duskull, Fletchling desce e acerta algumas bicadas em seu rival. Com tal ataque, Froakie sai da confusão, porém ele se via no meio dos dois adversários.
- Anão! Froakie salte o mais alto que conseguir...
- Não deixe! Fletchling ataque rápido!
- Chespin Obelisco!
Fletching começa a ter um rastro de luz em suas asas e quando ele ia para usar o ataque rápido em Froakie, varias pedras pontiagudas o acertam, ferindo uma de suas asas. Algumas delas também acerta Duskull. Froakie fica no ar por alguns segundos e então Kol aproveita disso.
- Bolhas! – Fala ele empolgado
As bolhas azuis brilhantes acertam em cheio Duskull levando uma pequena explosão a acontecer.
- Já chega! – fala Herry enfurecido – Fletchling sai dai e use Super-Aquecimento! Duskull se levante e complete o ataque com Vento Nebuloso! – Brada enfurecido.
Fletchling não consegue voar devido à ferida em suas asas, porém seu bico fica avermelhado e brilha fortemente. De lá sai um poderoso raio vermelho claro que lança uma onda de calor em todos que ali estavam. O ataque se combina com o Vento Nebuloso, transformando o brilho vermelho em um brilho de cor roxa.
- Chespin e Froakie, usem Obelisco e Bolhas!
Chespin lança as pedras no raio junto das bolhas. Uma explosão se forma e o ataque quase acerta Chespin, que no impulso e calor da batalha consegue agachar para desviar.
- Usem de novo, dessa vez no Chespin! – Fala Herry.
Dessa vez o brilho do raio de fogo puro havia diminuído, porém ainda combinado com o vento de Duskull.
- Chespin sai dai! – Grita Kol desesperado.
Chespin tenta correr e na mesma hora sente uma dor em uma de suas pernas e ele percebe um pequeno corte. O Pokémon fica ali parado, porém Froakie salta na frente dele. Quando o golpe ia acertar Froakie uma luz forte começa a se formar nas mãos dele . Quando o raio fica de frente a Froakie o mesmo lança o poder daquela luz, que se revela ser uma rajada de vento com vários estilhaços de neve brilhante. O ataque fora extremamente poderoso e ao se chocar com o raio, gera uma forte luz colorida. O impacto dos dois ataques lança Froakie a uma distancia razoável, porém mesmo assim ele se mantinha firme e pronto para contra atacar.
- Não acredito a nevasca detém aquele golpe?!- Fala Cold surpreso.
- Novamente você mostra não conhecer seus Pokémons! – Fala Herry – Lâmina de Vento Fletchling e Fuskull acerte o Froakie como da outra vez!
Logo Kol tem uma idéia.
- Dessa vez não! Obelisco e nevasca!
- Aí não! – Fala Herry assustado.
Chespin se aproxima de Fraokie e eles saem em disparada e saltam juntos. Naquele momento Chespin lança seu obelisco com a nevasca de Froakie, que juntos, formam uma poderosa nevasca pontiaguda. Quando Duskull desaparece para acertar Froakie, o ataque tem como alvo apenas Fletchling que se mantinha no chão devido a sua asa machucada. O golpe levanta uma estranha neblina que ao desaparecer revela que o pequeno pássaro estava fora de combate. Neste contratempo Duskull aparece atrás de Froakie e o nocautea com a Esfera das Sombras. Os treinadores retornam seus Pokémons e agradecendo-os prosseguem com a luta.
- Agora é um contra um! – Fala Kol.
- Dá tchauzinho Nikolas! Duskull use o Labareda!
- Chespin evasiva e após pegue-o Duskull com Chicote de Vinha!
Duskull lança as chamas, porém Chespin desvia com um salto, lança seus chicotes e agarra Duskull.
- Esfera das Sombras!
- Obelisco!
Ainda segurando Duskull em sua frente, Chespin forma o obelisco que se choca com a esfera formando uma explosão que liberava uma fumaça negra.
- Chespin se ainda tiver bem, use o Morder! – brada o garoto esperançoso.
Da fumaça sai Chespin mordendo e sacudindo Duskull. O pequeno lança o fantasma para frente que cai nocauteado. Após alguns segundos Chespin fica de joelhos respirando ofegante, enquanto Mestre Cold anunciava a vitória de Nikolas.
- Que batalha bela! Porém só um de vocês atingiu os parâmetros necessários de beleza para prosseguir – fala Cold – apesar de que Herry fez a beleza nascer da diferença de seus Pokémons, o vitorioso é Nikolas!
Após tal anúncio Chespin desmaia e Cold pede para que todos fossem recuperar seus Pokémons com a enfermeira Joy e após isso voltarem para a batalha. Depois de muitos rounds, Isadora vai para a final. Kol estava na semi-final, prestes a lutar contra Stefan, o garoto que acabara de vencer Pedro.
- Brilhem e mostrem que beleza é algo que se conquista aos olhos de quem vê! Vão!!!
- Pronto para perder Nikolas?! Ou melhor, o menino que não conhece seus Pokémons!
- Vou mostrar quem não conhece os Pokémons aqui. Vai se arrepender por ter dito isso.
- E você se arrepender por batalhar comigo...
CONTINUA...
thanks, clumsy @ sa!


Última edição por Kol Mikaelson em Dom 24 Jan 2016, 18:38, editado 1 vez(es)
Administradores
avatar
Idade : 19
Data de inscrição : 16/01/2016
Número de Postagens : 91
Localização : MG

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Kol e a jornada em Kalos!
Cold' em Sab 23 Jan 2016, 15:16
Treinamento:
Nota: 03 estrelas


-Novamente sua história está muito bem desenvolvida e detalhada


-Diversos erros de escrita são aparentes, principalmente o "Anão"


-Outra vez você chegou perto de um 4, mas tenho certeza que se você revisar melhor seu texto na próxima conseguirá uma nota melhor, talvez até um 5.


--Att--
Administradores
avatar
Data de inscrição : 13/12/2015
Número de Postagens : 31

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Kol e a jornada em Kalos!
Kol Mikaelson em Sab 23 Jan 2016, 19:38


KOL E A JORNADA EM KALOS


post: 000 ▬ tags:- ▬ escutando: - ▬ local:- ▬ vestindo:-

O Torneio Dinâmico part. 2

Já fazia algum tempo que Kol e Stefan batalhavam, Kol estava quase vencendo Stefan quando o mesmo surpreende Kol.
- Pancham Golpe Karatê!
- Chespin agarre o braço dele com Chicote de vinha!
Froakie havia sido derrotado pelo Swirlix, porém com dificuldade Chespin conseguiu nocautear o mesmo. Era tudo ou nada! Se Kol ganhasse ele iria para final contra sua prima, e ganharia o prêmio do torneio. Ambos Chespin e Pancham estavam cansados de lutar, sendo que o primeiro que conseguisse acertar um bom golpe venceria.
- Jogue o Pancham para cima!
O pequeno Chespin lança Pancham para o alto. Apesar de indefeso Stefan se aproveita daquilo para se beneficiar.
- Pancham, Pulsação das Trevas!
Pancham lança de suas mãos um raio roxo com vários anéis pretos dentro. Chespin se esquiva sem que Kol pedisse e consegue sair ileso. Pancham havia sido solto pelos chicotes e estava em queda livre para o chão.
- Há tanta beleza nestas batalhas que mal posso esperar para ver a explosão fantástica do vitorioso! – Fala Cold.
Cold era conhecido por ser um Treinador que fazia com que seus pokémons usassem ataques poderosos e com extrema elegância e beleza. Ganhou a liga de Kalos uma vez. Após essa vitória ele venceu também os Torenios de Kalos e é um dos atuais campeões do Grande Festival. Ele também lançou um livro chamado Enxergando Além da Vida, que ensinava jovens treinadores a não apenas atacar, mas sim, fazer com que o encanto que saia de seus Pokémons gerasse na platéia uma sensação de prazer e admiração. Mal sabiam os participantes da surpresa que este maravilhoso mestre faria ao final do Torneio. Enquanto ele olhava tudo com astúcia, Isadora torcia para que Kol vencesse e eles pudessem lutar. Ela também desejava que Cold e ela pudessem conversar um pouco. Já na batalha Stefan toma providências drásticas.
- Pancham, use Golpe Karatê no chão.
Pancham assim faz e com tal feito ele amortece sua queda.
- Pancham Pulsação das Trevas e depois Quebra telha!
- Chespin salte para se esquivar e use Investida após!
Chespin salta e consegue desviar da pulsação, porém o segundo golpe o acerta em cheio. Chespin fica no chão devido ao golpe.
- Acaba com isso Pancham, Golpe de Karatê!
- Chespin Chicote de Vinha e depois Rosnar!
Chespin segura o rival pela barriga e rosna para ele.
- Chespin Obelisco!
O golpe era pouco efetivo, porém arracanva alguns pontos de Pancham. As pedras pontiagudas acertavam o pequeno por todo corpo causando dor. Aos poucos feridas apareciam pelo corpo do pequeno.
- Pancham use o...
- Use sua força máxima e jogue-o no chão agora!
Antes que Stefan completasse, Kol dá seus comandos e Chespin assim faz.
- Não Pancham! – Grita ele desesperado.
- Investida!
Pancham estava atirado ao chão a poucos metros de Chespin. Chespin acerta o pequeno quando ele acabara de se levantar. Pancham cai novamente e quase sem forças ele consegue se levantar e se manter de pé.
- Agarre-o novamente e dessa vez, quando usar os chicotes, salte e de uma cambalhota o lançando no chão.
- Pancham tenta... Tenta... – Stefan estava desesperado, afinal mal sabia o que fazer, a batalha estava em suas mãos, porém Kol virou tudo a seu favor.
- A falta de esforço daquele menino chega ser tão horrível quanto sua confusão! – Falava Cold.
Chespin faz como Kol disse e usando suas últimas forças realiza o feito. Pancham caiu no chão de forma que ele não se mexia mais. Chespin que estava no ar, direciona seus pés para a cabeça de Pancham e ele cai em cima do pobre Pokémon, fazendo com que se ecoasse um forte som. Chespin sai de cima do rival e quando Cold o olha percebe que o pequeno estava derrotado.
- Não acredito nisso! – fala o moço com uma feição indignada
- Eu... Perdi?! – fala Stefan chateado.
- Apesar da beleza que Kol enfrentou, ele saiu vencedor, usando de combinações fortes e com carência de alguns parâmetros de beleza. Mesmo assim ele conseguiu atingir o necessário se tornando o vencedor!
Todos gritam e aplaudem tudo aquilo com muita euforia. No meio da platéia, dois sujeitos se espreitavam para ver todo espetáculo das batalhas.
- Luke, você acha que já podemos atacar?
- Não Livy... Temos de esperar o 3° Pokémon deles se cansar e ai sim poderemos atacar!
- Certo! – fala a mulher concordando.
Luke e Livy eram gêmeos. A única diferença era que Livy possuía um longo cabelo que tinha um longo comprimento. Já Luke usava um corte moicano. Ambos eram branquinhos, com belíssimos olhos verdes escuros. Eram bem fortes, e trajavam uma espécie de uniforme, sendo este composto por uma blusa preta com um R azul no meio e uma calça bem justa toda preta, sendo que Livy usava uma mini-saia apertada em seu corpo, cuja cor era a mesma da calça. Já seus sapatos eram azuis, ambos de cano alto. Os gêmeos eram extremamente lindos e apesar de tudo, não passavam de uma dupla de bandidos que roubavam Pokémons. Eles almejavam roubar os Pokémons dos vencedores e de qualquer forma achavam que eles deviam lhes pertencer.
- Essa vai ser fácil... – Fala Livy sorrindo para Luke.
Enquanto isso Isadora e Kol já estavam prontos para começar a batalha.
-Esta será um contra um. Usem do mais profundo de vocês e só parem quando reconhecerem quem é o vencedor de verdade! – Fala Cold cheio de animação.
- Isa independente de sua derrota, não mantenha ressentimentos!
- Te digo o mesmo!
Os garotos se encaram por um tempo e logo sorriem amigavelmente um para o outro.
- Percebo a beleza da família entre vocês, mas de qualquer forma comessem!
- Ralts escolho você!
- Gible seja rápido!
Os dois Pokémons saem do raio azul da Pokébola e rapidamente tomam suas formas.
- Gible? Vamos ver o que é isso.


“Gible, os inimigos que se aproximarem dele, geralmente são fortemente mordidos.”

- Nossa que horror! – Fala Kol.
- Feio é esse Ralts aí! – Zomba Isa.
- De qualquer forma vamos lá Ralts, use o Rosnar!
- Gible use Ataque de Areia!
Ralts rosna e logo após Gible fica de costas e usando suas patinhas ele joga uma espécie de poeira em Ralts. O ataque de Gible arrancou parte do gramado, deixando o mesmo com aspecto feio. O ataque do dragãozinho faz com que Ralts perdesse um pouco de sua precião, fazendo com que ele se afastasse para o mais longe de Gible.
- Nossa que coisinha medrosa! Gible o ensine como se luta e use o Lança Chamas!
- Ralts tente se esquivar o máximo possível!
Gible abre sua enorme boca e dela sai uma quantidade enorme de chamas! Era como se um incêndio saísse do pequeno Pokémon. Ralts olha para Kol com doçura e elegantemente ele curva todo seu corpo para trás, esquivando-se do fogo.
- Gible, Lança Chamas novamente e desta vez lance no chão!
- Ralts se defenda!
Ralts fica parado em seu lugar. Os chifres em sua cabeça ficam com um brilho azulado e então uma estranha aura azul encobre Ralts. O pequeno levanta suas mãos para o inferno de chamas que saia de Gible e então outra aura azul surge, porém dessa vez em Gible. Gible para o ataque e quando dá por si nada saiu de sua boca. Ele lentamente começa a sentir uma dor de cabeça e sem ninguém tocá-lo ele é lançado para trás e rapidamente ele volta ao chão. Gible sente uma pequena dor em suas costas e rapidamente se levanta.
- O que foi isto? – Fala Kol.
- Confusão primo... Um ataque psíquico de Ralts. Pena que não irá funcionar com Gible. Chega de chatice vamos batalhar de verdade! Gible Investida!
- Ralts evasiva! – Fala Kol.
Ralts tenta se esquivar, porém Gible vai à direção que ele ia e dá uma poderosa investida em Ralts, que mesmo assim se mantinha de pé. Ralts e Gible estavam frente a frente, porém algo estava para mudar.
- Gible salte e usa Lança Chamas!
- Ralts use o Confusão!
Gible lança as chamas e a aura azul envolve as mesmas fazendo com que o ataque não chegue perto de Ralts.
- Odeio Pokémons Psíquicos por isso! – Fala Isa emburrada.
- Estou os amando priminha! – Implica Kol.
Gible continuava a lançar chamas avermelhadas, porém elas ficavam ali em uma espécie de congelamento temporal.
- Nikolas se dará bem com Ralts... Mal vejo à hora de ver este pequeno usando golpes como o Psíquico, ou dependendo de seu destino, o belíssimo Corte Psíquico! – Falava Cold impressionado.
- Gible pare o ataque e tente acertar em Ralts o Fúria do Dragão!
- Ralts contra ataque com Esfera das Trevas!
Gible abre sua boca e uma esfera enérgica de cor verde clara é atirada contra o adversário. Ralts se concentra e forma em sua boca uma esfera de cor roxa e a lança contra o Fúria do Dragão. Os ataques colidem formando uma explosão e o impulso da colisão joga Ralts e Gible no chão.
- Até que seu Pokémon é forte! Mas não mais que o meu! Gible ataque com Ciclone!
Kol se mantinha quieto observando o que o dragão iria fazer. Gible novamente abre sua boca e dessa vez ele expele uma espécie de pequeno ciclone.
- Ralts tente... – Kol é interrompido pela velocidade do golpe de Gible.
A velocidade do ataque foi tanta que quando Kol deu por si Ralts já estava dentro do pequeno ciclone.
- Lança Chamas!
Gible lança chamas no ciclone e o mesmo fica repleto de fogo, infligindo muitos danos a Ralts.
- Ralts – Fala ele confuso sem saber o que fazer - Já sei, Confusão!
Uma forte luz toma conta do pequeno ciclone. De repente Ralts sai de dentro do mesmo com seus chifres brilhando em uma cor azul.
- Ralts, Choque do Trovão neste ciclone, mas antes o arremesse em Gible!
O pequeno ciclone passa por Ralts e vai na direção de Gible. O pequeno tenta sair correndo, porém aquilo era inútil. Ralts acerta Gible, e logo seus chifres mudam de azul para dourado e deles saem poderosos raios que acertam o pequeno ciclone. Quando este desaparece, Gible estava deitado no chão, porém a eletricidade que fora usada no ciclone não lhe causou efeito algum.
- Gible levanta! Sopro do Dragão!
Gible se levanta com dificuldade lançando em Ralts um sopro de cor verde escura. Kol faz sinal para que Ralts se esquivasse, porém o mesmo não consegue fugir do golpe adversário. Ralts é pego pelo ataque e é lançado para o alto pela força do golpe.
- Gible use o novamente o Sopro do Dragão, porém dessa vez lance-o no chão para pegar impulso e ir até Ralts.
Gible lança seu golpe no chão e ganha um tremendo impulso indo para na mesma altura que Ralts.
- Ralts Esfera das Sombras!
- Fúria do dragão!
As duas esferas são formadas e lançadas ao mesmo tempo. A determinação de Gible poderia ser notada por qualquer um que ali estava. Ao se chocarem geram uma explosão que lança Gible e Ralts ao chão.
- Luke é agora! – Fala Livy querendo usar da situação vulnerável dos Pokémons.
- Esta bem Livy!
Os dois gêmeos saem de perto do povo e se aproximam da corda que indicava o limite de aproximação. Logo eles sacam Pokébolas e lançam seus Pokémons.
-Murkrow vai! – Fala Livy.
- Croagunk você também! – Brada Luke.
As Pokébolas põem em meio à área da luta dos treinadores, um pássaro de chapéu e um sapo estranho.
- Mas quem vocês pensam que são?! – Fala Cold
Livy e Luke saltam para dentro e começam a falar na respectiva ordem.
-Para defender o mundo com justiça...
-Para combater o mal e a hipocrisia...
-Para unir forças e destruir o amor...
-Para controlar tudo usando o rancor...
-Luke!
-Livy!
-Equipe Rocket brilhando mais que a própria luz...
-Rendam-se agora ou se preparem para a derrota!
Todos ali começam a rir da apresentação deles. Logo Livy se vê com raiva.
- Calem-se seus fracassados! Murkrow Nevoeiro!
Um estranho nevoeiro cobre todo o local rapidamente, e na espreita eles carregam Ralts e Gible. Pouco tempo depois Cold resolve fazer algo.
-Vai Snrolax!
Um Pokémon grande e obeso se colocava naquele lugar.
- Snorlax, faça um movimento espiral enquanto usa o vento de gelo. Após isso, use Psíquico para que nenhum estilhaço de gelo acerte alguém!
O vento de gelo vai varrendo a neblina e quando ela some, Snorlax faz com que o psíquico transforme os estilhaços em simples pozinhos brilhantes que combinados ao sol, geraram um belo efeito.
- Que esplêndido!
- Ele realmente entende de beleza!
-Vejam só que maravilhoso!
As pessoas elogiavam a forma que Cold lidava com tudo aquilo. Logo ele chama Isa e Kol.
- Nikolas e Isadora, temos de ir procurar aqueles dois agora!
- Claro que vamos! – Bradam em uníssono os primos.
Quando eles iam recolher seus Pokémons para se retirarem se dão conta de que eles haviam sumido.
- Kol eles levaram nossos pokémons!
- Sim Isa! –Fala ele decepcionado.
- Mais um motivo para irmos atrás deles! – Fala Cold.
- Então vamos! – Diz Kol.
-Quando eles estavam saindo da praça, se encontram com a Oficial Jenny.
- O que houve aqui? Joy me ligou dizendo que bandidos estiveram aqui e roubaram Pokémons!
- Sim Jenny – Fala Cold – Creio que foram para a Floresta.
- Você crê?! Eu tenho certeza! Estou indo para lá, vou só aqui à garagem pegar o Jipe.
- Podemos ir com você? – Pergunta Isadora.
- Esta bem, mas sejam rápidos!
- Assim será! – Fala Kol
Após alguns minutos Jenny pega seu veículo e junto dos garotos ela adentra a floresta densa. O Jipe da mulher era verde bem escuro e possuía grandes rodas. Jenny vestia uma farda e possuía uma feição decidida. Sua marca eram seus cabelos esverdeados e seus olhos castanhos claros, junto de um batom vermelho que enfatizava seus lábios. Em questão alguns minutos ela para o Jipe e eles descem para procurar.
- Eu não devia trazê-los, mas vocês estão envolvidos então não tenho escolha. O jipe só pode vir até aqui. Vasculhem a floresta e não deixem nada para trás.
- Esta bem! – Respondem todos.
Logo Kol e Isa vão para um lado e Cold para outro. Jenny fora sozinha como Cold. Quando Isa dá alguns passos, ela acha uma passagem entre as árvores e lá entra junto de Kol. Quando passam por lá encontram uma trilha que eles acreditavam ser onde a Equipe Rocket estava.
- Deve ser ali Isadora!
- Nikolas... – a menina para e começa chorar – primeiro sou expulsa de casa sem motivo, agora roubam o Pokémon que dei duro para pegar?! Cara está tudo muito intenso!
- Calma – fala ele abraçando a garota- Estou aqui. Nada vai lhe tirar seu Pokémon, prometo recuperá-lo!
A garota limpa seu rosto e solta Kol. Ela solta Vivilion e Kol solta Chespin.
- Fiquem conosco, vocês conhecem essa floresta melhor que nós! Roubaram Ralts e Gible, precisamos encontrá-los. – Diz kol.
- Viiiii! – Fala Vivilion afirmando
- Chespin! – Brada o pequeno confiante.
O dois vão até o final da trilha e após alguns minutos chegam a um campo verde. O campo tinha uma marca gigante no chão, como se uma batalha tivesse ocorrido lá. Após vasculharem o mesmo, Isadora encontra um brinco caído no chão e o reconhece.
- Kol, não achei nada, só um brinco. Aliás, tenho certeza que ele é da minha mãe.
- Não seja bobinha prima! Deve que alguém perdeu aqui e sem dúvida o par era igual o da sua mãe.
- É deve ser...
- Vamos para o lado de lá aqui não tem nada!
Após alguns minutos um estrondo é ouvido. Os meninos saem correndo em direção ao mesmo. Enquanto isso, Cold se encontrava em um campo com Livy e Luke.
- Croagunk use novamente o Quebra Telha!
- Murkrow Pulsação das Trevas!
- Kangaskhan Giga Impacto!
Kangaskhan parecia um dinossauro gigante! Carregava consigo um filhote bem fofinho.O corpo do mesmo é coberto por uma bola de cor rosa e ele sai correndo acertando Croagunk e Murkrow, fazendo com que ambos fossem jogados contra uma árvore.
- Ele é muito forte Livy!
- Calado Luke...
- Última chance. Devolvam os Pokémons ou vou mostrar o que é força de verdade.
- Nunca! – Falam os gêmeos.
- Olha pra mim já deu... Kangaskhan mega evolua!
Cold tira um pingente com uma pedra de dentro de sua blusa. Ele o aperta e do pingente de Kangaskhan saem raios dourados. Saem raios também do pingente de Cold, e após o encontro de ambos, uma forte luz começa a ser emana de Kangaskhan. Logo que tudo se encerra o filhote da Pokémon estava de fora de sua bolsa e seu tamanho havia aumentado., junto do tamanho de sua mãe. A conclusão da mega evolução gerou uma forte onde que expunha algumas folhas que lá estavam.
- Eu avisei não é?! – Diz Cold confiante.
- Nossa, ele ficou... – Fala Luke assustado.
- Ficou gigante?! Luke vamos sair daqui.
Quando os dois saem correndo junto de seus Pokémons, a sua frente aparecem Chespin e Vivilion junto de Kol e Isa.
- Vão onde? – Fala Kol.
- Se eu tiver dó, irão para o hospital ou para o cemitério – Fala Isa raivosa.
- Murkrow use o Pulsação das Trevas nestes dois aqui.
- Croagunk, Onda de Vácuo neste de cá!
- Mega Kangaskhan me defende, por favor.
O ataque de Croagunk acerta o filhote de Kangaskhan que não sofre nada.
- Vivilion use o Raio Psíquico!
- Bala de Semente Chespin!
Os ataques colidem com a pulsação de Murkrow gerando um impacto que ao se espalhar, leva embora as folhas que tapavam um buraco a esquerda de Cold, onde se encontravam Gible e Ralts presos em uma jaula.
- Bem, acho que vocês perderam! – Fala Cold.
- Murkrow use Ataque de Asas no Kangaskhan!
- Croagunk Soco Focalizado.
Quando Kol e Isa iam entrar na briga Cold logo os impede.
- Fiquem fora dessa amiguinhos. Mega Kangaskhan, segure o Murkrow e quanto ao filhote, apenas salte por trás de Croagunk e bata na cabeça dele até ele desmaiar.
Mega Kangaskhan segura facilmente Murkrow enquanto seu filhote faz como o treinador havia mandado. Com apenas um soco o pequeno filhote desmaia Croagunk.
- Kangaskhan retire seu filhote da frente de Croagunk e ainda segurando Morkrow, lance um Hiper Raio.
Kangaskhan faz sinal e seu filhote sai de sua frente. Então algo surpreendente acontece. Um brilho mais que forte se forma na boca de Kangaskhan, gerando uma forte brisa sobre o lugar. Quando Kangaskhan libera o ataque, ele solta Morkrow que é nocauteado ao ser acertado. Kangaskhan continua o ataque e acerta Croagunk e ainda levando o raio para frente, ele acerta Livy e Luke. O filhote de Kangaskhan lança um raio também e assim ambos os golpes levam Livy e Luke para uma distância de mais de quilômetros dentro da floresta. O Golpe fora tão forte que derrubou árvores e plantas foram destruídas.
- Ótimo... Pena que teve conseqüências! – Fala Cold rindo.
Após alguns minutos eles retiram a jaula do buraco e pegam seus Pokémons.
- Gible! Meu Gible! – Fala Isadora emocionada.
- Vem aqui Ralts! – Diz Kol todo carinhoso.
Enquanto eles matavam a saudade de seus Pokémons, os vilões acordavam e logo Cold consegue vê-los levantando, mesmo eles estando a quilômetros de distância.
- Pessoal, vamos fazer algo belo?
- Vamos sim! – Respondem percebendo o que estava para acontecer.
- Mega Kangaskhan, Hiper raio!
- Ralts Confusão no raio!
- Gible Twister!
Os ataques se combinam fazendo com que o raio se tornasse um redemoinho laranja com brilho azul, e assim ele trilhava os quilômetros até onde os vilões se encontravam.
- Livy... Acho que vamos decolar! – Fala Luke percebendo que algo vinha em sua diereção.
- Ah não! – Diz Livy com medo.
Ao receberem o golpe, Livy e Luke vão aos ares gritando junto de seus Pokémons. Logo eles somem e Cold retorna Mega Kangaskhan. A Oficial Jenny chega ao lugar bronqueando pela bagunça, mas feliz porque tudo se saiu bem. Eles retornam de jipe para a praça e é então que retomam o torneio.
- Bem pessoal, tivemos algumas divergências, porém estamos de volta! Continuem meus amigos! – Diz Cold positivamente.
- Gible Fúria do dragão!
- Choque do Trovão Ralts.
O ataque de Ralts gera uma sobrecarga na esfera que vem a explodir.
- Ciclone!
- Ralts deixe que ele te acerte!
- Agora ficou fácil primo... Gible após o Ciclone use o Sopro do Dragão!
O golpe de Gible energiza o pequeno ciclone que fica com um brilho verde forte. Ralts agonizava lá dentro e Isadora já se considerava vitoriosa.
- Como Cold disse... A beleza esta nos olhos de quem a vê! Confusão Ralts... E tente usar seu poder para transformar o ciclone em um raio!
Ralts sai do ciclone novamente usando o confusão. Ele concentra seu poder e faz com que do ciclone saiam raios que vão em cheio a Gible.
- Gible não!
Os golpes eram efetivos e faziam com que Gible sofresse um dano alto. Após alguns segundos a estratégia Ralts perde o controle e faz com que o ciclone exploda em uma onda extremamente poderosa, jogando tanto ele quanto Gible nocauteados no chão.
- Amigos... Pelo visto tivemos um empate! Os vencedores são Nikolas e Isadora!
Eles agradecem seus Pokémons e retornam os mesmos para as Pokébolas. Logo todos aplaudem a batalha e ambos se abraçam segurando o troféu do Torneio Dinâmico. Após algumas fotos, todos desfrutavam do café que fora oferecido após as batalhas. À noite ia caindo e Cold chama Isadora e Kol em um canto.
- Nikolas... Isadora...
O garoto estava pensativo a respeito deles.
- Olha Cold... Como você vê beleza em tudo?! Percebi que até mesmo no que é feio você enxerga algo belo!
- Não é que eu enxergo beleza em tudo... Eu simplesmente tiro das coisas as belezas que elas possuem e dessa forma eu só enxergo o que é bom!
- Então me diga... Qual a beleza da decepção?
- A decepção gera tristeza minha jovem... E a beleza dessas duas coisas se encontra na superação!
Isadora segura suas lágrimas e sorri com o conselho de Cold.
- Quanto a você Nikolas... Não consegui ver beleza no seu modo de luta. Você acha bonito fazer ataques diretos, mas não percebe que está agindo como um suicida! Tente deixar a beleza de sua inteligência falar mais alto que a beleza de sua ansiedade!
- Obrigado pelo conselho... – Fala o garoto emburrado.
- Pessoal, me ouçam. Infelizmente tenho de ir embora, mas se lembrem de uma coisa, eu aparecerei mais vezes e quero ver o crescimento de vocês! – Fala ele olhando seu relógio.
Cold se retira e os garotos comentam que ele é um verdadeiro mestre. Após algum tempo, eles deitam na grama e vão apreciar a beleza do luar e o céu estrelado.
- Nikolas... Pelo visto é só o começo de muita aventura!
- Isadora, se você estiver comigo passo até mesmo pelas piores coisas, só para te ver feliz! Você é minha família agora...
- E família quer dizer cuidar e nunca esquecer! – Completa ela pegando a mão de seu primo e sorrindo para ele.
Os garotos se mantinham ali deitados, pensando no que mais os aguardava, sem saber da surpresa que os esperava!

CONTINUA...













thanks, clumsy @ sa!


Última edição por Kol Mikaelson em Dom 24 Jan 2016, 18:41, editado 1 vez(es)
Administradores
avatar
Idade : 19
Data de inscrição : 16/01/2016
Número de Postagens : 91
Localização : MG

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Kol e a jornada em Kalos!
Cold' em Sab 23 Jan 2016, 20:07
Treinamento:


04 estrelas


-Adorei seu texto, tanto a batalha quanto a história.


-Alguns ocorridos passam rápido demais,não tenha medo de fazer um texto longo se for preciso. 


-Percebi muito menos erros de escrita, continue melhorando.


--Att--
Administradores
avatar
Data de inscrição : 13/12/2015
Número de Postagens : 31

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Kol e a jornada em Kalos!
Kol Mikaelson em Dom 24 Jan 2016, 18:43


KOL E A JORNADA EM KALOS


post: 000 ▬ tags:- ▬ escutando: - ▬ local:- ▬ vestindo:-

Descobrindo Descobertas

A noite ia caindo e Kol e Isa continuavam deitados na grama olhando para as estrelas. O céu estava claro, coberto de estrelas e tendo a lua cheia e brilhante como atração principal. O brilho da lua clareava o céu juntamente de toda a praça. Os garotos se mantinham ali, sem ao menos ousar falar algo deixando que a paisagem respondesse por eles. Já em outro lugar estava Cold. O treinador possuía uma Lambroghini Gallardo preta. O carro se mantinha parado em uma esquina a duas quadras dali.
- Mas me diga, você conseguiu algo?
- Não chefe... Dê-me mais dias, talvez eu consiga algo.
Cold conversava com alguém no celular e estava com uma feição de preocupado.
- Esta tudo bem Cold, você tem até amanhã à noite. Não passe disso, creio que seja o necessário.
O garoto desliga seu celular e liga o carro. Em alguns minutos ele para perto da praça e desce do mesmo. Cold anda alguns metros e avista Isa e Kol. Ele se senta ao lado dos garotos e quando estes percebem que ele estava ali se sentam também.
- Pensei que já estivesse indo embora – fala Isadora – Você estava apressado!
- Então... Resolvi ficar mais um tempo.
- Por qual motivo – fala Kol – Não é nenhum tipo de pegadinha com a gente não, é?!
- Claro que não. Só quero avistar a lua... Olhar para as estrelas e ver o céu como um manto brilhante.
- Ah é, você ama tudo isso! – diz Isa sorrindo para o homem.
- Sim, mais tem um lugar melhor de se ver do que aqui. Se quiserem podemos ir lá!
- Não, deixa para próxima. – fala Kol sério.
- Por que Nikolas? – Diz o homem.
- Olha primeiro é Kol, e quanto a ela é Isa. Segundo, porque mal conhecemos você!
- Então essa é a chance de conhecer!
- Então a ocasião perfeita é aqui! – diz Isa abraçando os dois.
Após alguns minutos em silêncio, Isa quebra o gelo que se formava ali.
-Então, você parece ser muito experiente não é?! Conte um pouco sobre você! – fala a garota sentindo que Cold queria se abrir.
- Bem posso tentar – diz o rapaz envergonhado – a questão é que minha história é longa. E também estou precisando me abrir com alguém, vocês são jovens como eu e acredito serem as pessoas ideais para isso!
- A minha também, mas se contar, eu e Kol contamos as nossas! – fala Isa empolgada.
Kol faz uma cara estranha para tudo aquilo. Porém não discorda do pedido de Isa, afinal a garota tinha uma espécie de queda pelo homem e aparentava admira-lo muito.
- Bem vamos lá – diz Cold sorridente. Minha história não é muito legal sabe. Eu era bebê e já sofria grandes problemas. Meu pai foi preso antes mesmo que eu tivesse chance de conhecê-lo a fundo. Meu irmão e eu sempre nos demos bem, mas a ganância tomou conta dele e quanto mais ele crescia, mais esta crescia também. Devido a problemas internos, tive de sair de casa jovem. A sorte é que fui acolhido por meu irmão mais velho.
- E sua mãe? – Pergunta Kol.
- Minha mãe morreu quando eu era novo. Eu e meu irmão do meio fomos criados juntos pela nossa madrasta.
- Nossa, mas como você conseguiu ficar de pé? – Pergunta Isadora.
- Usando da beleza da superação – sorri o menino – e claro de esforço constante. Minha madrasta me batia muito, e sempre dizia que eu nunca seria ninguém. Quando completei meus 12 anos, sai de casa como treinador. Ao passar do tempo, a tristeza que eu passava se transformava em vontade de crescer. Aprendi a ser um bom treinador e logo ganhei torneios, festivais e muitas batalhas. Poucas pessoas sabem, mas venci a Elite 4 de Hoenn.
- Nossa você cresceu rápido! – Fala Kol.
- Não cresci não, eu melhorei! Crescer mesmo foi de um tempo para cá, quando lancei meu livro para falar a verdade. Hoje que sou centrado. Mas chega de falar de mim, quero ouvir o Kol agora! – Fala ele sorrindo.
- Olha vou ser rápido. Bem, com 3 anos meu pai saiu de casa, pois tinha outra mulher. Minha mãe descobriu e a partir daí se tornou uma pessoa triste e depressiva. Ao longo dos anos eu fui ficando parecido com o idiota do meu pai e minha mãe percebia aquilo. Ela me repreendia cada dia mais até que depois de muito tempo ela decidiu me deixar sair de casa. Hoje em dia nada me importa... Só quero vencer e esquecer essa parte da minha vida.
- É por isso que a única beleza que vejo em você é a autoconfiança! – fala Cold.
- Não sou autoconfiante. Quase fui morto por um Fennekin louco essa semana, se não fosse meu pai eu teria morrido! Ele enfrentou o pequeno como se este não fosse uma aberração que solta fogo!
-SEU PAI? – fala Isa assustada- como não me contou isso?!
- Tentei manter segredo. Ele apareceu lá quando eu precisava de ajuda, me levou ao Centro Pokémon e disse que amava. Agora ele sumiu no mapa de novo. – fala Kol entristecido.
- Onde você estava? – fala Cold interessado.
- Na saída da Floresta daqui de Santalune.
- Legal... – Diz Cold.
- Sua vez Isa – diz Kol querendo sair do assunto.
- Bem, não tenho muita história. Minha mãe nunca quis me contar quem era meu pai. Ela sempre dizia que ele era um bandido louco, mas que ela amava muito. Cresci sendo chamada de vários nomes, principalmente de indigna ou imprópria, sendo que nunca entendi tais apelidos. Eu apanhava de vez em quando, mas nunca quis sair de casa. Por mais que ela fosse agressiva e egoísta, minha mãe era tudo para mim. Agora, hoje mesmo, ela me expulsou de casa e não sei onde ela está.
- Nossa, que marcante. E sabe qual a beleza de tudo isso que passamos?
- Não termos morrido de fome? – fala Kol zombando.
- Obvio que não... A beleza está dentro de nós. Apesar da carência que sofremos, ainda conseguimos continuar seguindo em frente. A nossa beleza se encontra em querer seguir em frente. Não desistam disso amiguinhos. Já falei demais, já desabafamos e acho que deu por hoje. Até mais!
O homem se levanta e sai da praça. Logo ele acena para os meninos e vai embora de carro.
- Nossa será que foi muito para ele?
- Não prima... Acho que é a primeira vez que ele pôde se abrir com alguém. Apesar de bonzinho e otimista, acredito que ele tenha mais problemas do que qualquer um de nós!
-Você tem razão. Mas ainda está cedo, vamos olhar mais o céu ou vamos dormir na Floresta?
- Não, vamos fazer melhor. Com o dinheiro que recebemos junto do troféu, vamos pagar uma pousada e ir dormir lá! – diz Kol.
- Sei uma barata, vamos para lá?
- Agora!
Kol e Isa se levantam, pegam suas coisas e saem da praça indo para a pousada. Neste contratempo, Cold dirigia até a esquina em que estava. Ele pega seu celular e liga para o último número discado.
-Alô?! Sim sou eu... Nick foi visto na floresta de Santalune, ele deve estar na antiga base dele. Sim, fui bem rápido! Posso ir para lá? Bem quero ir porque Mary desapareceu. Eles eram um casal, ele deve ter sequestrado aquela bandida! Sim, vou agora.
Cold desliga o telefone e acelera o carro saindo da cidade.
- Vou ensinar aquele crápula a bagunçar a vida dos meus sobrinhos! – diz Cold raivoso.
O carro sumia na estrada escura. Já Kol, chegava à pousada com Isa. A entrada da mesma era bem simples, com muitas luzes e uma porta de madeira rústica e bem velha apresentando a entrada. Kol e Isa entram e o garoto faz a inscrições deles. A entrada possuía um balcão também de madeira com uma planta de enfeite e mais a frente outra porta que levava aos quartos. Kol ficara com o quarto 10 e Isa com o 5.
- Boa noite Isa – fala Kol fechando a porta de seu quarto.
- Boa noite Nikolas! – Fala a garota bocejando e fechando sua porta também.
Os meninos tomaram seu banho após se alojarem e deixarem suas coisas em suas camas. Após alguns minutos de banho eles reparam em seus quartos. Ambos eram iguais, as paredes, o chão, o teto, tudo de madeira rústica. Havia um vaso de flores no quarto junto de uma cama de casal, que também de madeira rústica. Quando Kol se troca após seu banho, ele ouve um barulho estranho em sua janela. Quando ele se aproxima, ele vê Fennekin dando cabeçadas na mesma. Kol volta até sua cama e pega 2 Pokébolas, sendo uma de Froakie e outra vazia.
- Vou pegar este idiota, nem que leve a noite toda!
Kol abre sua janela e a pula. Ele encara Fennekin que parecia estar machucado. Kol se lembra do que a pequena raposa havia feito com ele, e decidido ele lança Froakie para batalhar.
- Froakie vai! Froakie use o Bolha!
Froakie sai do raio azul da Pokébola e logo toma sua forma. Kol já havia pulado a janela. A janela era bem baixa e o quarto do menino era o último, sendo que ao pular, ele saia atrás da pousada onde havia algumas plantas secas e um chão coberto de terra e cascalho. Alguns cactos embelezavam todo aquele ambiente e deixava tudo com um aroma desértico. O ataque do sapinho fora espetacularmente veloz. Froakie estava mais forte e seus golpes eram mais certeiros e velozes. Fennekin é acertado em cheio e com muita fraqueza ele lança uma rajada de Brasas em Froakie. A lua iluminava o lugar, e as estrelas eram as luzes necessárias para que tudo aquilo se tornasse um show.
- Froakie apague essas brasas! Use Bolha!
Froakie apaga todas as brasas com seu ataque. A pequena Fennekin estava cansada, parecia que algo dentro de si não corria nada bem! Logo ela corre em direção a seu adversário para usar de uma poderosa investida, porém com um pequeno salto, Froakie desvia da mesma.
- Froakie Ataque Rápido!
Froakie estava no ar e atrás de si uma forte luz prata se forma e em questão de segundos ele desce ao chão em uma velocidade incrível, deixando um rastro de luz e acertando em cheio Fennekin. Fennekin se levanta e seus olhos ficam avermelhados e brilhantes. Fennekin bate suas duas patas dianteiras no chão e naquele instante seu corpo é coberto por chamas incandescentes. A  Pequena vai rumo a Froakie com velocidade e força.
- Froakie salte e use Nevasca!
Froakie salta em uma altura incrível e solta uma poderosa nevasca em Fennekin. A Carga de Chamas de Fennekin é acertada pela poderosa nevasca de Froakie, espalhando por todo o campo uma forte neblina devido ao contato do gelo com o fogo.
- Froakie procure essa raposa e use a Lambida.
Froakie salta alto novamente e consegue ter uma pequena visão do campo. Após alguns segundos no ar ele avista Fennekin e da uma espécie de cambalhota no ar fazendo com que ele caísse próximo a pequena. Froakie abre sua boca e dela sai uma enorme língua que se enrola no corpo da pequena. Fennekin mostra ser esperta e usa a Carga de Chamas novamente, dessa vez ateando fogo na língua de Froakie. O pequeno a solta no mesmo instante e desesperado solta uma nevasca na tentativa de apagar o fogo. Ainda carregada de chamas Fennekin acerta Froakie o lançando a alguns metros de distância. Fennekin aproveita para fugir e sai correndo para o final do campo.
- Froakie levanta e use Ataque Rápido!
Froakie se levanta com dificuldade e sai correndo usando o ataque rápido. Logo ele acerta em cheio a pequena Fennekin que com tal golpe é lançada para longe dele. Ao cair, Fennekin se levanta e continua correndo e desaparece em meio a alguns arbustos que haviam no final do campo. Kol retorna Froakie e após algum tempo olhando para lua ele volta para dentro, pulando novamente a janela. Kol se deita em sua cama da forma que estava e começa a dormir no processo. Enquanto o garoto dormia, Cold se mantinha vivo e cheio de energia. Já fazia algum tempo que ele estava na estrada, dirigia rapidamente sem medo das curvas ou de qualquer coisa que se colocasse em seu caminho. Após alguns minutos ele para seu carro no acostamento ao lado, onde havia uma grande caverna. Para chegar até lá, devia-se passar por algumas árvores e logo após, por um curso cheio de Pokémons selvagens e ferozes. Ao canto da estrada, onde ele parou, uma luz começa a nascer e a ficar cada vez mais forte. A luz toma forma e o brilho encantador dela se cessa. Um homem e uma Gardevoir aparecem lá. Feliz, Cold sai do carro e vai até o homem.
- Demorou um pouco Cold, aconteceu alguma coisa?
- Não, foi tudo bem. Os meninos me contaram o necessário, não precisei fazer muito, só trocar alguns segredos.
- De qualquer forma isto não importa mais. Temos de entrar naquela Caverna e acessar a base de Nick. Ele foi esperto... Deixou um grande rastro de bases por onde passou, sendo que esta era a mais antiga. Lembra da última vez que estivemos aqui?
- Sim, destruímos tudo! Eu mesmo ajudei!
- Pois é, tenho certeza que enquanto procurávamo-lo em outros lugares, ele se aproveitava para concertar aqui em segredo. Mas se ele não estiver aqui, não faço idéia de onde estará.
- Está bem, então vamos lá! A única maneira de saber é tentando, mas se conheço ele, provavelmente ele está lá com sua comparsa.
Cold se aproxima de Gardevoir e a mesma rodeia ele e o homem que a acompanhava  com uma luz. A luz se espreita e faz com que eles brilhassem, desaparecendo dali, e após alguns segundos, eles aprecem perto da entrada da caverna. O homem e Cold entram na mesma e andam bastante lá dentro. Cold procurava por uma passagem, algo que fizesse com que ele conseguisse entrar. Cansado de procurar, o homem que acompanhava Cold dá as ordens a Gardevoir.
- Gardevoir, use Explosão Lunar!
- Não, vai chamar atenção Cody!
Cold alertava que o homem ia chamar atenção devido a tal golpe. O homem tinha cabelos curtos e negros, olhos bem escuros e usava uma barba cerrada em seu rosto. Trajava um terno todo preto com uma gravata vermelha. O homem era extremamente cheio de músculos, parecia um fisiculturista! Quando ele da à ordem a Gardevoir, a mesma cria atrás de si uma espécie de lua com uma forte luz. A lua desaparece e nas mãos de Gardevoir surge uma esfera de cor brilhante.Tal feito gerava uma rajada de vento dentro da caverna. Gardevoir lança a mesma para frente, sem saber o que lá teria. A esfera atinge uma parede, quebrando várias pedras e abrindo um enorme buraco lá.
- Depois de tanta bagunça, o mínimo é ir para lá não é Cody?! – fala Cold incomodado.
Os homens vão andando lentamente para dentro, enquanto mal sabiam o que os aguardava. Já dentro da base, algo um tanto arriscado acontecia.
- Tem certeza que vai abrir a porta chefe?
- Abre logo isto! Quero ver como esta cachorra está!
Nick conversava com um de seus empregados. Apesar de não parecer, Nick era também um cientista incrível, que buscava sempre se beneficiar em tudo através da ciência. A porta da sala se abre, e o homem adentra a sela branca. Lá estava Mary, sentada com um rosto depressivo. Quando vê o homem ela sorri ironicamente e se levanta. O comprimento das correntes lhe permitia ir até onde estava o homem.
- Veio aqui tentar me forçar a fazer o que? – fala a mulher olhando Nick com nojo.
- Vim te dar uma segunda chance. Peça perdão pelo seu feito malicioso e quem sabe eu te solto!
- Pedir perdão para você? – diz ela sorrindo – Jamais! Olha, eu só quis seu dinheiro, não nego que te amei, mas amei muito além aquilo que você tinha a oferecer. Jóias, diamantes, fortuna! Amei tudo que provinha de seus roubos, me apaixonei pelo bandido rico, pelo vilão. Cheguei a me tornar uma bandida com você, só para poder colocar minhas mãos sobre sua riqueza e digamos que consegui não é?!
Nick ficava raivoso, apertava seus dentes e cheio de raiva ele bate na cara da mulher a jogando no chão.
- A mais estúpida, a mais ladra aqui é você! Eu te tirei da lama, tirei da pobreza, tudo que pedi era seu amor e quando paro para olhar ao meu redor, descubro que você queria me entregar para os meus inimigos a troco de míseros dólares!
- EU O FIZ E FARIA DE NOVO! TENHO NOJO DE VOCÊ! – grita a mulher.
Enfurecido o homem desencadeia vários chutes na barriga e no rosto da mulher. Sorrindo e sangrando um pouco ela responde.
- Você só pensa em criar um exército, em fazer com que os Pokémons fiquem poderosos. Sua ganância lhe fazer desejar algo que você não pode ter!
- CALADA! – diz ele raivoso – Eu vou conseguir, já estou próximo  isso. Seu Pidgeot será o próximo!
- Encoste nele e eu arranco seus pulmões!
O homem chuta a mulher novamente, porém dessa vez ela consegue se defender segurando a perna dele. Com um pouco de esforço ela sacode a mesma, desequilibrando o homem e o jogando no chão. Rapidamente ela segura uma parte de suas correntes e da duas voltas no pescoço do homem com esta e começa a enforcá-lo.
- Me solta! – fala ele com dificuldade.
-É bom não é?! – fala ela apertando com força à corrente – Ser preso, se sentir sem ar. Mas sou boazinha. Tira-me daqui agora e eu não te mato!
O homem ficava vermelho e quando estava quase ar, com dificuldade ele retira uma Pokébola e a joga, saindo dela um Sylveon. Sylveon percebe a situação e forma uma Esfera das Sombras e a lança na mulher a jogando contra a parede e fazendo com que Nick fosse solto. Logo Nick respira e se levanta chutando a mulher.
- Você não é nada! NADA! – gritava o homem.
Sylveon se mantinha parado, ate que uma aura azul envolve seu corpo. Logo Sylveon é levado para fora e um forte brilho surge e some rapidamente. Curioso, o homem vai para fora da sala.
- Fique aqui... Alias, não tem como você sair mesmo!
O homem sai sorrindo e a mulher chora um pouco. Quando ele sai da sala, encontra Sylveon desmaiado junto de seu assistente. Rapidamente ele corre o olho na sala e não encontra nada. Procurando para cima, ele encontra um buraco feito no mais alto de sua parede.
- Quem será que foi o invasor... – fala o homem preocupado e já esperando uma resposta.
- Procurando por mim? – diz Cold.
- Ah é claro... Só podia ser o pirralho. Se veio aqui tentar algo contra mim, já aviso que estou de mau humor!
- Pouco me importa... Maninho!
- Pequeno Cold...
Os homens se encaram e por algum tempo se mantém em silêncio.
- Vamos ser rápidos, tenho pesquisas a fazer! Steelix vai!
- Kangaskhan você também.
- Mega-Evolua! – falam eles juntos.
Fortes luzes e raios encobrem todo o lugar. A base de Nick era toda branca. Por dentro da caverna havia uma espécie de chão falso que se fosse quebrado cedia lugar para entrar na base. O lugar era gigante, havia mesas com vários experimentos em frascos, e uma sala no fundo onde Nick realizava experimentos mais avançados. Após o final do brilho, ambos Pokémons estavam ainda mais fortes!
- Que bela evolução! – fala Nick com interesse.
- Você é obcecado não é? Raptar uma mulher, roubar bancos... Sem falar na experiência maluca de fazer com que Pokémons fiquem presos na Mega Evolução. Por qual motivo?! Não responda eu sei! – fala o garoto
- Rayquaza será meu, junto de qualquer um que se opuser no caminho. Você maninho, será meu troféu de vitoria! Steelix, Sopro do Dragão!
- Me desculpe, mas não dessa vez. Kangaskhan Hiper Raio!
O raio verde se colide com o raio laranja. Ambos se chocam fazendo com que uma rajada de vento jogue muitos frascos que estavam nas diversas mesas ao chão.
-Andou treinando?! Da última vez já havia sido derrotado! – fala Nick com superioridade.
- Ainda não viu nada!
- Steelix, Cauda de ferro!
- Kangaskhan segure!
Steelix estica sua longa calda e tenta acertar Kangaskhan, porém o filhote do mesmo segura a cauda de Steelix.
- Obelisco!
- Giga Impacto!
Os ataques se formam, e protegido pelo giga impacto, Kangaskhan se defende do ataque adversário.
- Soco Cometa!
- Presa Trovão!
Kangaskhan e seu filhote se aprontam, e seus punhos criam um brilho azulado. Kangaskhan tenta acerta Steelix, porém, este morde a mão da mãe lhe dando um grande choque. Já o filhote acerta o queixo de Steelix, fazendo com que ele solte a mão de sua mãe. Steelix cai de lado estirado no chão.
- Também andei treinado! – Fala Nick – Steelix se levante e use Sopro do Dragão!
- Giga Impacto!
Steelix se levanta e lança outro de seus raios verdes. Dessa vez ele mira no pequeno filhote de Kangaskhan e então a mãe do mesmo entra na frente usando o giga impacto. A colisão faz com que um forte som se ecoe pelo lugar, junto de uma fumaça negra.
- Kangaskhan se aproxime de Steelix e o agarre pela cauda!
- Steelix não deixe use Cauda de Ferro!
Kangaskhan sai andando pela fumaça procurando Steelix, porém, a serpente de aço acerta fortemente Kangaskhan que é lançado contra uma parede, indo para fora da fumaça.
- Já chega não acha?! – fala Nick – Agora acerte o filhote também!
- Kangaskhan, use Giga Impacto!
- Steelix Cauda de Ferro!
- Isso! – fala Cold
- Isso?! Você verá o quanto será bom!
Quando Steelix ia concentrar um forte brilho em sua calda, o filhote de Kangaskhan aparece do nada o agarrando pela cauda e com extrema dificuldade o lança contra o Giga Impacto, gerando novamente outra explosão. Steelix podia ser visto saindo de toda fumaça sendo jogado para cima devido ao ataque mortal de Kangaskhan.
- Acho que já chega! Kangaskhan, Soco Focalizado!
Uma forte ventania toma conta do local. Steelix cai na parede atrás de Nick cuasando um estrago enorme na mesma. Desesperado, Nick pensa em algo, porém já era tarde! A ventania se concentra nos punhos de Kangaskhan e seu filhote, fazendo surgir uma fortíssima luz. O filhote sai correndo e quando Steelix se levanta, ele recebe do filhote, um soco em seu queixo. Logo chega Kangaskhan que golpeia de forma tão forte, que consegue trincar o queixo deomesmo. Steelix grita de dor e volto ao normal, caindo desmaiado e muito ferido.
- Essa foi fácil Nick! – fala Cold.
- Desgraçado! Vai ver... Você vai pagar!
- Não, quem vai pagar é você! Kangaskhan agarre esse idiota!
Kangaskhan sai para pegar Nick, e logo Nick se afasta. O homem chegava perto da parede, e encurralado nesta, ele pressiona uma parte da mesma. Naquele instante uma entrada surge na mesma e Nick se joga nela. Ao passar pela entrada, esta se fecha, e logo após Kangaskhan a golpeia, porém a mesma era feita de um aço extremamente resistente.
- Droga ele fugiu! – fala Cold decepcionado.
Logo surge Cody com Mary. A mulher mal conseguia andar devido aos golpes de seu ex-amor. Cody olha para Cold perguntando sobre o paradeiro de Nick.
- Para onde foi o pilantra?
- Ele fugiu chefe. Desculpe-me, ele foi muito rápido. Afastou-se até chegar naquela parede, pressionou uma de suas partes, daí apareceu uma entrada cuja qual ele entrou e logo após esta se fechou.
- Entendi... Bem, ao menos ele deixou Steelix, Sylveon e o assistente dele. Liga para o QG e diga que precisamos de homens aqui, vamos levar Steelix embora e solta-lo. Quanto a este Sylveon, deixe que vamos treinar-lo novamente. Será bem útil! E o assistente terá muito a nos contar.
Cold sorri do que o homem falava. Logo Mary se pronuncia.
- Vocês devem ir para Santalune. Ele com certeza vai buscar apoio ao lado do filho, afinal vocês não poderão machucá-lo perto daquele menino ou serão expostos. Para piorar a situação, a vaca da Isadora está com ele. Serão 2 coelhos com uma só cajadada.
- Obrigado pela informação, mas isto não vai diminuir sua culpa. Você esta presa por furto, homicídio e cumplicidade criminal. – falava Cody.
- Mas... Não matei ninguém! Nick matou o pai dele e me acusou. Eu só concordei com o feito, pois receberia uma grande quantia em dinheiro. – fala a mulher com astúcia e usando de um forte drama.
- Não me importa o porquê, mas sim sua cumplicidade para com ele. – diz Cody.
- Olha, então já que é assim, ao menos soltem aquele Pidgeot ali. O pobrezinho foi preso ali para que pudesse me vigiar. A gaiola é eletrizada, ele já tomou várias descargas. – fala ela com um olhar piedoso.
- Está bem. Cold use a Kangaskhan para tirar o pássaro de lá.
Cold sai com Kangaskhan e entra na sala ao lado. Kangaskhan quebra a gaiola usando o Giga Impacto. Pidgeot sai da gaiola, porém sua feição não era nada boa. Do outro lado, Mary pressiona a pedra que estava escondida em seu vestido. Logo os raios da Mega Evolução saem de lá, e assustado Cody a larga.
- Cold não deixe esse pássaro sair daí, ele é da Mary!
Cody aos gritos avisa da astúcia da mulher. Mais do que depressa, a Mega Evolução acontece. Pidgeot sai voando da sala e vai até onde Mary estava.
- Mega Pidgeot e eu vamos embora está bem?! – fala a mulher sorrindo.
- Ah mais não vão não! – fala Cold chegando com Kangaskhan – Hiper Raio Kangaskhan!
- Pidgeot use Movimento Espelho!
Pidgeot olha atentamente o hiper raio que se formava. Seus olhos adquirem um brilho inigualável e logo após, ele começa a acumular um raio em seu bico. Kangaskhan lança o raio junto de Pidgeot, e ambos os golpes colidem criando uma espécie competição de força. Os raios ficavam se encontrando até que uma esfera começava a se formar entre eles, uma espécie de sobrecarga. A mesma fica gigante e a ponto de explodir.
- Pare Cold, ela vai explodir! – alerta Cody assustado.
- Tarde demais! – grita Cold assustado.
A grande esfera explode e para que ela não chegasse até Mary, à mulher decide fazer algo.
- Pidgeot, use Furacão!
As asas do pássaro adquirem um brilho quase inesgotável. Pidgeot as bate gerando uma ventania que destruía o local. Logo a mesma toma forma de um furacão que vai em direção a Cody e Cold. O furacão absorve a explosão, o transformando em uma massa destrutiva. Neste contratempo Mary sobe em Pidgeot e foge com dificuldade dali. Após alguns minutos o furacão se extingue e podia se avistar Cody, Cold e um Aipom dentro de um campo de força verde.
- Muito bem Aipom volte!- fala Cold.
- Você foi rápido! Retornou Kangaskhan e usou Aipom na hora certa.
- Mary aprendeu a ser baixa com nosso irmão. Já era de se esperar algo assim dela. Fingida como é, provavelmente vai buscar auxilio com alguém. Ainda tem o problema com Nick e os meninos... Temos que proteger nossos sobrinhos!
- Eu sei... Apesar de você ser o mais novo, sem sombra de dúvidas é o mais forte de nós três. Se tem alguém aqui que seria ideal para proteger aqueles garotos, esse alguém é você Cold.
- Você quer que eu os proteja? – diz Cold assustado.
- Sim... Até controlarmos a situação, preciso que você os proteja. Nick vai tentar de tudo, desde usar nossos sobrinhos como forma de proteção, à até mesmo usar de sua ex-mulher. O que quer que ele queira, não podemos deixar que ele continue.
- Bem, em partes você tem razão. Vou fazer o que posso, mas não essa semana. Precisamos deixar que Nick ache que o esquecemos. E aí depois posso aparecer e voltar à ativa, mas só te peço um descanso. Estamos há meses a procura de nosso irmão. Preciso de alguns dias de férias.
- Bem farei melhor. Venha passar o final de semana em minha casa. Sou seu chefe, mas acima de tudo sou seu irmão mais velho! – fala Cody segurando o braço do irmão.
- Olha... Não tenho escolha melhor não é? – fala Cold sorrindo.
E assim os dois esperavam o restante da equipe aparecer para que eles pudessem finalmente ter seu merecido descanso. Algumas horas após, a bela lua dava lugar ao sol. Isadora dormia tranquilamente, equanto Kol havia passado uma parte da noite acordado, pois estava sem sono. Quando ele finalmente conseguira dormir, alguém havia voltado para lhe tirar o sono. Fennekin usava as brasas para criar um buraco na grande janela de blindex e entrar no quarto. Em alguns segundo ele pula em cima de Kol o acordando. Kol fica assustado sem reação. Fennekin fazia a mesma cara safada de antes. Lentamente Kol pega uma Pokébola e a lança. Ralts sai assustado ao ver Fennekin em cima da barriga de Kol. A pequena raposa enche sua boca de brasas e se prepara para lançar em Kol, até que ela percebe que estava levitando. Ralts a joga para fora da janela, pelo mesmo buraco que ela havia entrado. Kol se levanta e pede para que Ralts fosse até lá com ele.
- Vamos pular a janela juntos e ir acabar com essa Pokémon!
Ralts usa seus poderes psíquicos e se levita junto de Kol para o campo de terra que o garoto havia ido há horas atrás. Ao chegarem lá, Fennekin se enche de chamas e vai para cima de Ralts.
- Ralts use Confusão!
Ralts estava estranho. Sua confusão foi tão poderosa que ele apagou as chamas do corpo de Fennekin e a jogou a alguns metros de distância sem esforço algum. Fennekin se enche de força e lança uma rajada de brasas incandescentes no pequeno Pokémon.
- Ralts use... – Kol olhava para Ralts quando ele é interrompido.
Quando Kol ia dar um comando para Ralts, o mesmo estava brilhando. A luz de Ralts se torna uma espécie de onda psíquica, e em questão de segundos Kol, Ralts e Fennekin desapareceram do campo. Mal sabia Kol, que Ralts havia os levado para outro lugar!
CONTINUA...











thanks, clumsy @ sa!
Administradores
avatar
Idade : 19
Data de inscrição : 16/01/2016
Número de Postagens : 91
Localização : MG

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Kol e a jornada em Kalos!
Cold' em Seg 25 Jan 2016, 11:20
Treinamento:
04 estrelas


-A história está muito boa,como sempre,e as batalhas dos personagens secundários também.


-A sua própria batalha está pequena e não muito emocionante.


- Comece a especificar o que seu post é (Treinamento,evolução,captura,história). Continue assim, principalmente com sua história, estou adorando seus "plot twists"
Administradores
avatar
Data de inscrição : 13/12/2015
Número de Postagens : 31

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Kol e a jornada em Kalos!
Kol Mikaelson em Qua 27 Jan 2016, 00:49


KOL E A JORNADA EM KALOS


post: Captura▬ tags:- ▬ escutando: - ▬ local:- ▬ vestindo:-

Ralts, o brincalhão!

 .
Ralts emanava um brilho de seu corpo em forma de onda, que fez com que todos que estavam próximos a ele fossem tele-transportados para outra região e mal sabia Kol que tal fato havia acontecido. Após o sumiço do clarão Kol se via em meio a um belíssimo campo de girassóis, que continha aproximadamente 5 quilômetros de plantação. No meio do mesmo ficava uma belíssima casinha de tijolos junto de um moinho. O céu azul iluminava e deixava ainda mais belo todo ambiente. Kol ficava confuso, há alguns segundos atrás estava em Kalos e agora ele mal sabia onde estava.
- Ralts o que você fez? – falava Kol olhando indignado para Ralts.
Em questão de segundos, Kol é envolvido por uma aura azul e ele vai para trás de Ralts. Logo Kol entende o que Ralts havia feito, e Le vê a jogada da Fennekin, que havia saltado dos girassóis e estava indo em rumo de Ralts carregada de chamas. A aura azulada sai de Kol e envolve Fennekin que para no ar. Logo Ralts a atira em meio aos girassóis e rapidamente ele encerra seu ataque. Neste contratempo Fennekin continuava cheia de chamas e sem consentimento ela ateia fogo nas plantas que estavam ao seu redor. Como consequência, rapidamente o campo estava cheio de fogo e logo vários girassóis começavam a se mexer. Os girassóis saltam e se mostram serem muitas Sunflora’s que estavam escondidas em meio aos girassóis. Eram inúmeras, uma quantidade inimaginável! O rosto delas começa a ficar verde e a brilhar muito. Rapidamente o fogo percorria o campo e as várias Sunfloras rodeiam Kol, Fennekin e Ralts.
- Precisamois fazer algo! – fala Kol olhando para Ralts.
A Fennekin se dava conta do estrago que causara e se afastando um pouco, ela fica próxima a Kol. As Sunflora’s fecham um circulo em volta de Kol e os pequenos Pokémons e rapidamente, de seus rostos saem uma quantidade inimaginável de folhas incandescentes que acertavam o garoto e seus amigos. As folhas continham um poder de impacto incrível e fazia com que Kol sentisse um pouco de dor, sendo que o dano maior era recebido pela frágil pele dos Pokémons.
- Ralts nos tire daqui! – gritava Kol.
Ralts se concentrava e os ataques lhe geravam fúria. As Sunflora’s começavam a ser levitadas do chão, porém continuavam seu ataque. Em alguns segundos, as Sunflora’s são lançadas para lados diferentes e Kol percebe que os chifres de Ralts estavam azuis novamente. Ralts agarra a perna de Kol e imediatamente um brilho os envolve. Ao notar a situação, Fennekin salta e cai em cima de Ralts quando o mesmo iniciava o Tele-transporte. O campo verde de girassóis aos poucos se tornava cinza e as Sunflora’s eram feridas pelo fogo. Sem piedade alguma, Kol e seus amigos fogem dali graças aos poderes de Ralts. Kol esperava que ele retornasse para a pousada, porém quando Ralts termina de usar seus poderes, Kol se via em uma espécie de geleira. O lugar era uma linda caverna de gelo, o chão da mesma lembrava diamante. As sensíveis estalactites se pareciam com lustres, dando a caverna um ar de luxo. A alguns metros da entrada havia um bela pedra em forma de prisma. Kol faz sinal mandando Fennekin e Ralts não fazer muito barulho e ele lentamente se aproxima da pedra. O lugar apesar de ser de gelo não era tão frio, mas sim incrivelmente elegante e belo. Kol toca a pedra e percebe que esta era bem rígida. Curioso, ele dá a volta para trás da pedra e vê uma pequena cascata. Interessado em investigar ele desce uma espécie de pequenos degraus e sai em um laguinho dentro da caverna. O garoto admirava tudo aquilo, desde a água cristalina a até mesmo as marcas que havia no chão onde se encontrava a cascata. Ele sobe os degraus e chama seus amigos para descerem até lá. Em questão de minutos estavam Fennekin e Ralts observando o lugar que Kol achara. Fennekin estava calma e estranhava tudo aquilo e enquanto observava, ela pensava em uma forma de atacar o garoto e Ralt. Kol explora um pouco o lugar e descobre uma pequena luz atrás da cascatinha. Ele resolve passar por ali e ir ver o que havia lá atrás e ansioso ele pede ajuda para Ralts.
- Ralts, use seus poderes para cessar a água da cascata enquanto me levita e me passa para lá! – fala ele apontando para a cascata.
Ralts balança sua cabeça e toca Kol junto de Fennekin. Em alguns segundos o clarão toma conta de tudo e quando o mesmo desaparece, Kol via que a cascata caia atrás de si, e que a frente havia um gramado congelado junto de algumas plantas já mortas e mais a frente uma forte nevasca.
- Você nos trouxe aqui usando o Tele-transporte Ralts?
- Raaal! – diz o Pokémon de poucas palavras afirmando o que seu treinador dissera.
- Bom trabalho! – fala Kol acenando para Ralts.
O lugar que Kol se encontrava era um tanto estranho. Possuía algumas plantas mortas e seu gramado era congelado. Lá fazia um pouco de frio, e uma brisa gelada podia ser sentida. Aos poucos uma neve fina ia caindo e Kol mantinha-se hipnotizado por tudo aquilo. Após algum tempo de distração, Fennekin se aproveita e lança suas brasas em Ralts. Kol volta para a realidade e decide lutar para pegar a pequena.
- Ralts, Esfera das Sombras!
As brasas que acertaram Ralts haviam queimado seu braço, porém ele ignora as queimaduras e parte para cima de Fennekin usando uma esfera roxa. A mesma acerta Fennekin que é jogada á alguns metros pelo impulso do ataque. Enquanto Kol lutava contra Fennekin, alguns montinhos de neve começavam a se mexer no chão sem que garoto notasse. Mal sabia Kol do problema que iria enfrentar.
- Ralts use Choque do Trovão!
Os chifres de Ralts ficam amarelados e lançam fortes raios em Fennekin. Fennekin usa a Carga de Chamas e dessa forma os raios eletrizam o ataque da pequena raposa. A pequena corre rapidamente em direção a Ralts, o acertando. Ralts cai no chão e tenta se levantar, porém a eletricidade que o golpe adquiriu o paralisou.
- Ralts, revide, use a Confusão!
Ralts podia não se mexer, porém sua mente continuava em perfeito estado. O pequeno usa a confusão e levita Fennekin e a joga no chão algumas vezes. Desesperada a Pokémon lança brasas para vários lugares. Em um descuido ela lança suas brasas nos pequenos montes de neve que se mexiam. Os dois montes saltam para fora, se revelando ser Pokémons. Os mesmo pareciam uma espécie de montanha bem pequena. Enfurecidos, os Pokémons juntas suas mãos e começam a lançar raios de gelo em direção a Ralts e Fennekin. Ralts ainda usando a confusão, usa Fennekin para se proteger a colocando na frente dele.
- Droga, mais Pokémons! – fala Kol chateado.
Fennekin é acertada pelos raios de gelo, porém mesmo com dor ela se mantinha forte, afinal não havia muita eficácia dos mesmos nela. Ralts não consegue manter a confusão mais e acaba que solta Fennekin. Os pokémons eram nada menos que Snover’s que ali moravam. Após sair do ataque, Fennekin balança sua cabeça e os Pokémons param os raios por alguns instantes. Fennekin lança suas brasas neles e com muita eficácia os mesmos começam a chorar.
- É isso aí Fennekin – fala Kol feliz.
Fennekin da um pequeno sorriso de canto de boca enquanto os dois Pokémons somem. Logo ela rosna para Ralts, indicando que voltou a batalha. A pequena salta em cima de Ralts dando vários arranhões.
- Você quer brigar não é? – fala Kol raivoso.
Ralts se mantinha paralisado até que os golpes de Fennekin fazem com ele volte ao normal.
- Ralts, abrace Fennekin e use o Choque do Trovão!
Ralts agarra Fennekin a abraçando, e quando ele prepara o choque do trovão ela se enche de chamas novamente e queima os braços deste. Atordoado ele perde o foco de seus ataques e Fennekin rosna mais uma vez e em sequência ela da uma cabeçada em Ralts. Logo ela acerta sua cauda nele usando o Chicotear e automaticamente abaixa a defesa do pobre Pokémon.
- Ah mais você vai ver. Ralts, Esfera das Sombras e depois Choque do Trovão nela!
Ralts mesmo sendo atacado se mantinha de pé com algumas marcas em seu braço, mostrando que ele havia se queimado. Ralts lança a esfera roxa contra Fennekin e usa o ataque elétrico na mesma. A esfera absorve o ataque de Ralts e muda de roxa para azul. Fennekin ia desviar, porém Kol se apronta para mais um truque.
- Use Confusão para levá-la até a esfera!
Ralts envolve Fennekin com poder psíquico ea pequena é lançada contra o ataque dele. Fennekin toma um choque e logo após a esfera das sombras explode e uma densa fumaça azul impedia Kol de ver se Fennekin havia perdido. Logo a mesma some e Fennekin estava estirada no chão ainda de olhos abertos.
- Ralts encerre com Esfera das Sombras!
Ralts lança sua esfera diretamente em Fennekin que é lançada para trás e acaba por sumir também.
- Ué, para onde ela foi? – fala Kol olhando para frente.
A frente de Kol nada podia ser visto devido a uma espécie de nevasca que se formava dali para frente. Após alguns segundos Fennekin volta em uma velocidade incrível na direção de Kol e a mesma é pega pelo garoto, que a segura em seus braços. Fennekin estava espantada e aparentava medo.
- O que houve peste? – fala Kol preocupado.
Ralts estava à frente de Kol e o mesmo vê uma figura assombrosa aparecendo ali. Logo ele se esconde atrás das pernas de Kol, e o garoto percebe que algo se aproximava.
- Ah não... – diz o garoto assustado ao ver algo na nevasca.
Da nevasca sai uma criatura horrenda, bem forte e de aparência demoníaca. Logo ela fecha sua feição mostrando que estava nervosa.
- Foi ela que te chutou Fennekin?!
- Feen! – afirma à pequena.
- Fennekin, seja lá o que for isso vou precisar de você. Está coisa deve ser a evolução daqueles outros Pokémons ou até mesmo a mãe deles. Você foi eficaz contra ele, permita que eu use você e Ralts para vencermos! – fala Kol acariciando a pequena raposa.
Fennekin faz uma cara de confiante e logo ela salta dos braços de Kol e fica ao lado de Ralts.
- Muito bem, seja lá o que for vamos lá!
A Abomasnow da um giro e lança algumas Folhas Navalha nos adversários. As folhas giravam rapidamente e pareciam ser bem afiadas.
- Fennekin Brasas e Ralts Confusão nas brasas!
Fennekin lança suas brasas que combinadas à confusão e criavam pequenas explosões de fogo na frente dos Pokémons, o que funcionava como uma espécie de barreira contra as folhas. Logo que todas as folhas acertam a barreira de fogo, esta some e mais do que rápido Abomasnow atira várias Balas de Sementes em seus rivais. Uma longa rajada é atirada com muita precisão e velocidade acertando os pequenos Pokémons.
- Não se deixem abalar por coisas assim! Ralts Choque do Trovão e Fennekin Carga de Chamas!
Fennekin se carrega de chamas e da uma investida em Abosmanow que sente um pouco do golpe da raposinha. Já Ralts não consegue retirar muito dano da Pokémon enfurecida. Abomasnow lança uma Esfera de Energia verde brilhante que acerta Ralts. Ralts fica um pouco tonto com o golpe e a rival se aproveita para dar um Soco de Gelo em Fennekin.
- Fennekin salte em cima da cabeça dela!
A Pokémon concentra sua força em seu pulso e logo o mesmo fica em um tom azulado e brilhante. Ela tenta acertar Fennekin que estava em sua frente, porém Fennekin salta e para em cima de sua cabeça.
- Muito bem, Carga de Chamas e Ralts use o confusão e faça com que as chamas saiam de Fennekin e comessem a se espalhar pelo corpo de Abomasnow!
Fennekin se enche de chamas e neste momento Ralts usa confusão fazendo com que as chamas comecem a se espalhar pelo corpo de Abomasnow. Fennekin sai de cima da cabeça da rival e para ao lado de Ralts. Fennekin por alguns segundos se sentia amada e confiante ela decidia em acabar com aquela luta. Neste contratempo Abomasnow se desesperava enquanto era incendiada.
- Ralts termine com isso! Esfera das Sombras!
Ralts acerta a Esfera na Abomasnow que continuava a se mexer de um lado para outro desesperada. Logo ela é acertada pelo golpe de Ralts, e mesmo assim ela se mantinha de pé tentando se livrar das chamas.
- Tive uma idéia! Fennekin corra ao redor dela e use Chicotear e depois Brasas, as atirando para cima. Ralts termine usando Confusão de modo que enquanto Fennekin gire, suas brasas formem um pequeno redemoinho ao redor de nossa adversária!
Fennekin acerta a cauda em Abomasnow e após isso ela começa correr rapidamente ao redor da mesma. Quando Ralts usa Confusão, as brasas começam a se movimentar em espiral e Fennekin se afasta. Por fim o ataque se torna um redemoinho de fogo que fazia com que a inimiga urrasse de dor. Fennekin volta para perto de Ralts e Abomasnow cai de costas no chão e continua pegando fogo enquanto Kol tentava ir embora dali.
- Ralts é nossa chance nos tire daqui!
Ralts estica seus braços apontando para seu Treinador e para Fennekin, e logo começa a brilhar fortemente. Como em um passe de mágica o brilho se cessa e Kol logo enxerga onde estava. Ele fica feliz ao se encontrar no quarto da pousada junto de Fennekin e Ralts.
- Nossas vocês viram?! Nós fomos fantásticos! Fomos muito bons!
Os Pokémons sorriem e Kol pega Fennekin a abraçando.
- Seria uma honra ter você comigo na equipe... O que acha?
Fennekin sorri, porém pula a janela quebrada do quarto, convidando Kol para batalhar. Quando Kol ia saltar ele olha algo que o incomodava. No final do campo, Isa e uma garota batalhavam ferozmente.
- Gible, Fúria do Dragão!
- Amaura Raio de Gelo!
O raio azulado se choca com a esfera esverdeada, e após uma pequena explosão uma fumaça colorida se forma.
- Gible, Sopro do dragão!
- Amaura, Sopro de gelo!
O raio azul brilhante se encontra com o sopro de Gible. Aos poucos Gible vai perdendo para o raio, que lentamente vai se aproximando de Gible. O raio atinge Gible e com muita eficácia o mesmo lança Gible para o alto.
- Gible não! – grita Isa.
- Adeus pro seu Gible, Pulsação das Trevas!
Gible estava caindo e é acertado em cheio pelo golpe de seu adversário. Logo ele é lançado para ainda mais alto e em questão de segundos, cai no chão nocauteado.
- Gible... Você foi bem! – fala Isa triste – Volte amigo!
Isadora retorna Gible e olha com cara feia para a outra garota que ali estava. A mesma era ruiva com cabelos bem cacheados e usava um rabo de lado. A menina trajava uma blusa regata branca e um short preto que combinava com suas longas botas que iam até suas coxas, que como o short, também eram pretas. Os olhos castanhos da garota imanavam mistério, e além disso, muita seriedade.
- Você ficou boa Isadora, mas não melhor que EU!
- Você só ganhou por vantagem Meme... Você sabe!
- Não banque a coitada! Desde pequena ganhei de você... Minha vitória sobre você é algo que será cotado como certeza para mim! Não perco para você em momento algum. Não perco nada...
- Você joga sujo! Foi assim que Brendan te escolheu... Aposto que da mesma forma que mentiu para ele, você também mente para mim falando do Cold!
- Aceita a perder, sua mimada! Garanto que está acostumada a sempre vencer e quando perde uma fica toda revoltada. Acostuma porque enquanto eu estiver por aqui vai será derrota atrás de derrota!
- Não vai ser mesmo!
- Você perdeu hoje, vai perder mais dias! Deixa de ser fútil infantil e metida!
- Ah sua... Sua...
- Perfeita? Sou sim e sou muito! E só para constar, Brendan e eu vivemos um relacionamento sincero, assim como eu e o Cold. Roubo suas vitórias, seus amores e se tiver como levo até seus Pokémons.
Isadora fica de frente para a rival e aponta o dedo na cara dela.
- Fala mais alguma coisa e vai ver!
- Não preciso dizer nada, você é a rejeitada da família de porcos cuja qual você veio... A excluída, a indesejada. Você Isadora é tudo que se faz relação com o fracasso!
Isadora perde a cabeça e agarra a menina pela blusa.
- Me chame do que quiser sua vagabunda, me ofenda de qualquer forma, mas não use o nome da minha família!
Isadora da um soco na barriga de Meme e a joga no chão. Meme olha para Isadora e ri da cara da menina.
- Baixo seria um elogio para você. Derrotada e revoltada é o termo certo. Sinto muito se minha família me aceita, se não sou a rejeitada e acima de tudo a indesejada!
Isadora chuta a menina e Kol chega naquele momento e tira Isadora dali e levanta Meme.
- Que isso Isa? Por qual motivo você está batendo na garota?
- Coisa pessoal! – diz ela tirando Kol da sua frente e indo até Meme – Posso ser tudo isso, mas não vivo de imagem, de ibope. Vivo de sentimentos sinceros, vivo cada dia como se fosse o último e acredite se hoje fosse o meu último dia, não poderia partir sem ao menos te dar uma surra!
Meme da um tapa na cara da menina e esta da um soco em seu olho. Meme olha atentamente para ela e vira as costas e sai após isso. A menina da à volta e sai pela entrada da pousada, assim partindo e deixando Kol e Isa lá.
- O que houve prima?
- Aquela idiota Nikolas. Esmagou-me como uma barata, venceu todas minhas técnicas, pisou em Vivilion e Turtwig. Não sei como, mas ela conseguiu me vencer, me ofender. Ela disse que Cold e ela já tiveram um caso. Você sabe que gosto do Cold. É absurdo, afinal eu só o conhecia por livros até ontem, mas me apaixonei pelo jeito simples dele.
- Te entendo... Vem aqui! – diz ele a abraçando – Sempre estarei do seu lado. Lembra que nunca vou te abandonar, quando você concordou que viria comigo, eu disse que cuidaria de você e assim farei!
Isadora solta o garoto e sai para dentro da pousada. Kol ficava pensando em tudo o que havia acontecido e logo ele volta a si lembrar que deveria pegar a Fennekin para si!
- Ei, Fennekin! Vem aqui, há nossa hora chegou!
Fennekin estava do outro lado campo com Ralts. Ela e Ralts vêm lentamente, e Ralts fica a frente de seu treinador e Fennekin se posiciona para começar a batalha. Enquanto isso, na casa de Isadora se encontrava uma belíssima mulher. Era ninguém menos que Mary! A mulher estava na cozinha e comia uma maça enquanto preparava um suco. Mary se lembrava de tudo que passou quando estava preparando sua bebida, e algumas lágrimas escorrem pelo seu rosto. Ela as limpa e termina seu suco e logo após se direciona para o quarto. Mary se deita e tenta dormir um pouco, porém sempre que pegava no sono ela tinha pesadelos com sua prisão, e acima de tudo com seu estado de foragida. Após algum tempo, ela cai em um sono profundo e finalmente conseguia dormir. Em questão de minutos, após isso, Nick aparece no quarto e observa a mulher dormir. Toda inocente ela mal sabia o que ocorria enquanto ela descansava.  Já no campo, Kol se preparava para iniciar sua batalha na tentativa de pegar Fennekin.
- Ralts, inicie com Esfera das sombras!
Ralts canaliza seu poder e ataca, logo Fennekin lança suas Brasas, porém desta vez ao entrarem em contato com a esfera de Ralts, as brasas fazem com que a esfera exploda. Fennekin salta por cima da explosão de cores que se formava e usando de uma bela flexibilidade ele gira e acerta sua cauda em Ralts, parando de costas para o mesmo.
- Ralts, aproveite e o agarre! Choque do Trovão!
Ralts agarra Fennekin e seus chifres logo liberam os raios dourados nela,lhe dando uma descarga.
- Ralts não pare, use Confusão!
Ralts continua segurando Fennekin enquanto a mesma é envolvida por uma aura azul. Ralts a solta e ele a leva ao ar e a joga contra chão, sendo que enquanto isso ela se carrega de chamas. Ao se chocar contra o chão, Fennekin faz com que uma explosão de chamas brilhantes e vermelhas tomasse conta de onde ela caiu. Em uma velocidade admirável, ele acerta Ralts. O impacto lança Ralts a alguns metros, jogando-o no duro solo. Logo Fennekin vai para cima do mesmo, o enchendo de arranhões.
- Ralts, Esfera das Sombras!
Fennekin levanta sua pata para dar mais um arranhão e nessa hora, Ralts libera seu golpe jogando Fennekin aos ares!
- Choque do Trovão!
Ralts lança outra sequência de raios em Fennekin, que ainda nos ares novamente se carrega de chamas, que ao entrarem em contato com o Choque do Trovão, impulsionam o poder da pequena. As chamas de Fennekin ganham uma espécie de eletrostática e ela vai em direção a Ralts.
- De novo não... Ralts use esfera das Sombras!
Ao lançar o ataque, a esfera colide com o golpe de Fennekin, e depois de um tempo as chamas absorvem a mesma, fazendo com que passem do vermelho para o preto. Kol se desespera ao ver aquilo e sem saber o que fazer grita com Ralts.
- Ai não... Ralts fuja daí!
Ralts então se lembra de seu novo poder e logo quando Fennekin ia acertá-lo, ele se tele-transporta para cima de Fennekin e Kol tem uma idéia.
- Espere-a cair e use o Tele-transporte levando ela para bem alto!
Fennekin colide direto com e chão e quando ela olha para cima, Ralts a pega e usando seu poder, ficando em uma altura inimaginável com a pequena Pokémon.
- Ralts use Esfera das Sombras e após Tele-transporte de novo e lance outra, porém dessa vez de baixo para cima!
Ralts lança sua esfera roxa de cima e ao chegar ao solo ele lança outra, fazendo com que Fennekin fique no meio de 2 esferas, uma vindo de cima e outra de baixo.
- Agora, vamos acelerar essa captura amiguinho? Use Confusão e faça com que Fennekin e as esferas se choquem mais rápido!
A confusão faz com que as esferas e Fennekin se colidam, resultando em uma grande explosão. Logo Fennekin sai da nuvem preta da explosão formada pela estratégia de Kol. A pequena cai nocauteada no chão e Kol saca sua Pokébola rapidamente.
- Pokébola, é com você!
“ Tum, Tum, Tum, TUM!”
- É Ralts pegamos uma Fennekin!
A luz vermelha para de piscar e Kol logo percebe que conseguiu capturar a pequena raposa. Feliz da vida ele contorna o campo indo ao Centro Pokémon recuperar seus Pokémons. Enquanto isso, na casa de Mary, a mesma ao acordar tem uma enorme surpresa.
- Mas o que é isso? Só pode ser brincadeira! E esse cheiro o que é isso?
- Gasolina amor... Antes que você implore piedade, só tenho uma coisa a dizer... Amei-te, enquanto você amava o que eu tinha a oferecer! Sabe, você falou a verdade para mim quando disse isso e fico feliz em saber que não sou mais enganado. O motivo de você estar aí acorrentada novamente nesta cama é bem simples...
- Deixa de ser louco Nick, me tira daqui!
- Não... Não ainda! Bem, foi fácil te achar sabe. Aqui é o único lugar que você tem para ficar. Mas, sabe, estou impressionado com uma coisa. Você ligou para há Sayu este mês!
- Não liguei!
- Ligou sim. Sabe como sei?! Grampeei seu celular. Vi as chamadas, as mensagens. Gosto da parte onde ela te oferece 1 bilhão de dólares pela minha localização e a localização de todas minhas bases! – grita ele – Me instiga saber que meu amor e o seu tem um preço tão alto!
- Nunca teve amor Nick – diz ela rindo – Só um jogo de interesses!
- Eu sei... Eu bem sei. Só que tenho uma dúvida! Antes de eu atear fogo em você, me diga onde está o arquivo com as informações sobre mim.
- Atear o que? Nick não faça isso. Nick você sabe que eu... – diz ela em prantos!
- Eu o que?! Ama?! Ama o dinheiro. Ama as riquezas e gente como você merece morrer queimada viva junto com as ambições.
O homem soca o rosto de Mary diversas vezes enquanto a mesma gritava de dor.
- Está no closet. Pega lá seu arquivo. Mas me deixa viva! ME DEIXA VIVA! – urrava a mulher com medo.
- É bom estar lá mesmo. – diz ele com um olhar ameaçador.
O homem abre o closet, e naquele momento a mulher grita.
- CICLONE!
- Sua porca!- diz ele entendendo a jogada dela.
Pidgeot sai de dentro do closet atacando o homem. O ciclone joga Nick perto da cama enquanto a grande ave atravessa para fora da janela.
- Pigeot não se importe comigo! Só pare de voar quando encontrar Isadora! Entregue a ela! – fala a mulher chorando.
- Mega Lucário vai!
Um Mega Lucário surge no quarto.
- Só pare quando Pidgeot estiver morto!
Mega Lucário pula a janela e vai atrás de Pidgeot.
- Viu que minha primeira experiência já deu certo?!
- CRÁPULA!
- Agora vem minha segunda experiência... Quanto tempo o humano se mantém vivo enquanto pega fogo? – fala ele retirando seu isqueiro e sorrindo maleficamente.
- Não Nick... Por favor!
- Foi bom o tempo que passamos juntos – diz ele chorando enquanto sorri ironicamente- Eu te amo, mas você não merece viver depois de tudo isso!
Nick beija a mulher que gritava e se mexia. Ninguém conseguia ouvi-la, ninguém poderia ajudá-la. Por fim Nick sai do quarto e joga seu isqueiro na cama, deixando que o fogo levasse embora seus sentimentos por Mary. Aos gritos, Mary morria queimada viva e Nick deixava a casa friamente.



thanks, clumsy @ sa!


Última edição por Kol Mikaelson em Ter 02 Fev 2016, 17:53, editado 2 vez(es)
Administradores
avatar
Idade : 19
Data de inscrição : 16/01/2016
Número de Postagens : 91
Localização : MG

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Kol e a jornada em Kalos!
Cold' em Sex 29 Jan 2016, 18:14
04 estrelas
Captura- Regular
Administradores
avatar
Data de inscrição : 13/12/2015
Número de Postagens : 31

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Kol e a jornada em Kalos!
Kol Mikaelson em Dom 14 Fev 2016, 15:08


KOL E A JORNADA EM KALOS


post: Captura ▬ tags:- ▬ escutando: - ▬ local:- ▬ vestindo:-

Decepções e Desesperos

The Burn... The Flames.

Já era noite, o relógio chegava perto das 10:00 horas. Kol e Isa se encontravam em um velório. O lugar era sombrio, o caixão dava um ar de depressão e tristeza naquele lugar. A sala era um tanto grande, as paredes de cor azul com a lâmpada amarelada deixavam tudo ainda mais melancólico. Isadora estava sentada perto do caixão. Seus olhos estavam vermelhos devido ao choro. Nikolas ficava do lado da prima, respirando calmamente e tentando segurar suas lágrimas, afinal ele deveria dar força a ela. Conforme se passava o tempo, a sala que estava cheia de pessoas aos poucos ia se esvaziando. Cold entra no lugar junto de seu irmão Cody. Juntos eles falam algumas palavras de conforto, e fecham o caixão indo levar o mesmo até o cemitério. Isadora e Nikolas vão de mãos dadas até o mesmo. Após alguns minutos eles chegam ao local e começam colocar o caixão na cova. Logo Isadora começa a gritar, agarrar no caixão e a chamar por sua mãe.
- VOCÊ TEM QUE VOLTAR! NÃO PODE SER VERDADE!
Isadora esperneava e agarrava ao caixão cada vez mais desesperada. Kol a tira de lá e começa a cantar uma canção, mostrando que ele além de bom treinador também era bom cantor! O garoto se posiciona bem próximo ao caixão e olha para o mesmo. Apenas a boca de Mary ficava visivil, já que seu corpo fora desconfigurado pelas chamas. Kol a encara e após um tempo, ele inicia sua canção, posicionando suas mãos sobre a grande caixa de madeira que ali estava.
- “Not really sure how to feel about it
   Something in the way you move
   Makes me feel like I can't live without you
   It takes me all the way
   I want you to stay… Stay...”

Todos choram com o pequeno verso que o garoto cantava. Isadora ao ouvir a canção se levanta para abraçá-lo forte, a garota não conseguia manter-se fria. Cold e Cody chegam ao lugar. Ambos estavam trajando ternos negros, e estavam bem elegantes. Os homens sentem o cheiro de morte do pequeno lugar. Ao olharem para Isadora, eles percebem que a garota estava em prantos, era muito para a pequena tudo que acontecera um dia antes. Os homens ficam alguns minutos de pé, quando de repente entra um Senhor bem velho e magro, com longos cabelos brancos e um nariz pontudo. O velho aponta para o caixão e após isto ele se vira, mostrando o local do cemitério. Cold entende o recado e se aproxima da grande caixa e fala com Isadora.
- Precisamos ir Isadora. Temos de levar o caixão, o coveiro já está aqui. Vamos partir logo, não temos muito tempo, o cheiro daqui já está dando náuseas!
-Vá você! – fala a garota chorando – Eu vou ficar aqui com ela. Vou cuidar do corpo, preservá-lo, dar um jeito de ficar intacto. Não me deixe... – falava a garota enquanto cutucava a boca da falecida.
- Por favor, Isadora... Deixe-nos levar o caixão!
- NÃO COLD, NÃO! – grita ela furiosa enquanto enxugava suas lágrimas.
- Ela não tem de escolher Cold – fala Cody – pega logo essa coisa e vamos levá-los ao cemitério. Ele fica a apenas uma quadra daqui.
Isadora se levanta e todos que ali estavam ficam observando a confusão. Nervosa, a menina chuta a canela de Cody e após tal feito dá um tapa na cara do grande homem. Kol se levanta desesperado e vai imediatamente retirar Isadora do meio de tal situação.
- Para Isa! – grita Kol – Se você não quer deixá-los levar o caixão, arrume um e vá junto! Deixe de drama, essa coisa aí esta fétida! Olha a boca desse cadáver, esta escura, seca, murcha! Prima, por favor...
- Até você?! – fala ela chorando – Então levem... LEVEM! – grita ela enquanto puxava seus cabelos.
Kol segura os braços da menina e acaricia o rosto de Isadora. A garota estava triste, doente. Sua expressão jovial se tornava algo depressivo a cada momento que se passava. Aos poucos Kol a leva para fora do pequeno Velório e vai chamando todos que ali estavam para procissão até o cemitério. Cold e Cody retiram o caixão e organizam aos gritos todos que ali estavam. Rapidamente uma pequena fila indiana se forma, estando a frente Cold e Cody levando o caixão junto de Kol e Isadora atrás deles. A garota fitava Cody, enquanto apertava a mão de Cold. Isadora se sentia incomodada e abalada, porém o carinho do homem lhe transmitia segurança.
- Sei que é difícil, mas somos amigos e estamos aqui para o que precisar! – fala Cold limpando os olhos com uma das mãos.
- Eu só quero um tempo para mim Cold. Ontem foi... Foi muito para mim! – falava Isadora se lembrando de tudo.
Isadora olha para o céu negro e vê que a luz do luar refletia sobre aquele caixão de madeira. Chateada a menina se lembra de seu dia anterior.

Um dia antes...

A casa de Mary havia pegado fogo, a mulher morrera aos gritos, seu corpo fora coberto por uma cor negra, sua casa ficou às cinzas. Tudo por causa da ambição de Nick, que abandonara a mulher lá enquanto friamente havia ateado fogo na mesma. O Mega Lucário de Nick perseguia ferozmente o Pidgeot da falecida em busca de um arquivo com dados sobre Nick, que o mesmo levava em seu pescoço. As Auras Esféricas de Lucário eram constantemente lançadas aos céus, criando muitas luzes azuis neste, que lembravam fogos de artifício. Nick deixara a casa e fora até a Floresta se esconder de seu crime. Enquanto isso, Kol saia do Centro Pokémon e voltava para a pousada onde ele se hospedou. O garoto estava feliz em ter capturado sua Fennekin, porém algo o incomodava em seu íntimo. Kol queria respostas sobre seu pai, sobre sua vida. Seus passos fortes levantavam um som estranho por toda a rua. As pessoas olhavam o menino com indiferença, com muita paciência Kol ignorava tudo aquilo e se concentrava apenas em si. Já Isadora estava na pousada, debruçada na janela de seu quarto observando o céu. A menina se via atraída por luzes coloridas que explodiam no céu de Santalune. A garota ficava curiosa ao ver tudo aquilo.
- Que belas luzes são aquelas? – indaga Isadora curiosa.
As luzes explodiam cada vez mais, as mesmas andavam no céu! Estas pareciam se aproximar da pousada, porém a garota não consegue esperar a chegada das mesmas e sai para ver o que era. A garota sai de seu quarto se direcionando e chegando atrás da pousada indo até o campo atrás da mesma, esperando que tais luzes parassem lá. Bem longe as luzes iam rapidamente chegando no local, onde se podia ver um Lucário correndo em uma velocidade sem descrição, e bem acima dele um Pidgeot. Lucário da um salto flexionando um pouco suas pernas, como uma míssil ele chega à mesma altura de Pidgeot. Ferozmente e com muita violência, Mega Lucario agarra Pidgeot por uma de suas asas. Ele o gira com força e joga o pássaro rumo ao chão e lança neste contratempo várias Auras Esféricas em Pidgeot. Tudo aquilo gerava brilhos e luzes no céu chamando a atenção de Isadora, que se amedronta ao ver algo indo à direção do campo de terra onde estava. Pidgeot cai no chão e um grande estrondo se faz naquele momento. Para sorte de Isadora, o pássaro caiu um pouco distante dela, e logo após, os ataques de Lucario acertam o local onde o Pokémon caiu, fazendo surgir um grande clarão azulado. O impacto da explosão celeste faz com que Isadora fosse jogada no chão. O brilho era tamanho e a garota não consegue abrir seus olhos devido ao mesmo. Após um tempo, Isa abre seus olhos e vê que o clarão havia sumido e rapidamente ela reconhece o Pokémon que estava caído no chão. Preocupada ela se levanta e sai rapidamente para dar socorro ao ser que ali estava. Ao se aproximar dele, Isa fica curiosa, havia um cordão preto em seu pescoço segurando um item vermelho que se parecia com uma espécie de chip. Curiosa e ao mesmo tempo hostil, ela se agacha para ajudar o pássaro.
- Ah não, esse é o Pidgeot da minha mãe! – fala a menina assustada.
Quando Isadora começa a examinar o Pokémon, ela se assusta ao ver que as asas do mesmo estavam feridas, e enquanto estava assustada, ela também admirava a chuva de cores nas penas do grande pássaro. A menina houve um barulho enquanto mexia em Pidgeot, o pássaro parecia não conseguir abrir seus olhos. Isadora começa a sentir uma rajada fria chegando a seu corpo. Uma fina poeira se levantava no campo, Pidgeot gemia de dor e Isadora fica curiosa com o que estava havendo. A brisa parecia ficar cada vez mais intensa, o que chamava a atenção da garota para o alto. Quando ela olha para cima, nota que algo estava chegando ao campo em uma velocidade quase inimaginável. Naquele momento uma enorme criatura cai no campo, fazendo com que um tremor se espalhe por todo o lugar e resultando também em alguns trincados na grossa terra que lá estava. Isadora fixa sua atenção no que ali estava e se assusta com a feição do mesmo, o Pokémon tinha um olhar demoníaco. Uma espécie de raposa grande, com postura de lutador junto de uma belíssima cor azul. O mesmo vai se aproximando lentamente de Isadora. A garota levanta e sem medo fica frente a frente com ele, na esperança de defender o Pidgeot.
- Você se parece com um Lucario... Não tenho medo de você! Você machucou meu amigo, você machucou o Pokémon da minha mãe. Você não passa de um lixo seu Pokémon escroto. Some daqui antes que eu...
Antes que a menina pudesse terminar, Mega Lucario leva um de seus pés para trás e com um sorriso maléfico da um forte chute na barriga da menina a jogando para longe. Isadora vai parar a alguns metros de distância de Lucario. A garota perdia a respiração devido ao local onde o poderoso golpe a acertou. A menina tentava respirar e não conseguia o que dificultava a situação para ela. Suas roupas se sujaram devido ao tombo, seus cabelos estavam cheios de poeira. O top vermelho de Isa ficara amarrotado com a potência do chute e sua saia sofreu um estrago devido à força de Lucario. O Pokémon olhava friamente para a garota e logo posiciona suas mãos como se fosse lançar algo. A feroz criatura faz um pequeno esforço, e uma forte brisa se espalha pelo local. Naquele momento uma forte esfera azul se forma em suas mãos e ele a lança na direção de Isadora. Isadora fica vislumbrada pelo brilho desta. A esfera se aproximava dela, quando um forte raio vermelho acerta a mesma, causando uma pequena explosão de cor acinzentada. A fumaça fica entre a menina e Lucario onde Isadora se levanta com dificuldade e vai para perto de Pidgeot para defender o mesmo. A fumaça se extingue e atrás de Isadora se encontrava um Mega Charizard Y. O dragão laranja possuía grandes asas em suas costas e algumas em seus braços. O Pokémon estava acompanhado de uma mulher alta e branca. A mulher usava um macacão preto e bem justo ao seu corpo. Seus olhos negros davam certos contastes ao seu longo cabelo preto e liso, tendo como detalhe sua franja em estilo japonês.
- Charizard, Super-Aquecimento de novo!
O Pokémon respira fundo e enche seus pulmões de ar. Logo, o mesmo solta um poderoso raio vermelho de sua boca que havia várias presas afiadas. O raio atinge Lucario em cheio. Lucario cai no chão de joelhos e enfraquecido. Com dificuldade ele se levanta e vai em direção ao dragão que ali estava.
- Lucario idiota – fala a mulher em tom de deboche – Charizard, use Inferno!
Os olhos do Pokémon se enchem de uma cor azulada. Charizard da uma pequena bufada e de suas narinas saem um estranho fogo. Ele abre sua boca em um tamanho quase inimaginável, e dessa forma ele expele um mar de chamas azuis que engolem Lucario e fazem uma espécie de redemoinho em volta dele.
- Eí garota, saia daí! – fala a mulher para Isadora.
Isadora agarra Pidgeot pelas garras e o arrasta para o lado. Após alguns segundos ela sai do meio dos dois Pokémons, permitindo assim que a batalha pudesse fluir de forma mais expansiva.
- Charizard, força total!
Charizard intensifica as chamas, que conforme o dragão se esforçava mais elas brilhavam. Após alguns segundos, Lucario cai no chão com o golpe, tendo grande parte de seu pelo queimado junto de algumas partes do corpo, onde se podia notar a gravidade do ataque, deixando exposta a carne de Lucario devido ao grau da queimadura. Os gritos de Lucario eram ouvidos por quem estava no campo, era como se estivessem matando o mesmo. Após algum tempo Charizard para o ataque e algumas cinzas se espalhavam pelo lugar. Lucario se levanta e estranhamente ele brilha e volta a sua forma normal. Após alguns segundos ele retorna para a mega forma.
- Droga... Nick conseguiu! – fala a mulher chateada.
Lucario vagarosamente ia me rumo a Charizard sorrindo, quando de repente ele é atingido por um raio laranja e por outro raio de cor colorida, onde estes eram lançados por Pokémons que não paravam o ataque. Os ataques acertavam as laterais do corpo de Lucario, que cai de joelhos devido ao dano que sofria.
- Cold e Cody... Pensei que não iam chegar! – fala a mulher.
Misteriosamente, Cold e Cody aparecem no campo de batalha com Mega Gardevoir e Mega Kangaskhan.
- O que é esse Pokémon? – diz Cody.
- Um Lucario... Nick o prendeu a mega forma! – fala a mulher.
- Sayu, nos ajude a enfraquecê-lo! – diz Cold.
- Charizard, use Super-Aquecimento!
- Vamos lá! – bradam Cold e Cody.
Os raios dos Pokémons acertam simultaneamente Mega Lucario, que naquele momento fica cada vez mais fraco. Uma esfera de cor prata se formava onde Lucario estava e aos poucos à mesma ia crescendo e em alguns segundos ela explode, espalhando um forte vento prateado por todo lugar.
- Cody, contenha a explosão! – grita Sayu desesperada.
- Gardevoir, use Psíquico!
O ataque de Gardevoir conteve a explosão, deixando a mesma envolta por um anel de saturno azul que ia se fechando e quando concluído ele cerca a toda a explosão, fazendo com que a mesma saia para cima, criando um grande clarão. Isadora ficava fascinada com tudo aquilo, para ela aquele pessoal eram como heróis. Após o sumiço do clarão, Lucario cai desmaiado no chão. Sayu se aproxima de Isadora e pega o cordão que estava no pescoço de Pidgeot.
- Olá garota. Só quero o cordão, quanto ao Pokémon considere seu.
- Quem é você?
- Sayu. Sou a líder de uma organização de combate conhecida como Silver Defense.
- Não sei do que esta falando...
-Como não?! Cold não lhe contou? – pergunta a mulher olhando com cara feia para Cold.
- Não Sayu, eu não falei para ela. – diz Cold sem graça.
- Ah... Bem, na hora certa ele te fala. Mas agora o mais importante é você sair daqui e se dirigir ao velório. – diz a mulher impaciente.
- Vai com calma Sayu! – fala Cody.
- Velório?! – diz a garota assustada.
- Ai, perdão falei demais. Bem não sei ser delicada, sou bem direta e vou ser agora!
- Calma Sayu! – diz Cold.
- Não é caso de calma. É caso de ser rápida. Vocês me enrolaram e agora a garota passou de herdeira do manto para uma jovem desentendida e inocente. Se o pai dela a encontrar teremos problemas. Ela deve estar pronta para lutar pela família, ela deve ser forte como nós somos! Não vou ser um docinho com essa pirralha, e me escuta bem garota – fala Sayu perdendo a paciência – Bem, Isadora Nickoly, sua mãe morreu queimada e quem a matou foi seu pai! Chore, grite, faça o que quiser, mas apenas se levante logo daí e vamos para a droga daquele velório antes que o traste do meu primo apareça aqui!
Isadora arregala os olhos enquanto estava sentada próxima a Pidgeot. A garota fica com seus lábios brancos e logo após desmaia. A menina fica estirada no chão e Sayu ri da situação.
- Gente que menina fraca. A Mary era só mãe adotiva dela... Não sei pra que tanto susto! – fala Sayu sorrindo.
- Eu disse que você foi muito dura com ela! – fala Cold.
Cold tentava levantar a menina para levá-la até o Pronto Socorro, porém algo trazia ainda mais problemas apara a equipe. Nikolas estava atrás deles e ouvira todo assunto sobre morte.
- Minha Tia morreu? – perguntava Kol que estava próximo a eles, no inicio do campo.
- Aí não... – fala Cody.
Após isso Kol da alguns passos e vai para perto de Sayu e a encara.A olhando com raiva, o garoto cospe no pés da mulher e algumas lágrimas caem de seu olhos que ficavam vermelhos. O garoto se vira após alguns segundos e ferozmente Sayu golpeia a cabeça do garoto o desmaiando.
- Incompetentes. Eles já deviam saber. Peguem os dois, vamos levá-los até Joy e depois para o velório. Que espécie de Tios vocês são? – diz a mulher nervosa.
Após isso, os homens pegam as crianças, enquanto Sayu se retira do campo. Tudo não fazia sentido, e a única certeza que eles tinham é de que um futuro conflito estava próximo. Sayu se lembra de Lucario e quando olha para trás o procurando, ela percebe que o mesmo havia sumido!


Atualmente...

Isadora se lembrava de tudo isso que havia ocorrido. Após sair do cemitério e ter enterrado sua mãe, Cold se aproxima dela para dar explicações.
- Ei, Nickoly... - falam os irmãos em uníssono.
- Sai daqui. Sumam! Deixem-me em paz! – fala a garota chorando.
- Te devemos explicações! – fala Cody que chega até lugar.
- Vocês devem muito coisa a muita gente – fala Kol – mas agora só queremos um tempo para nós!
Cold e Cody saem com a cabeça baixa daquele lugar. Isa e Kol se retiram do cemitério também e vão caminhando até a Pousada. Eles iam andando em silencio, apenas seus passos podiam ser ouvidos e alguns suspiros de Isadora se destacavam entre o som dos passos. Após um tempo, eles param na frente da Pousada, onde a placa luminosa resplandecia sobre o rosto dos mesmos. A pequena recepção podia ser vista e lá ficava uma mulher com uma feição curiosa.
- Olha, eu sinto muito... Não queria que nada disso tivesse acontecido!
- Não se preocupe primo! A culpa foi minha. Eu devia ter ficado lá, devia ter a protegido. Mesmo que ela não me amasse, mesmo que ela me repreendesse, eu deveria ter ficado lá com ela! EU DEVERIA!
- Calma Isa!
Isadora gritava, esperneava. Logo a recepcionista da Pousada sai para ver o que estava havendo.
- Mas que escândalo é esse?
- Que isso moça?! Não esta vendo que ela esta chorando? – fala Kol revoltado com a atitude da mulher.
Ao dizer isso a mulher olha atentamente para Kol e logo após ela sai, não dando importância para aquilo. Kol manda Isadora entrar e tomar seu banho, enquanto ele acertava a conta na recepção.
- Quanto dá? – perguntava ele.
- Bem, digamos que já pagaram tudo para vocês! – fala ela sorrindo de forma irônica.
- Quem fez isso? – pergunta ele curioso.
- Uma moça... Ela disse que quando você chegasse, era para você encontrá-la no quarto de número 02. – A mulher passa sua língua em seus lábios e após isso ela aperta o braço de Kol com certo interesse.
Kol dá as costas para mulher e estranhamente ele pega uma caneta que estava no balcão e atira na cara da recepcionista que ri de tal feito do menino. Ele passa pela porta da entrada da pousada. Ele toma a direção do quarto que fora informado e assim bate na porta do mesmo. Após alguns segundos, Sayu abre a porta.
- Ah, só pode ser brincadeira – diz o menino – Tanta gente no mundo e logo você vem aqui?
- Sim, logo eu. Olha entra logo nesse quarto, não suporto o cheiro de poeira deste lugar imundo!
Kol recua, porém a moça o puxa pelo braço e faz com que ele entre no quarto. O quarto da mulher era diferente. Possuía paredes brancas com um enorme lustre o iluminando. A cama da mulher era bem maior que as outras, e ao lado da mesma havia uma grande cômoda branca. Kol ficava fascinado até que a mulher começa a falar.
- Ei garoto, já da para perceber que as pequenas mudanças que eu fiz ficaram bonitas, agora vamos conversar! – fala ela sentando na cama.
- O que quer comigo?
- Saber se está pronto para dividir segredos... Mas para isso vou precisar de um teste!
- Eu não quero dividir nada com você!
A mulher olha friamente para Kol e cheia de fúria ela bate na cara do rapaz, que estava sentado na cama. Kol furioso vai tentar se virar contra a mulher com um soco já pronto para acertá-la, porém Sayu agarra o pescoço do garoto naquele momento e o leva até a parede. Kol ficava um pouco roxo e suas veias saltavam na região em que a mulher apertava. A respiração de Kol ficava ofegante, cansada. Estressada, Sayu lança suas ordens.
- Tenho mias força que você – diz ela apertando o garoto que tentava sair dali.
- Me... Me... Solta ou eu chamo a Oficial para você! – fala o garoto quase não conseguindo soltar uma palavra.
Sayu ri da cara de Kol e logo após o solta. A mulher o escora na parede usando seu cotovelo, que ela apertava contra o peito dele e com firmeza começa a falar com tom de raiva.
- Escuta aqui, isso que você chama de sangue carrega um legado! Passou por meu pai e pelo irmão dele, o seu avô. Chegou ao seu pai e os irmãos dele, porém, seu pai negou a farda! Seu pai é um lixo! Um enganador, um ladrão!
- NÃO FALA ASSIM DELE!
- Cala sua boca garoto! Você não sabe quem aquele bandido imundo é. Pega suas trouxas e vamos logo sair daqui AGORA!
- Me larga! Me solta! – grita Kol tentando fugir da mulher.
Kol se mexia em vão, a mulher o agarrava fortemente. Ela tira Kol da parede e deita o menino na cama, socando a cara dele até ele desmaiar. Sangue se espalhava por todo lençol e logo a mulher retira Kol de lá. Com dificuldade ela joga o rapaz dentro de um carro preto e faz um sinal para a recepcionista que fechava a porta da Pousada. Sayu se senta no banco e passa seu batom vermelho e dentro de sua Ferrari Preta e assim ela sai dirigindo, levando com sigo o pequeno Nikolas. Após algumas horas ele acorda em meio a um campo de pedra. Já era de manhã e Sayu estava lá ao lado dele sentada no chão.
- Como vim parar aqui? – pergunta ele se levantando.
- Eu te trouxe...
- Como e por quê?
- De carro e porque eu quis. Sim ainda estamos em Kalos, sim você não vai morrer, sim você está seguro e sim vou te levar para casa.
Kol ia perguntar quando rapidamente Sayu diz tudo isso. O garoto fica decepcionado, e logo desejava ir embora daquele lugar. Uma pequena dor podia ser sentida pelo menino, seu nariz estava inchado e roxo devido as pancadas de Sayu.
- Para que me trouxe aqui?
- Olha – diz a mulher se levantando – você só vai embora quando pegar aquilo ali!
Sayu apontava para uma caverna bem pequena que estava alguns metros a frente deles. Lá na frente da mesma, havia um ser azulado um tanto grande que olhava raivoso para eles.
- O que é aquilo? – pergunta Kol se levantando.
- Aquilo é um Bagon. Sua missão é pega-lo. Depois que o fizer nós conversamos. Bagon foi abandonado por sua família. Seus irmãos evoluíram e deixaram-no para traz. A Silver tem cuidado dele desde então e esperado a hora certa para que um estagiário pudesse pegá-lo e torná-lo forte.
- Não funciona assim! – diz o garoto com medo – Eu não sei o que é aquilo. Você não pode fazer isso comigo!
Sayu joga uma Pokébola e dela sai um Alakazam. O Pokémon começa a soltar fortes raios de luz, banhando a si e a Sayu, e logo após isso eles somem. Naquele momento Kol chuta algumas pedras que estavam no chão. O lugar possuía uma caverna logo à frente, junto de várias rochas espalhadas pelo caminho. Desesperado, Kol pega sua Pokédex para ver o que enfrentaria. Decepcionado ele aponta a Pokébola para o adversário que lá estava afinal ou ele pegava o Pokémon e saia dali ou morria de fome naquele lugar.

               

“Bagon. Bagon tem um sonho de um dia voar. Nos esforços condenados para voar, este Pokémon atira-se de penhascos. Como resultado de seus mergulhos, a sua cabeça cresceu dura como aço temperado.”

- Não vai ser fácil... Preciso de alguém que tenha a cabeça como a dele. Chespin vai!
Chespin se materializa no lugar e ao ver o pequeno Bagon, ele fica um pouco assustado. Bagon começava a respirar fortemente e logo a batalha se iniciava. Kol se esquecera de Isadora e todo ocorrido. Sayu parecia ter as respostas que ele precisava, e tudo que ele queria era fugir dali. Bagon parecia ser o tipo ideal para ele, afinal ambos foram abandonados. Kol após um período de tempo vê que a batalha iria começar. O garoto deixava a decepção de lado e logo queria que Bagon fosse seu.


x

Bagon começava a batalha, ele com velocidade corria até onde estava Chespin para dar-lhe uma forte Mordida. Quando ele estava próximo, Chespin se mostra ser veloz e salta, caindo sobre a cabeça de Bagon.
- Chespin, use Míssil de Espinhos!
Chespin salta da cabeça de Bagon, deixando o pequeno confuso. Chespin aponta sua cabeça para baixo, onde um forte brilho se forma em seu crânio. Após alguns segundos, vários espinhos são atirados em Bagon, alguns acertam sua cabeça o que não causa dano, já outros seu corpo. Bagon enfurecido salta usando sua cabeça dura como proteção e acerta a mesma em Chespin o lançando ainda mais para o alto. Rapidamente ele abre sua boca e de lá um forte brilho é emanado, se transformando em raio verde e prata que acerta Chespin em cheio.
- Chespin, use Obelisco!
Chespin começa a brilhar e vários pontos de luz surgem, se transformando em pedras afiadas. As pedras acertavam o corpo de Bagon e ele demonstrava não ligar muito com aquilo. Furioso, Bagon agarra Chespin e após isso da um mergulho chão, jogando Chespin com muita força no mesmo e usando sua cabeça como proteção, ele não se machuca. A força do impacto acaba criando uma forte poeira. Após a mesma sumir, Bagon e Chespin estavam competindo forças usando suas cabeças, até que Bagon salta bem alto e lança várias brasas em Chespin. As mesmas acertam Chespin lhe causando um dano quase fatal.
- Chespin não se deixe abalar por tais coisas. Use o Chicote de Vinha e agarre Bagon!
Chespin se levanta com dificuldade, afinal ele fora acertado efetivamente pelas brasas de Bagon. Determinado a vencer, ele lança suas vinhas verdes e ainda mais fortes que o normal e pega Bagon que ainda estava no ar. Chespin dá um giro onde estava, pegando um tremendo impulso e jogando o pequeno dragão diretamente ao solo. Bagon se levanta com dificuldade, e vai correndo em direção a Chespin Rosnando. Chespin recua alguns passos e logo após encara Bagon com frieza, enquanto o mesmo corria. Bagon abre sua boca e suas presas brilhavam de forma surpreendente. A mordida poderia ser fatal para o já ferido Chespin, mas a astúcia de Kol entra em ação naquele momento.
- Isso é o ataque Mordida... Ei Chespin use o Míssil de Espinhos dentro da boca dele.
Kol reconhece o ataque do inimigo e logo usa uma estratégia para ferir seu alvo. Chespin lança sua rajada de espinho dentro da boca do pequeno dragão.  Bagon fica imóvel por um tempo, a dor podia ser expressada por seu rosto, porém ele mantém sua boca fechada. Bagon começa a ficar com uma cor avermelhada e brilhante. Ele tremia de raiva cada vez, o pequeno dava pequenos saltos devido à raiva que sentia. Kol mal sabia o grande impacto que aquele ataque lhe faria!
- Chespin, lance seu Obelisco enquanto der!
Chespin é rodeado por um anel de Saturno brilhante que logo toma forma de pedras pontiagudas. Chespin acerta diversas dessas pedras em Bagon, ele não parava seu ataque por um segundo! Após alguns minutos, Chespin fica exausto e para seu ataque. Neste instante Bagon estica seus pequenos braços em direção a Chespin e flexionando suas pernas, ele transforma o brilho vermelho de seu corpo em uma esfera de cor prata que se concentrava em sua boca. Depois de formada tal esfera, Bagon a lança sem dó em Chespin um forte raio de cor prateada quase cegante. O raio foi rápido demais e acerta Chespin em cheio. Um clarão toma conta do lugar e quando o mesmo desaparece, Chespin estava desmaiado e derrotado no chão.
- Droga... Volte Chespin! Você foi bem, mas acho que para isso Frokie será o melhor!
O garroto estava determinado a sair dali, porém ele teria de pegar aquele Bagon a qualquer custo. Furioso ele lança seu Froakie para batalhar.
- Froakie, tome cuidado com este Pokémon!
Bagon lança rapidamente o Sopro do Dragão em direção ao pequeno sapo.
- Salte Froakie e após isso lance à Pulsação de Água nele!
Froakie esquiva do sopro do dragão e acerta sua esfera aquática em Bagon. O pequeno sofre poucos danos e rapidamente salta ficando frente a frente com Froakie.
- Nevasca!
Bagon vai em direção de Froakie para acertá-lo com sua cabeça e mais do que depressa Froakie lança sua nevasca. A Nevasca arremessa Bagon no chão, e o mesmo mostra sentir muito o golpe.
- Ataque Rápido!
Froakie rapidamente sai do ar e com um rastro de luz atrás de si, ele vai ao rumo de Bagon. Bagon percebe tal feito, e vira sua cabeça para frente, fazendo com que Froakie a acerte. Froakie sente uma dor tremenda. O pequeno sapo fica imóvel no chão por um tempo, enquanto agonizava de dor.
- Froakie salte daí e use Nevasca!
Bagon fica vermelho novamente e Froakie usava a nevasca livremente nele. Froakie para e Bagon acumula novamente a esfera brilhante para tentar nocautear o rival.
- Ah não... – fala Kol – Você terá de medir forças contra esse ataque amigo! Invoque a Pulsação de Água e usando a mesma, empurre o ataque de Bagon contra ele!
Froakie corre em direção à esfera de raiva de Bagon e usa sua pulsação de água para combater com a mesma. Desta vez ao invés de um raio, Bagon lança uma esfera contra o rival. O pequeno sapo começa a ser levado para trás devido a força da esfera, o pequeno Pokémon olha para trás e vê o olhar de confiança de Kol para com ele. Froakie se lembra do amor de Kol para com sigo e ele se concentra usando de sua força para empurrar a esfera prateada contra Bagon. Froakie com dificuldade empurra a esfera contra Bagon, fazendo surgir um grande clarão. Após tudo voltar ao normal, Bagon sai cambaleando e quase nocauteado. Mesmo assim ele firmava sua visão para tentar usar a Mordida em Froakie. Froakie lança um olhar desafiador para Bagon, esperando o comando de Kol.
- Espere ele abrir a boca ainda mais e lance Nevasca com força total!
Bagon fica bem próximo a Froakie e quando ele abre ainda mais sua boca para cravar os dentes no pequeno e magro Pokémon, Froakie libera sua nevasca, atingindo tanto a boca de Bagon, quanto seu corpo. Bagon começa a gritar de dor e após alguns segundos a nevasca cria uma forte neblina branca e misteriosa. A neblina acaba e Bagon estava ajoelhado no chão, onde faltavam forças para ele levantar. Bagon respirava fundo, os estilhaços de gelo cortaram um pouco seu corpo, e devido aos ataques que usara, ele estava exausto.
- Froakie é o fim dele! Ataque Rápido!
Froakie se concentra e mira bem o corpo de Bagon. Um brilho prateado se forma atrás do corpo do pequeno e rapidamente ele acerta Bagon pela lateral de seu corpo, o jogando contra uma pedra gigante que se parte em várias partes devido o choque de poder do corpo de Bagon contra a mesma. Bagon cai no chão desmaiado e Kol vê a oportunidade perfeita de captura.
- Pokébola vai!
Tum...Tum..Tum...TUM!
A luz vermelha encerra o seus piscar, indicando que o pequeno Bagon havia sido capturado.
- Muito bem Froakie – fala Kol sorrindo – Conseguimos amigo, CONSEGUIMOS!
Kol abraçava Froakie, e antes que ele pudesse comemorar Sayu surge ao lado dele.
- Muito bem... A primeira fase foi concluída! Agora quero ver você passar na próxima!
Sayu retira uma faca de seu bolso e mira na barriga de Kol. O garoto não entendia nada do que estava acontecendo, mas sabia que algo nada bom lhe aguardava. Alakazam levita Kol deixando o menino a alguns centímetros do chão e logo após Sayu solta a faca que é envolvida pelo poder psíquico de Alakazam e é enfiada lentamente na barriga de Kol.

CONTINUA...

Captura:
Recebi permissão da Sayu para pegar o Bagon.


thanks, clumsy @ sa!



Kol Mikaelson
Administradores
avatar
Idade : 19
Data de inscrição : 16/01/2016
Número de Postagens : 91
Localização : MG

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Kol e a jornada em Kalos!
Sayu em Qui 25 Fev 2016, 17:55
Valido
Captura
Ótimo

Pontos Positivos
Texto bem escrito, erros quase não visíveis.
História e personagens bem desenvolvidos.
Batalha muito bem escrita e envolvente.

Pontos Negativos
O fato da história ter ficado muito longa deixou o texto cansativo em certos pontos.
Alguns erros de concordância me deixaram confusa em certas partes.


Administradores
avatar
Idade : 19
Data de inscrição : 30/12/2015
Número de Postagens : 140
Localização : SC-Brasil

Ver perfil do usuário http://poketalles.rpgdynasty.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Kol e a jornada em Kalos!
Kol Mikaelson em Ter 01 Mar 2016, 01:26


KOL E A JORNADA EM KALOS


post: Treinamento Duplo ▬ tags:- ▬ escutando: - ▬ local:- ▬ vestindo:-

Misteriosos e Rápidos

Lá estava Kol, em uma espécie de sala, com vários equipamentos acoplados perto de si, junto de muitas coisas ligadas as suas veias. O garoto se sentia um verdadeiro robô. A maca branquinha ficava cada vez mais suja de sangue, os olhos do garoto se fechavam lentamente e aos poucos ele adormecia. Os médicos corriam de um lado para outro, com luvas lambuzadas de um sangue avermelhado. Uma cirurgia de emergência era feita no rapaz, e lá fora estava Cold e Cody.
- A Sayu não pode ter feito isso, ela não tem tal instinto!
- Sei que não Cold, mas todo mundo um dia muda. Até mesmo a Sayu. A forma que ela deu a noticia de morte me chocou. O fato de ela sumir depois, levar o Nikolas... Chega ser assassino.
Os homens estavam sentados em alguns bancos pretos em frente a uma sala de porta branca. O corredor frio era iluminado por várias lâmpadas azuladas que refletiam luzes nas paredes e pisos brancos, dando um forte contraste sombrio para tudo aquilo. Cody se levanta e olha assustado para Cold.
- Cold, não é da índole da Sayu ser assassina. Nem espancar meu Alakazam.
- Ou esfaquear Kol, levá-lo para o deserto antigo da Facção dos Dragões e muito menos deixá-lo lá para definhar.
- Pera aí, Bagon é um dragão... Porque ela faria ele  pegar o último sobrevivente da facção?!
Cold fica nervoso e vira sua face para Cody. Desesperado, ele sua frio e começa a inventar desculpas.
- É não sei mano, não faço ideia. Talvez seja porque ela é um pouco perturbada em descobrir quem são os herdeiros sobreviventes.
- Cara, você ainda se preocupa com quem herda o que?! Eu sou um dos Vitais, você e Nick também. Se Nikolas e Isadora são filhos dele, possuem o sangue Vital nas veias e, portanto também são herdeiros vitais! Não é difícil de distinguir.
- Eu sei o que são, o que serão... Mas falando em Herdeiros, onde esta a pedra da Criação?!
- Olha, ainda não posso falar. Só posso dizer que se as facções ainda têm suas ordens naturais em vida é tudo graças a ela.
- Qual é, eu sou o próximo que vai usar o poder dela. Um dos escolhidos de Xerneas, o próximo regente. Me fala!
- Não, e não conte com tanta velocidade na sua regência. Estou cheio de saúde e você sabe que se eu morrer você herda a autoridade da pedra. Caso contrário, só é alguém especial. Mas falando em tudo isso, a morte de um dos herdeiros causaria algo um tanto sério não é?! Afinal, se todos morrerem, a jóia do Caos absorve a jóia da Criação. Estranho a Sayu fazer isso, ela parece a...
Cold olha para seu irmão com cara de espanto e juntos eles gritam.
- SAORI! – Bradam eles em uníssono.
- Impossível Cody, ela esta presa. A caverna é protegida por Pokémons lutadores e ainda o selo esta relacionado com a pedra do Spiritomb!
- Nicki sabe onde esta a caverna, e sabe da pedra também. Não tenho dúvidas irmão, se aquela não for à gêmea da Sayu, não sei quem é...
- Me de uma prova de que foi ela!
- Dar uma ordem absurda a Alakazam e ele obedecer e logo após espancá-lo. Sayu ainda não é Monotreinadora, ela ainda não é herdeira da pedra para tal. O Alakazam é meu, e já o emprestei a ela algumas vezes. Quem abomina psíquicos?! Quem quer matar os herdeiros vitais?! Quem quer poder?!
- Droga! É ela... O que vamos fazer?
- O que você vai fazer não é?!
Cody põe a mão nos ombros de seu irmão.
- Você e Sayu foram treinados para a paz. Cuide para que ela permaneça. O último dragão foi pego por Kol, aquele Bagon  era o Pokémon escolhido de Sayu. Ela estava o treinando em segredo.
- Ele é o az da Sayu?!
- Era... Sayu não o capturou. Agora que Kol o pegou, Sayu só tem seu Charizard. Afinal, para suportar o poder da pedra o Pokémon a ela ligado deve ser forte...
- Cody, por qual motivo você ta me falando isso?!
- Cuida do Nikolas. O esquema de Saori é desabilitar a irmã. Ter o poder para si. Eu não posso deixar que ela complete tal plano. Vou procurá-la e você se encarrega de deixar Kol protegido. Quanto a Sayu, vou ver se consigo localizá-la e pedir que ela venha para cá. Isso é um sinal irmão. A guerra final vai começar!
- Cara você vai simplesmente sai enquanto seu sobrinho passa por uma cirurgia, apenas pelo fato de uma briga boba de 3 Clãs idiotas?!
- Não é idiota Cold! – fala ele nervoso – A louca da Saori quer nos matar. Quer me matar! Ela acabou com os herdeiros Ordenais! A pedra do Equilíbrio esta desaparecida! É bom ter um herdeiro vivo, caso contrário, essa briga da Criação contra o Caos vai dar na vitória não dos grupos, mas sim da Saori. ELA ASSASSINOU UM CLÃ INTEIRO!
- Eu sei quem ela é... Fui treinado para acabar com ela caso você falhasse!
- E eu não vou. Fica com o moleque aqui, deixa que do resto eu cuido!
- Esta bem, mas se você vai sair me diga onde...
- Isadora esta em Miami, receberá ligações se algo lá der errado. Nick esta foragido, meu cartão esta na sua mochila e a chave de minha casa também. Cuide para que tudo ocorra bem. E não se esqueça, se algo der errado procure 753951. Vou vasculhar a cidade, e depois as bases de Nick. Não me espere...
Cody sai e deixa seu irmão ali desesperado sem saber o que fazer em relação a cirurgia. O homem sai do corredor e Cold logo após enxuga seus olhos que aos poucos derramavam lágrimas. Ele sabia que seu irmão poderia chegar breve ou não mais voltar.
Após algum tempo, a cirurgia termina e Nikolas repousava em seu quarto. Desesperado Cold entra no quarto para saber como seu sobrinho estava. Dentro do quarto havia um médico alto e bem gordo, Kol estava sendo empurrado em cima da maca para o quarto conhecido como Ala Branca. Após chegarem a seu destino, Kol era colocado em uma cama toda branca com lençóis da mesma cor. O piso, as paredes, até a mesinha de canto, tudo era predominantemente branco. Em cima da mesinha havia um lindo buque de flores azuis bebê com um cartão em cima escrito com belas letras a palavra “Recomeçar”.
Da janela um estranho vento entrava no quarto, fazendo descer um lindo Flygon que acenava para Cold. O homem que estava de pé sobre a porta, percebe que Flygon o chamava. Ele rapidamente atravessa o quarto e vai até a janela. O Flygon se aproxima e coloca Cold em suas costas, subindo com ele até o terraço do hospital. Lá, estava uma moça usando uma curta saia preta, junto de uma jaqueta de couro que cobria seus braços até os pulsos. Seu cabelo balançava com o bater do vento, fazendo com que sua franja ficasse toda bagunçada. Cold logo percebia quem era a mulher que ali estava. Flygon pousa e deixa Cold de pé ao lado da mulher.
- Oi Cold! – fala ela desanimada.
- Olá... Sayu. – Fala ele triste – Estávamos falando em você agora a pouco.
- É, imagino mesmo.
Sayu fitava Cold friamente, e logo lágrimas rolam de seu rosto e após algum tempo de observação ela abraça seu primo. O terraço era bem alto, o local onde eles pisavam não possuía detalhe algum, a laje daquele lugar era tudo que eles podiam se firmar com a certeza que pelo menos ali eles não cairiam.
- Cold, Kol pegou Bagon... Não tenho um Pokémon que suporte o poder da pedra!
- Não se preocupe com isso... – fala ele também chorando.
A brisa do vento balançava o cabelo dos dois, fazendo com que ambos pudessem sentir suas lágrimas sendo enxugadas pelo mesmo. Cold ficava cada vez mais espantado com tal situação. Sayu o larga e limpa seu rosto. Ela chega perto da beirada do terraço e se senta lá. A moça observava todos os andares dali, via que a rua estava pouco movimentada. Carros, motos e pessoas, todos possuíam uma sintonia.
- Sintonia... Talvez seja o que falte. – reflete ela magoada.
Cold se senta ao lado dela e eles começam um dialogo.
- Como foi? Digo, onde você ficou este tempo?
- Eu não fiquei Cold... Eu estava.
- Estava?!
- Sim... O mesmo veneno que Saori usou para paralisar meu pai, ela usou em mim.
- Veneno de Nidorino?
- Isso. Causa paralisia, cegueira e em grandes quantidades, morte cerebral.
- Nossa, Saori foi bem calculista!
- Nem tanto... Bem eu acordei bem cedo e sai para ver como Bagon estava. Chegando lá, vi que havia alguém com ele nos braços e desesperada eu corri até onde ele estava. Quando me aproximei do campo, Bagon estava no chão e não havia ninguém lá. Pensei estar sonhando!
- Nossa...
- Não fique assim, não tem nada de interessante ou surpreendente em como eu fui envenenada.
- Calma, só estou sei lá...
- Aí Cold escuta! Cala a boca e me deixa falar antes que eu te jogue lá em baixo!
Sayu da um soco no braço de seu primo e ele puxa o cabelo dela, retribuindo uma espécie de carinho entre eles. Ambos se olham e após algum tempo, Sayu volta a contar.
- Continuando... Eu acariciei Bagon e quando me virei dei de cara com Saori. Ela me olhou e disse o quanto eu estava bonita. Eu me afastei e perguntei o que ela queria. Ela disse que eu era linda, e que algo perfeito como eu deveria ser preservado como uma estatua. Ela retirou de sua calça algo parecido com uma agulha. Sem pensar duas vezes, ela deu um giro e lançou a mesma. Foi tudo muito rápido e quando vi, estava paralisada e cega. Tudo que me lembro era de quando voltei a mim e estava deitada no quarto de uma casa um pouco longe daqui. A sorte é que minhas Pokébolas estavam comigo, e consegui escapar usando o Flygon!
Cold olha surpreso para a mulher. Estava tudo muito misterioso para o gosto dele. Sem questioná-la ele resolve apenas ouvi-la e fazer aquilo que ela achasse necessário.
- Cold, sobe aqui no Flygon e vamos descer. Quero ir ver o moleque!
Cold e Sayu montam no dragão verde. Flygon era forte e um tanto bonito. Suas asas davam um forte contraste a seus olhos que eram protegidos por uma espécie de vidro avermelhado. O dragão chega à janela, porém naquele momento, Sayu faz com que ele suba rapidamente. Cold saca uma Pokébola e em seguida eles voltam para onde estavam.
- Não pode ser possível Sayu!
- Cold, pega o Flygon e vai buscar o Cody! Deixa que eu cuido da situação!
- Você ta pirada é?! Ficar aqui sozinha?!
- Cold, não vou insistir!
Sayu fica de pé nas costas de Flygon e pula para o terraço do prédio. Ousada, ela acena para Flygon sair dali e ele sai com Cold em suas costas.
- Sayu, não!
Cold fica desesperado em cima de Flygon e Sayu apenas acena dando tchau para ele. Logo ela retira outra Pokébola e a lança. Um raio azul sai da mesma e junto dele algo começa a tomar forma. Um dragão com asas pequenas e duas antenas ali aparece. Ele era grande e um pouco fofo. Sua cor amarelada podia fazer com que ele fosse percebido de qualquer lugar. Ele vai até o terraço e fica de pé no mesmo. Sayu monta em suas costas.
- Dragonite, desça até aquela janela. Chegando lá, se vir alguém como eu, saia o mais rápido possível.
Enquanto isso, dentro do hospital.
- Sim, eu sou Sayu.
- Perdão Senhora, mas seus registros não estão aqui. O que você é do Nikolas mesmo?
- Prima... Prima.
- Me deixe ver seus documentos.
No quarto de Kol estava um senhor gordinho e barrigudo de óculos, usando um grande jaleco branco. Seu traje era composto por uma calça branca, blusa branca e um sapato na mesma cor. Os poucos cabelos de sua cabeça lembravam uma peruca de palhaço, porém na cor grisalha. Seus óculos lhe davam um aspecto intelectual. Já a moça que ali estava era idêntica a Sayu, porém, usava um curto vestido preto, que desenhava bem seu corpo. O vestido era bem justo até a cintura e depois tinha uma leve caída. Parecia um belo vestido de festa, era algo um tanto belo e gótico. A moça também usava uma grande bota de salto de cor também preta que ia até próximo a seus joelhos. Ela da um sorriso irônico e retira de dentro da bota uma adaga. O médico olha assustado e a mulher rapidamente desfere um golpe no pescoço do homem, fazendo com que em segundos o sangue do mesmo jorrasse por todo o quarto. O homem cai no chão daquele lugar e logo a mulher da um passo e fecha a porta do mesmo.
- É senhor, este era o único documento que tenho, o registro de uma psicopata louca por poder. Chame do que quiser, louca, suicida... Eu me classifico como decidida.
Saori se passava por Sayu. A esperteza dela ia além do que todos da Silver Defense podiam imaginar. O quarto onde Kol estava se enchia de sangue. A frente dela estava à maca de Kol, onde ele repousava. Saori se aproxima da mesma e passa a mão no peito do garoto.
- Então este é um dos vitais não é mesmo... Seria uma pena se alguém por um descuido deixasse uma faca ser atolada em seu coração.
A mulher levanta levemente a adaga ainda suja de sangue para cima e mira no peito do menino. Quando a mesma ia enfiá-la em Kol, algo na janela lhe chama atenção.
- Eí! Sua vadia! Vem aqui e enfia a faca em mim. Paraguaia!
- Sayu?! – fala ela um pouco surpresa – O veneno não te conteve dessa vez...
- Você é muito sínica irmã!
- Não... Sou esperta, perspicaz, bonita, atraente. Sou também uma mestra em assassinatos. Fique aqui e aprenda como é, e que prometo fazer o seu ser indolor!
- Cala sua boca!
Saori levanta a faca e quando vai enfiá-la em Kol, Dragonite fica iluminado por uma espécie de luz prateada e desaparece da janela. Quando Saori abaixa a faca para atingir Kol, algo rápido como um relâmpago passa por trás dela e retira a faca de sua mão. Rapidamente Dragonite volta para a janela e lá estava Sayu em cima dele com a faca na mão.
- Velocidade Extrema?! Bom movimento. Esperto admito. – fala Saori indo em direção a janela.
Saori anda até a janela e joga uma Pokébola. O raio energético azul toma forma de um Pokémon um tanto peculiar.
- Dragonite, me deixa lá dentro e foge, por favor! – fala Sayu assustada.
- Que foi mana?! Medinho?! – fala ela sorrindo.
Saori retira outra Pokébola e a joga, logo se materializa ali uma Altaria, que ficava ao lado do outro Pokémon de Saori.
- Altaria, temos serviço!
Altaria faz uma expressão de sofrimento e se aproxima da janela. Delicadamente, Saori a pula e fica em cima de Alataria. A ave azul coberta de nuvens parecia aborrecida com sua treinadora. Saori fica sentada em cima de Altaria e Sayu treme em cima de Dragonite.
- Dois contra um?! Sua covarde! – fala Sayu.
- Não, vim aqui só para assistir melhor. Vou matar você primeiro, e depois, sufoco aquele garoto ali! – fala ela séria.
- Dragonite, Velocidade Extrema para o mais alto que puder!
- Não vai não... Meteoro do Dragão. – diz ela ao outro Pokémon
Do outro lado um dragão preto com barbatana, se concentrava. Quando Dragonite vai para cima, ele acumula uma estranha esfera laranja de energia, e lança para direção aonde ia Dragonite. Em segundos, desta esfera, caem vários meteoritos cheios de calor e energia, de cor laranja com detalhes vermelhos. Quando Dragonite ainda subia, alguns destes acertam o mesmo. Dragonite para onde estava e Sayu também recebia dano. Os meteoritos se cessam e a esfera desaparece do ar. Sayu fica com algumas queimaduras em seu corpo, enquanto Dragonite mal ficava no ar.
- Desce Sayu, vai para o terraço, será mais fácil de te matar!
- N-nunca...
- Então está bem. Garchomp use Sopro do Dragão.
Uma forte luz se forma na boca de Garchomp e quando este a libera, um raio de cor prata rodeado de anéis energéticos azuis vão em direção a Sayu.
- Dragonite, Velocidade Extrema para o terraço – fala Sayu nervosa e sem outra escolha
Dragonite escapa do ataque e vai para cima do terraço do hospital, e logo a frente de Sayu e Dragonite estavam Saori e Altaria. Saori desce de Altaria e vai para cima do lugar onde estava Sayu. A garota desce de seu Dragonite e rapidamente o retorna para sua Pokébola. As mulheres se encaram um pouco e Saori levanta seu braço e aponta para Sayu.
- Garchomp, estilhasse essa palhaça!
Garchomp vai para cima de Sayu na velocidade de um raio, e quando ele fica de frente para ela, algo um tanto peculiar o afasta.
- Nevasca!
Bem ao canto do terraço estavam Kol e Froakie observando todo alvoroço. Ninguém sabia como ele estava lá, como subiu ou como estava de pé. Froakie libera sua Nevasca que faz um estrago em Garchomp, não algo grande, mas sim algo forte para afastá-lo de perto de Sayu.
- Olha, a criança acordou! – fala Saori.
Kol encara Saori e a mulher retribui. Froakie pausa a nevasca e Garchomp estava fora do terraço, voando no ar.
- Acho que vai ser fácil matar dois coelhos com uma cajadada só! Altaria e Garchomp, Sopro do Dragão!
Kol olha despreocupado para tudo aquilo, e Sayu ficava cada vez mais assustada.
- Froakie, desvie!
Kol anda lentamente para o lado e Froakie para outro. Ambos desviam do sopro que fora focalizado apenas em um lugar. Kol lança outra Pokébola e dela sai um Bagon.
- Bagon, use Pulsação do Dragão! Froakie Nevasca!
Uma luz rocha sai da boca do pequeno Dragão e toma forma de um grande dragão roxo com detalhes em vermelho. O dragão morde Altaria e Garchomp e em seguida um vento gelado com estilhaços de neve atinge os rivais. Uma forte luz toma conta do lugar e após o sumiço da mesma, podia-se notar no campo um grande Charizard.
- Pensei que não ia vê-lo Sayu! E quanto a você garoto, bons golpes, mas os níveis dos seus Pokémons não ajudam muito. Garchomp use Pulsação do Dragão, Altaria use Explosão Lunar!
- Sayu, você me deve explicaçlões! – fala Kol fazendo um bico
- Kol, deixamos as perguntas para depois?! – fala ela toda medrosa e nervosa
Kol fica um tempo calado e depois decidido ele olha para Sayu pronto para um combate.
- Depois resolvemos Sayu. O importante agora é acabar com essa aí. Sei que não foi você quem deu a facada... Mas vamos esquecer isso. Froakie use Pulsação de Água e Bagon use Lança Chamas! Acabem com a Explosão Lunar! – fala ele pulando de ansiedade.
- Charizard, Asa de Ferro como proteção contra o golpe de garchomp!
Garchomp lança seu golpe, que forma um dragão quatro vezes maior que o de Bagon. Charizard abre suas asas que ficam prateadas e logo ele se vira de costas para eles que ali estavam. Charizard curva suas asas e recebe a mordida poderosa do dragão de energia roxa. Após isso o dragão vermelho cambaleia um pouco e logo volta ao normal. Por cima de Charizard, podia-se ver Bagon e Froakie, que saltavam para contra-atacar. Froakie junta seus pulsos e lança uma esfera de cor azul com uma espécie de energia branca circulando dentro da mesma. Após isso, Bagon enche seus pulmões de ar e lança várias chamas que circundam a esfera de água e faz com que a mesma recebesse um aumento de poder. Envolvida de chamas, a esfera colide com o ataque de Altaria. Altaria havia se concentrado, e atrás de si uma lua fora formada. Em seguida, a lua diminuiu de tamanho e toma a forma de uma bola redonda e cor de rosa na boca de Altaria, que a lança sem medo. As duas esferas colidem, criando um forte impacto e espalhando uma brisa de colorida por todo o local. Saori olha impressionada para tudo aquilo.
- Três contra um é demais... Mas não forte o suficiente. Garchomp suba! Altaria vem comigo!
Saori se afasta e dá um grande salto, Altaria se aproveita e se coloca em baixo dela, de forma que quando ela caísse, ela montasse Altaria. Altaria sobe rapidamente com Saori aos céus junto de Garchomp. Bem alto Saori olha estranhamente para os inimigos, enquanto segura uma espécie de diamante negro que emanava uma luz fraca de cor vermelha. Altaria e Garchomp ficam um tanto alto em relação à posição dos oponentes, aguardando as ordens da mestra.
- Se eu não posso acabar com vocês aí, destruo tudo daqui. – fala Saori olhando para baixo.
Sayu ficava cada vez mais nervosa. Em suas pernas algumas queimaduras podiam ser vistas, enquanto que já Kol aparentava não estar com dor e nem nada do tipo. Froakie e Bagon se mostravam um tanto cansados e quase que exaustos. Já Charizard parecia aguardar algo, enquanto Saori fitava tudo com cautela.
- Vocês têm duas opções... Pulam do prédio ou eu o destruo.
- Você já sabe a resposta irmã...
- Saí daí e vem nos enfrentar aqui em baixo! – falava Kol decidido.
- Pois bem... – diz Saori sacando outra Pokébola.
Da pokébola sai um Charizard estranho, com uma aparência demoníaca. Saori olhava para Sayu, enquanto os Charizard se encaravam.
- Gente, é melhor se prepararem! – fala Sayu
- Eu sobrevivi Sayu... Não vou me entregar tão fácil. – fala Kol sem medo.
Saori olha para eles e com raiva grita para seus Pokémons.
- MATEM TODOS! DESTRUAM TUDO!
Garchomp lança junto de Altaria um poderoso Meteoro do Dragão. As esferas de energia explodem e vão rumo ao prédio do hospital. Charizard se concentra e abre sua boca deixando escapar uma Onda de Calor extremamente quente e além de poderosa, incrivelmente destrutiva. O diamante negro lança uma espécie de brisa vermelha sobre o prédio e algo estranho acontecia.
- Ou vocês morrem, ou queimarão. Até logo, aproveitem meu presentinho. – fala ela saindo, deixando um mistério no ar.
Saori sai com seus Dragões e deixa todo o ocorrido lá. As esferas pareciam não parar de soltar meteoros, que atingiam o terraço causando rachaduras e vários estragos ao longo do prédio. A onda de calor estourava vidros e transformava papéis em cinzas. Kol e Sayu sentiam sua pele arder, e por sorte, os meteoros não os atingiam. Quando as esferas se esgotam, alguns dos meteoros vão em direção ao local onde estava Kol e Sayu. Charizard consegue mandar de volta alguns dos meteoritos, porém, um deles vai rumo a Kol, e em uma tentativa de heroísmo, Froakie salta e entra na frente do mesmo. O meteorito explode lançando Froakie para fora do terraço e consequentemente no chão. Os outros meteoritos acertavam o terraço com mais impacto fazendo com que a laje cedesse e viesse a se desfazer. Médicos, enfermeiros, pacientes e acompanhantes deixavam o hospital empurrando os doentes em macas, e saindo da forma mais rápida que podiam. Kol se desespera ao ver que Froakie estava estirado no chão. Quando o terraço desmorona, Sayu  monta em Charizard junto de Bagon. Quando a mulher ia pegar Kol, a laje se desfaz por completa, fazendo com que o garoto caia junto com a mesma. Era literalmente uma destruição infernal. Saori conseguiu destruir o local, e com certeza, o poder do caos estava envolvido naquilo, afinal apenas tais golpes não seriam capaz de gerar tamanha destruição. Kol continuava paralisado, e quando ele ia ser soterrado, uma forte luz aparece e desaparece com o garoto. Sayu e Charizard estavam bem acima da confusão, e a mesma começa a chorar ao ver o que estava acontecendo.
- SAORIIIII! – grita ela.
Algumas pessoas que estavam no último andar não conseguiam escapar e eram mortas por esmagamento. Quando tudo parecia desabar por completo, uma incrível aura azul começa a fazer com que tudo parasse, como se uma espécie de paralisia temporal acontecesse. Aos poucos o que ia desmoronar é envolvido por uma espécie de brilho e em seguida desaparece. No chão, se encontrava Kol estirado ao lado de Froakie e um pouco ao lado estava Cody e Gardevoir. Cody segurava uma pedra parecida com um diamante, a mesma emanava um brilho colorido. Gardevoir e Cody estavam concentrados e ambos abrem os olhos, revelando uma forte luz azul que saia dos mesmos. Gardevoir estava em sua forma Mega, enquanto Cody era envolto por uma aura de cores vivas. Cody e Gardevoir levantam umas das mãos e em uma incrível velocidade, toda a bagunça se ajeita, e tudo o que ia ser destruído era reconstituído. Aos poucos, o desmoronamento para e as coisas ficam calmas. Cody e Gardevoir voltam ao normal e olhando para tudo aquilo, Cody falava raivoso algumas coisas.
- Eu vou te destruir Saori... Nem que eu tenha que revirar cada pedra desse lugar. Só vou parar quando o que você chama de coração, estiver picado a mil pedaços no chão.


O que era aquela pedra?! Como Nikolas acordou?!E o por quê de tanto mistério?! Descubra no próximo capítulo!

CONTINUA...

















thanks, clumsy @ sa!



Kol Mikaelson
Administradores
avatar
Idade : 19
Data de inscrição : 16/01/2016
Número de Postagens : 91
Localização : MG

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Kol e a jornada em Kalos!
Conteúdo patrocinado
Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum